Múltiplos Discursos Tratam das Ciências Naturais em Cursos de Pedagogia: Dilemas e Desafios para a Formação do Professor

Palavras-chave: ensino de ciências naturais, ensino fundamental, pedagogia.

Resumo

Este trabalho discute a importância do ensino de Ciências Naturais para o desenvolvimento de alunos dos anos iniciais do Ensino Fundamental. Os argumentos da literatura preconizam conteúdos sistêmicos ligados às Geociências; Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente porque esses discutem desafios do ambiente e interrelacionam áreas diferentes (Biologia, Química, Ciências da Terra e Física). Além disso, objetivamos analisar os discursos de dois coordenadores, três professores formadores e 103 alunos de quatro cursos presenciais de Pedagogia de duas instituições do Estado de São Paulo para conhecer suas expectativas e ideias sobre a área de CN. A pesquisa usou abordagem qualitativa para coletar e analisar dados: houve análise documental e foram feitas entrevistas e aplicados questionários. Os dados foram examinados com técnicas de análise de conteúdo e os resultados demonstraram que estudantes desejam lecionar para crianças, professores acreditam que seus alunos não querem ser docentes, coordenadores defendem que seus cursos prepararam bons professores. Não há concordância sobre como os cursos devem tratar as CN. Além disso, temas sobre a finalidade do curso emergiram dos discursos, configurando-se dilemas e desafios para a formação dos professores polivalentes. Esses resultados sugerem a necessidade de futuras e diversificadas abordagens investigativas em cursos de Pedagogia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Elisa do Couto Chipoletti Esteves, PEHCT - Instituto de Geociências Unicamp - Campinas, SP

Professora Universitária.

Doutora em Ensino de Ciências e Matemática.

Leciona em cursos de graduação da área da saúde e de formação de professores.

É professora do Programa de Pós-Graduação em Ensino e História de Ciências da Terra (PEHCT) - Unicamp

 

