Influência das condições naturais de pH sobre o índice de qualidade das águas (IQA) na bacia do Ribeirão de Carrancas

Autores

  • Frederico Wagner de Azevedo Lopes Fundação João Pinheiro - FJP
  • Antônio Pereira Magalhães Júnior Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG https://orcid.org/0000-0002-5327-3729

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-549X..13301

Palavras-chave:

pH, Índice de qualidade das águas, Ribeirão de Carrancas

Resumo

Os índices de qualidade da água são importantes ferramentas para transmitir informações sobre o grau de poluição de corpos hídricos. No entanto, a influência de condições naturais das bacias hidrográficas sobre determinado parâmetro integrante do índice, especialmente os valores de pH, pode gerar resultados incompatíveis com o estado de qualidade de determinado corpo d’água. Neste contexto, este trabalho tem por objetivo avaliar os efeitos das condições naturais de pH sobre o cálculo do índice de qualidade da água (IQA-IGAM) na bacia do Ribeirão de Carrancas, através da comparação entre o monitoramento da qualidade das águas realizado na bacia, e a simulação de dados secundários. Os resultados obtidos demonstram a interferência dos valores de pH possivelmente relacionados às condições naturais da bacia sobre o resultado do índice. Apesar da interferência verificada destes baixos valores, o índice de qualidade de águas (IQA) adotado para o Ribeirão de Carrancas apresentou valores que variaram de médio a ruim, na maior parte do período monitorado, caracterizando, dessa forma, a degradação da qualidade das águas na bacia estudada, especialmente após o lançamento de esgotos sem tratamento prévio da área urbana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Frederico Wagner de Azevedo Lopes, Fundação João Pinheiro - FJP

Pesquisador da Fundação João Pinheiro; Doutorando em Geografia/Análise Ambiental - IGC/UFMG.

Antônio Pereira Magalhães Júnior, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG

Professor Adjunto do Departamento de Geografia da UFMG, Doutor em Desenvolvimento Sustentável pelo CDS/UNB.

Referências

APHA, AWWA, WEF. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 19.ed. Washington, 1998.

BENETTI, A.; BIDONE. F. O meio ambiente e os recursos hídricos. In: TUCCI, C.E.M. (Org.). Hidrologia: ciência e aplicação. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2001. p.849-876.

BORGES, M.J.; GALBIATTI, J.A.; FERRAUDO, A.S. Monitoramento da qualidade hídrica e eficiência de interceptores de esgotos em cursos d’ água urbanos da Bacia Hidrográfica do Córrego Jaboticabal. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v.8, n.2, p.161- 171, 2003.

BROWN, R.M. et al. A water quality index- do we dare? Water & Sewage Works, Chicago, v. 117, n.10, p 339- 343, Oct. 1970.

BUENO,L.F.;GALBI ATTI,J.A.;BORGES,M .J. Monitoramento de variáveis de qualidade da água do Horto Ouro Verde- Conchal- SP. Revista Engenharia Agrícola, Jaboticabal, v.25,n.3,p.742-748, set./dez.2005.

CHAPMAN, D.; KIMSTACH, V. Selection of water quality variables. In: CHAPMAN, D. (Ed.). Water quality assessments - a guide to use of biota, sediments and water in environmental monitoring. 2.ed. London: UNESCO/WHO/UNEP, 1996. p.74-133.

COMPANHIA MINERADORA DE MINAS GERAIS. Carta geológica. Folha SF 23-x-c-i – Lavras, 2002. Escala 1:100.000.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução no 357 de 17 de março de 2005. Disponível em: http://www.mma.gov.br/>. Acesso em: 20set. 2005.

CPRH. Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Seleção de índices e indicadores de qualidade da água. Aplicação dos índices selecionados. CPRH. PNMA II, 2006.Disponível em: <http://www.cprh.pe.gov.br/frme-index-secao.asp?idsecao=294>.Acesso em: 28 jul. 2006.

DRUMMOND, G.M. et al. Biodiversidade em Minas Gerais: um atlas para sua conservação. 2.ed. Belo Horizonte: Fundação Biodiversitas, 2005. 222p.

GIAROLA, N.F.B. et al. Solos da região sob influência da hidrelétrica de Itutinga/Camargos (MG): perspectivaambiental. Lavras: CEMIG,1997. 101p.

