Sequência Didática com Enfoque Investigativo: Alterações Significativas na Elaboração de Hipóteses e Estruturação de Perguntas Realizadas por Alunos do Ensino Fundamental I

Palavras-chave: Ensino por investigação, Elaboração de hipóteses, Alfabetização Científica

Resumo

A realidade pouco estimulante do ensino de ciências, principalmente no ensino fundamental, onde o apoio excessivo nos livros didáticos, bem como a simplificação de estratégias, pouco colabora para a manutenção da curiosidade inerente a faixa etária em questão, tampouco para uma aprendizagem real e contextualizada tem se apresentado uma constante. Assim, o presente artigo busca evidenciar o papel de sequências didáticas investigativas para o ensino e a aprendizagem em ciências, considerando de forma clara os objetivos e pressupostos educacionais inerentes a abordagens e metodologias mais ativas. Destaca como recorte de interesse, as contribuições de estratégias práticas e experimentais, pautadas no ensino por investigação, como possibilidade para a formulação de hipóteses de qualidade e perguntas bem estruturadas pelos alunos no decorrer do processo. Os dados apresentados originaram-se de uma sequência didática realizada em escola pública do ciclo inicial do ensino fundamental, em um grupo misto com 24 alunos do 3º ao 5º ano, no contraturno do ensino regular. Os resultados obtidos evidenciam contribuições significativas e validam os aspectos levantados na revisão bibliográfica do mesmo.

Biografia do Autor

Veronica Gomes dos Santos, Universidade Estadual de Campinas
Doutoranda no Programa de Pós-Graduação Multiunidades em Ensino de Ciências e Matemática da Unicamp, na área de ensino de Ciências. Mestrado em ensino de ciências pela UFABC e graduação em ensino para séries iniciais. Professora na prefeitura municipal de São Bernardo do Campo atuando como gestora de mídias e tecnologias.
Eduardo Galembeck, Universidade estadual de Campinas
Possui graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1993), mestrado em Biologia Funcional e Molecular pela Universidade Estadual de Campinas (1996), doutorado em Biologia Funcional e Molecular pela Universidade Estadual de Campinas (1999), pós doutorado na University of Pennsylvania - EUA (2002) e Purdue University - EUA (2012/2013). Atualmente é professor da Universidade Estadual de Campinas, lotado no departamento de Bioquímica e Biologia Tecidual do Instituto de Biologia. É co-editor da Revista de Ensino de Bioquímica (www.bioquimica.org.br), editor da Biblioteca Digital de Ciências (www.bdc.ib.unicamp.br). 

Referências

Azevedo, M. C. P. S. (2004). Ensino por investigação: problematizando as atividades em sala de aula. In A. M. P, Carvalho, 19–33(Org.). Ensino de ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Pioneira Thomson Learning.
Barberá, O., & Valdés, P. (1996). El trabajo práctico en la enseñanza de las ciencias: una revisión. Enseñanza de las Ciencias, 14(3), 365–379.
Bogdan, R., & Biklen, S. (1994). Investigação qualitativa em Educação: fundamentos, métodos e técnicas. In Investigação qualitativa em educação. Portugal: Porto Editora, 1–335.
Borges, A. T. (2002). Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 19(3), 1–23, https://doi.org/10.5007/%25x
Carvalho, A. M. P. (2013). O ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In A. M. P., Carvalho (Org.). Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, 1–21.
Chassot, A. (2003). Alfabetização Científica: uma possibilidade para a inclusão social. Revista Brasileira de Educação, 22, 89–100.
Collins, A., Joseph, D., & Bielaczyc, K. (2004). Design research: Theoretical and methodological issues. Journal of the Learning Sciences, 13(1), 15–4., https://doi.org/10.1207/s15327809jls1301_2
Driver, R., Asoko, H., Leach, J., Mortimer, E. F., & Scott, P. (1994). Constructing scientific knowledge in the classroom. Educational Research , 23(7), 5–12, https://doi.org/10.3102/0013189X023007005
Fin, A. S. D. U., & Malacarne, V. U. (2012). A concepção do ensino de ciências na educação infantil e as suas implicações na formação do pensamento científico no decorrer do processo educacional. Apresentado no Seminário de Pesquisa PPE. Universidade Estadual de Maringá.
Fourez, G. (2003). Crise no ensino de ciências? Dept “Sciences, Philosophies, Sociétés”, Investigações em Ensino de Ciências, 8(2), 109–123.
Flores, J., Caballero, M. C., & Moreira, M. A.( 2009). El laboratorio en la enseñanza de las ciencias: Una visión integral en este complejo ambiente de aprendizaje. Revista de Investigación, 68(330), 75–112.
Gil Pérez, D., Montoro, I. F., Alís, J. C., Cachapuz, A., & Praia, J. (2001). Por uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação, 7(2), 125–153.
Krasilchik, M., & Marandino, M. (2007). Ensino de ciências e cidadania. 2. ed. São Paulo: Moderna.
Lakatos, E. M., & Marconi, M. A. (2003). Fundamentos de metodologia científica 5. ed. - São Paulo: Atlas.
Lemke, J. L. (2006). Investigar para el futuro de la educación científica: nuevas formas de aprender, nuevas formas de vivir. Enseñanza de las ciencias: revista de investigación y experiencias didácticas, 24(1), 5–12.
Locatelli, R. J., & Carvalho, A.M.P. (2007). Uma análise do raciocínio utilizado pelos alunos ao resolverem os problemas propostos nas atividades de conhecimento físico. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 7(3), 1–18.
Lorenzetti, L., & Delizoicov, D. (2001). Alfabetização científica no contexto das séries iniciais, Ensaio. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, 03(1), 1–15.
Machado, V. F., & Sasseron, L. H. (2012). As perguntas em aulas investigativas de ciências: a construção teórica de categorias. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 12(2), 29–44.
Matta, A. E. R., Silva, F. P. S., & Boaventura, E. M. (2014). Design-based research ou pesquisa de desenvolvimento: metodologia para pesquisa aplicada de inovação em educação do século XXI. Revista da FAEEBA: Educação e Contemporaneidade, Salvador, 23(42), 23–36.
Ministério da Educação. (2017). Base Nacional Comum Curricular – BNCC 3ª versão. Brasília, DF.
Moraes, R. (1995). Ciência para as séries iniciais e alfabetização. Porto Alegre: Sagra: DC Luzzatto, 1995.
Nunes, T. S., Motokane, M. T. (2015). Características das hipóteses em sequências didáticas investigativas. Trabalho apresentado no X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – Águas de Lindóia, SP, pp.1–8.
Pretto, N. L. (1995). A Ciência nos Livros Didáticos. Salvador/BA e Campinas/SP: Editora Unicamp e Editora da UFBA.
Ramos, P., Giannella, T. R., & Struchiner, M. (2009). A pesquisa baseada em design em artigos científicos sobre o uso de ambientes de aprendizagem mediados pelas tecnologias da informação e da comunicação no ensino de ciências: Uma análise preliminar. Trabalho apresentado no VII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Florianópolis, SC.
Santana-filho, A., Santana J., & Campos, T. (2011). Ensino de ciências naturais nas séries/anos iniciais do ensino fundamental. Trabalho apresentado no V Colóquio Internacional Educação e Contemporaneidade. São Cristóvão, SE.
Sasseron, L. H., & De Carvalho, A. M. P. (2008). Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: a proposição e a procura de indicadores do processo. Revista Investigações em Ensino de Ciências, 13(3), 333–352.
Sasseron, L. H., & De Carvalho, A. M. P. (2011). Alfabetização científica: uma revisão bibliográfica. Investigações em ensino de ciências, 16(1), 59–77.
Sasseron, L. H. (2015). Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, MG, 17(esp), 49–67. http://dx.doi.org/10.1590/1983-2117201517s04
Séré, M-g., Coelho, S. D., & Nunes, A. D. (2003). O papel da experimentação no ensino da física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, 20(1), 30–42.
Silva, C de S., & Penido, M.C.M. (2011). Uma leitura sobre problematizações no ensino de ciências. Trabalho apresentado no VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Campinas, SP.
Silveira, L. B. B., Correa, T. M., Broietti, F. C. D., & Stanzani, E. L (2015). Percepções de estudantes dos anos iniciais do ensino fundamental sobre Ciências Naturais. Revista Góndola, Enseñanza y Aprendizaje de las Ciencias, 10(2), 73–88.
Teixeira, E. B. (2003). Análise de dados na pesquisa científica: importância e desafios em estudos organizacionais. Desenvolvimento em Questão, 1(2), 177–201.
Viecheneski, J. P., Lorenzetti, L., & Carletto, M. R. (2012). Desafios e práticas para o ensino de ciências e alfabetização científica nos anos iniciais do ensino fundamental. Atos de Pesquisa em Educação, 7(3), 853–876. http://dx.doi.org/10.7867/1809-0354.2012v7n3p853-876
Publicado
2018-12-15
Como Citar
dos Santos, V. G., & Galembeck, E. (2018). Sequência Didática com Enfoque Investigativo: Alterações Significativas na Elaboração de Hipóteses e Estruturação de Perguntas Realizadas por Alunos do Ensino Fundamental I. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 18(3), 879-904. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2018183879