Pedro Wagner Gonçalves, Instituto de Geociências Unicamp, Campinas, SP

Instituto de Geociências

Unicamp, SP

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70.
Barreto, E. S. S. (2015). Políticas de Formação Docente para a Educação Básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, RJ, 20(62), 679–701.
Carneiro, C. D. R., Toledo, M. C. M., & Almeida, F. F. M. (2004). Dez Motivos para a Inclusão de Temas de Geologia na Educação Básica. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, SP, 34(4), 553–560.
Cervato, C., & Frodeman, R. (2014). A Importância do Tempo Geológico: desdobramentos culturais, educacionais e econômicos. Terrae Didatica, Campinas, SP, 10(1), 67–79.
Coelho, J.C., & Marques, C.A. (2007). Contribuições Freireanas para a Contextualização no Ensino de Química. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, MG, 9(1), 1–17.
Delizoicov, D. (1991). Conhecimento, Tensões e Transições. (Tese de Doutorado em Educação). Universidade de São Paulo, SP.
Delizoicov, D. (2008). La Educación en Ciencias y la Perspectiva de Paulo Freire. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, SC, 1(2), 37–62.
Ducatti-Silva, K.C. (2005). A Formação no Curso de Pedagogia para o Ensino de Ciências nas Séries Iniciais. (Dissertação de Mestrado em Educação). Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Marília, SP.
Esteves, P. E. C. C., & Gonçalves, P. W. (2013). Os Cursos de Pedagogia do Estado de São Paulo e os Professores de Ciências Naturais. Atas do IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC). IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC). Águas de Lindóia, SP, 1–8.
Esteves, P. E. C. C. (2015). O Ensino de Ciências Naturais no Curso de Pedagogia: dilemas que emergem de Estudos de Caso. (Tese de Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.
Esteves, P. E. C. C., & Gonçalves. P. W. (2016). Anos Iniciais do Ensino Fundamental no Estado de São Paulo: o alcance e o significado da exclusão das Ciências. Atas do III Congresso Nacional de Formação de Professores (CNFP). XIII Congresso Paulista sobre Formação de Educadores (CEPFE). Águas de Lindóia, SP, 1, 60.
Forgiarini, M. S., & Auler, D. (2009). A Abordagem de Temas Polêmicos na Educação de Jovens e Adultos: o caso do “florestamento” no Rio Grande do Sul. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, 8(2), 399–421.
Freire, P., & Shor, I. (2011). Medo e Ousadia: o cotidiano do professor. São Paulo, SP: Paz e Terra.
Frodeman, R. (2004). Philosophy in the Field. In B. V. Foltz, & R. Frodeman (Org.). Rethinking Nature: essays in environmental philosophy. Bloomington: Indiana University Press, 149–164.
Frodeman, R. (2010). O Raciocínio Geológico: a Geologia como uma ciência interpretativa e histórica. Terrae Didatica, Campinas, SP, 6(2), 85–99.
Frodeman, R. (2013). The Geosciences, Climate Change, and the Virtues of Ignorance. The Geological Society of America. Special Paper, Boulder, USA, 502(0), 145–152.
Gatti, B. A., & Barretto, E. S. S. (2009). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília, DF: Unesco.
Gatti, B. A., Nunes, M. M. R., Gimenes, N. A. S., Unbehaum, S. G., & Tartuce, G. L. B. P. (2009). Avaliação dos Currículos de Formação de Professores para o Ensino Fundamental. Est. Aval. Educ., São Paulo, SP, 20(43), 215–234.
Gatti, B. A., & Nunes, M. M. R. (2009). Formação de Professores para o Ensino Fundamental: estudo em currículos das licenciaturas em Pedagogia, Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Biológicas. Textos FCC. São Paulo, SP: FCC. DPE, 29(0), 11–53.
Gomes, R. (2011). Análise e Interpretação de Dados de Pesquisa Qualitativa. In M. C. S. Minayo (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade (pp. 79–108). Petrópolis, RJ: Vozes.
King, C. (2008). Geoscience Education: an overview. Studies in Science Education, 44(2), 187–222.
Lacreu, H. L. (2009). Importância para el Mejoramiento de la Enseñanza de Ciencias de la Tierra para el Nível Básico..., y las Dificultades para Lograrlo. In II Simpósio de Pesquisa em Ensino e História de Ciências da Terra. IV Simpósio Nacional “o ensino de Geologia no Brasil”. São Paulo, SP, 753–761.
Laville, C., & Dionne, J. (1999). A Construção do Saber. Porto Alegre, RS; Belo Horizonte, MG: Artmed.
Lei n. 5.692 de 11 de agosto de 1971. (1971). Ministério da Educação. Conselho Federal de Educação. Brasília, DF: MEC/CFE.
Libâneo, J. C. (2010). Que Destino os Educadores darão à Pedagogia. In J. C. Libâneo (Org.). Pedagogia e Pedagogos, para quê? (pp. 43–68). São Paulo, SP: Cortez.
Matthews, M. R. (1994). Science Teaching: the role of history and philosophy of science. New York: Routledge.
Minayo, M. C. S. (2011). O Desafio da Pesquisa Social. In M. C. S. Minayo (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade (pp. 9–29). Petrópolis, RJ: Editora Vozes.
Minayo, M. C. S. (2014). O Desafio do Conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo, SP: Hucitec Editora.
Pedrinaci, E., Alcade, S., Alfaro, P., Almodóvar, G. R., Barrera, J. L, Belmonte, A. et al. (2013). Alfabetización en Ciencias de la Tierra. Enseñanza de las Ciencias de la Tierra, Girona, Espanha, 21(2), 117–129.
Resolução CNE/CP n. 1, de 15 de maio de 2006.(2006). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, Licenciatura. Brasília, DF: MEC/CNE.
Resolução CFE/CP n. 2, de 1 de julho de 2015. (2015). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília, DF: MEC/CNE.
Rocha, M. B. (2013). A Formação dos Saberes sobre Ciências e seu Ensino: trajetórias de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental. (Tese de Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.
Scheibe, L., & Durli, Z. A. (2011). Curso de Pedagogia no Brasil: olhando o passado, compreendendo o presente. Educação em Foco, Belo Horizonte, MG, 14(17), 79–109.
Tedesco, J. C. (2012). Educación y Justicia Social en América Latina. Buenos Aires, Argentina: Fondo de Cultura Económica, Universidad Nacional de San Martín.
Torres, J. R., Moraes, E. C., & Delizoicov, D. (2008). Articulações entre a Investigação Temática e a Abordagem Relacional: uma concepção crítica das relações sociedade-natureza no currículo de ciências. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, SC, 1(3), 55–77.
Universidade de Aveiro (UA) (2015). Departamento de Educação. Curso de Licenciatura em Educação Básica. Roteiro de Questionário. Disciplina de Didática das Ciências Naturais e Sociais. Aveiro, Portugal.
Zoller, U., & Scholz, R. W. (2004). The HOCS Paradigm Shift from Disciplinary Knowledge (LOCS) to interdisciplinary evaluative, system thinking (HOCS): what should it take in science–technology–environment–society oriented courses, curricula and assessment? Water, Science and Technology, Londres, Inglaterra, 49(8), 27–36.
Publicado
2017-08-31
Como Citar
Esteves, P. E. do C. C., & Gonçalves, P. W. (2017). Múltiplos Discursos Tratam das Ciências Naturais em Cursos de Pedagogia: Dilemas e Desafios para a Formação do Professor. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 17(2), 467-493. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2017172467
Seção
Artigos