HERMES, L.C.; SILVA, A.S. Avaliação da Qualidade da águas: manual prático. Brasília: EMBRAPA Informação Tecnológica, 2004. 55p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Cidades@. Disponível em: . Acesso em:26 out. 2006.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS. Relatório de monitoramento das águas superficiais da bacia do Rio Grande em 2004. Belo Horizonte, 2005. 250p.

INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS. Relatório de monitoramento das águas superficiais da bacia do Rio Grande em 2006. Belo Horizonte, 2007. 266p.

LOPES, F.W.A; MAGALHAES JR, A.P; PEREIRA, J.A.A. Avaliação da qualidade das águas e condições de balneabilidade na bacia do Ribeirão de Carrancas/MG. Revista Brasileira de Recursos Hídricos. V.13, n.4, p. 111-120, out./dez. 2008.

LOPES, V.C.; LIBÂNIO, M. Proposição de um índice de estações de tratamento de água (IQETA). Engenharia Sanitária e Ambiental, v.10, n.4, p.318-328, out./dez. 2005.

MAGALHAES JR, A.P. Os indicadores como instrumentos potenciais de gestão das águas no atual contexto legal institucional do Brasil: resultados de painel de especialistas. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, Porto Alegre, v.8, n.4, p. 49-68, 2003.

MARQUES, J.J.G.SM.; CURI,N.; LIMA, J.M. Recursos ambientais da bacia do Alto Rio Grande, Minas Gerais. Lavras: UFLA/ FAEPE, 2002. 33p.

MEYBECK, M. et al. Water quality. In: BARTRAM, J.; BALLANCE, R. (Ed.). Water quality monitoring - a practical guide to design and implementation of freswater quality studies and monitoring programmes. London: UNEP/WHO, 1996. p.15-36.

MINAS GERAIS. Assembléia Legislativa. Municípios mineiros. Disponível em: <http://www.almg.gov.br/index.asp?grupo=estado&diretorio=munmg&arquivo=municipios&municipio=14600>.Acesso: 23 jun. 2006.

MINAS GERAIS. Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de. Sistema de cálculo da qualidade da água (SCQA), estabelecimento das equações do índice de qualidade das águas (IQA). Belo Horizonte: SEMAD/UCEMG/PNMAII. 2005. 16p.

NATIONAL SANITATION FOUNDATION. Water quality index - WQI. NSF, 2006. Disponível em: http://www.nsf.org/consumer/earth_day/wqi.asp#calculating. Acesso em: 1 ago. 2006.

OLIVEIRA FILHO, A.T. et al. Variações estruturais do compartimento arbóreo de uma floresta semidecídua alto-montana na chapada das Perdizes, Carrancas, MG. Revista Brasileira de Botânica. V.27, n.2, p.291-309, abr.-jun. 2004.

PORTO, M.F.A. Estabelecimentos de parâmetros de controle da poluição. In: PORTO, R.L. (Org.). Hidrologia ambiental. São Paulo: Universidade de São Paulo. Associação Brasileira de Recursos Hídricos, 1991. p.375-390.

SALATI, E.; LEMOS, H.M.; SALATI, E. Água e desenvolvimento sustentável. In: REBOUÇAS, A.C; BRAGA, B.; TUNDISI, J.G. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. 2.ed. São Paulo: Escrituras, 2002. p.39-63.

SISINNO, C.L.S.; MOREIRA, J.C. Avaliação da contaminação e poluição ambiental na área de influência do aterro controlado do Morro do Céu, Niterói, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.12, n.4, p.515-523, out./dez. 1996.

SOUZA, R.A.S. Avaliação das frações de fosfato como indicadores de eutrofização de águas superficiais. 2006.123p. Dissertação (Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas)-Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 3.ed. Belo Horizonte: UFMG/Departamento de Engenharia Sanitária, 2005. v.1, 452p.

Downloads

Publicado

2010-12-01

Como Citar

Lopes, F. W. de A., & Magalhães Júnior, A. P. (2010). Influência das condições naturais de pH sobre o índice de qualidade das águas (IQA) na bacia do Ribeirão de Carrancas. Revista Geografias, 134–147. https://doi.org/10.35699/2237-549X.13301

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>