Abordagem ativa no processo de ensino-aprendizagem na disciplina de Desenho Técnico

uma experiência em Engenharia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2020.16211

Palavras-chave:

Ensino de Engenharia, Educação superior, Avaliação de reação

Resumo

Os períodos iniciais dos cursos de Engenharia são formados por disciplinas do chamado “núcleo básico”, que são disciplinas, geralmente, difíceis e desmotivadoras para a maior parte dos estudantes por não se assemelharem com a parte prática do curso. Assim, o objetivo do presente trabalho é avaliar a utilização de metodologias ativas de ensino-aprendizagem da disciplina Desenho Técnico. O método desenvolvido foi baseado no Ciclo de Aprendizagem Experiencial de Kolb, e buscou unir conhecimentos teóricos e práticos, relacionados à disciplina em questão e ligados ao curso de Engenharia Florestal. Os resultados apontam a metodologia proposta como uma forma promissora para incentivar o interesse dos alunos pela disciplina. Recomenda-se que outras metodologias de ensino-aprendizagem de disciplinas básicas das Engenharias sejam criadas/adaptadas e disseminadas, possibilitando um processo centrado no aprendizado do discente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sara Carolina Soares Guerra Fardin, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (IFES), Vitória, ES, Brasil.

Professora da Coordenadoria de Engenharia Sanitária e Ambiental do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, campus Vitória. Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Espírito Santo (2010) e mestrado em Engenharia Ambiental (2014) pela mesma instituição. As principais áreas de atuação são planejamento urbano ambiental e avaliação de impactos ambientais.

Referências

BACICH, Lilian; MORAN, José (org.). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Porto Alegre: Penso, 2018. 248 p.

BARREIRO, Aguida Celina de Méo; NASCIMENTO, Otaciro Rangel. A participação de alunos na correção das provas de uma disciplina de Física no ensino superior. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, Florianópolis, v. 17, n. 3, p. 295-306, dez. 2000.

BOLLELA, Valdes Roberto et al. Aprendizagem baseada em equipes: da teoria à prática. Revista da Faculdade de Medicina, Ribeirão Preto, v. 47, n. 3, p. 293-300, 2014. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v47i3p293-300.

BONWELL, Charles C.; EISON, James A. Active learning: creating excitement in the classroom. Washington: The George Washington University, 1991. 121 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Resumo técnico: censo da educação superior 2014. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira, 2017. 55 p.

BUNCE, Louise; BAIRD, Amy; JONES, Siân E. The student-as-consumer approach in higher education and its effects on academic performance. Studies in Higher Education, on-line, v. 42, n. 11, p. 1958-1978, 2017. DOI: https://doi.org/10.1080/03075079.2015.1127908.

CAVALCANTE, Antonio Paulo de Hollanda; MENESES, Fernando Antonio Beserra de; BARROS, Carlos Alberto Braz. Metodologias de avaliação das disciplinas de desenho nos cursos de Engenharia: o caso do Centro Tecnologia da UFC. Revista de Ensino de Engenharia, on-line, v. 29, n. 2, p. 57-68, 2010. DOI: https://doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v29n2p57-68.

COIMBRA, Camila Lima. A aula expositiva dialogada em uma perspectiva freireana. In: LEAL, Edvalda Araújo; MIRANDA, Gilberto José; CASA NOVA, Silva Pereira de Castro (org.). Revolucionando a sala de aula: como envolver o estudante aplicando as técnicas de metodologias ativas de aprendizagem. São Paulo: Gen, 2017. p. 2-13.

DAUDT FISCHER, Beatriz Terezinha. Docência no ensino superior: questões e alternativas. Educação, Porto Alegre, v. 32, n. 3, p. 311-315, 2009.

CARLESS, David; BOUD, David. The development of student feedback literacy: enabling uptake o feedback. Assessment e Evaluation in Higher Education, on-line, v. 43, n. 8, p. 1315-1325, 2018. DOI: https://doi.org/10.1080/02602938.2018.1463354.

FERREIRA, Robinalva; MOROSINI, Marília. Metodologias ativas: as evidências da formação continuada de docentes no ensino superior. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 9, p. 1-19, 2019. DOI: https://doi.org/10.35699/2237-5864.2019.2543.

FERREIRA, Valéria Silva. As especificidades da docência no ensino superior. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 10, n. 29, p. 85-99, jan./abr. 2010.

GILBOY, Mary Beth; HEINERICHS, Scott; PAZZAGLIA, Gina. Enhancing student engagement using the flipped classroom. Journal of Nutrition Education and Behavior, on-line, v. 47, n. 1, p. 109-114, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jneb.2014.08.008.

GILIOLI, Renato de Sousa Porto. Evasão em instituições federais de ensino superior no Brasil: expansão da rede, SiSU e desafios. Brasília: Câmara dos Deputados, 2016.

KNOWLES, Malcoom S.; HOLTON, Elwood F.; SWANSON, Richard A. The adult learner: the definitive classic in adult education and human resource development. 6. ed. San Diego: Elsevier, 2005. 378 p.

KOLB, David A.; KOLB, Alice Y. The Kolb Learning Style Inventory 4.0: Guide to Theory, Psychometrics, Research & Applications. [S.l.]: Experience Based Learning Systems, 2013. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/303446688_The_Kolb_Learning_Style_Inventory_40_Guide_to_Theory_Psychometrics_Research_Applications. Acesso em: 1 out. 2019.

OLIVEIRA, Vanderlí Fava de; ALMEIDA, Nival Nunes de; CARVALHO, Dayane Maximiano de; PEREIRA, Fernando Antonio Azevedo. Um estudo sobre a expansão da formação em Engenharia no Brasil. Revista de Ensino de Engenharia, Brasília, v. 32, n. 3, p. 1-31, 2013. DOI: http://dx.doi.org/10.15552/2236-0158/abenge.v32n3p37-56.

PAIVA, Marlla Rúbya Ferreira; PARENTE, José Reginaldo Feijão; BRANDÃO, Israel Rocha Brandão; QUEIROZ, Ana Helena Bomfim. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem: revisão integrativa. Sanare, Sobral, v. 15, n. 2, p. 145-153, 2016.

POMMER, Wagner Marcelo. A interdisciplinaridade e o ensino de Engenharia: ensaio sobre um projeto articulador. Revista Educação, Guarulhos, v. 7, n. 1, p. 35-47, 2012.

PRINCE, Michael. Does active learning work? A review of the research. Journal of Engineering Education, on-line, v. 93, n. 3, p. 223-231, 2004. DOI: https://doi.org/10.1002/j.2168-9830.2004.tb00809.x.

SÁ, Susana Oliveira; ALVES, Maria Palmira; COSTA, António Pedro. A avaliação formativa no ensino superior: o contributo do feedback interativo e construtivo na aprendizagem ativa dos estudantes. Comunicação & Informação, Goiânia, v. 17, n. 2, p. 55-69, 2014. DOI: https://doi.org/10.5216/31821.

TONTINI, Gérson; WALTER, Silvana Anita. Pode-se identificar a propensão e reduzir a evasão de alunos? Ações estratégicas e resultados táticos para Instituições de ensino superior. Revista da Avaliação da Educação Superior, Campinas, v. 19, n. 1, p. 89-110, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-40772014000100005.

Downloads

Publicado

2020-09-22

Como Citar

FARDIN, S. C. S. G. . Abordagem ativa no processo de ensino-aprendizagem na disciplina de Desenho Técnico: uma experiência em Engenharia. Revista Docência do Ensino Superior, [S. l.], v. 10, p. 1-17, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.16211. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/16211. Acesso em: 30 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos