Conflitos organizacionais

a utilização da Educação a Distância para ensinar esse conteúdo nos Cursos de Graduação da Área da Saúde

  • Carla Aparecida Spagnol Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1588-2109
  • Eliane Marina Palhares Guimarães Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-5270-7006
  • Solange Cervinho Bicalho Godoy Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.
  • Renata Lacerda Marques Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.
Palavras-chave: Educação a distância, Ensino, Conflito (psicologia), Enfermagem

Resumo

O tema conflito organizacional é difícil de ser trabalhado somente com aulas expositivas, pois é um fenômeno que depende da situação, das pessoas envolvidas e do contexto em que ocorreu. Atualmente as tecnologias educacionais digitais são utilizadas em cursos na modalidade presencial ou a distância, tornando-se indispensável utilizar metodologias ativas. Este artigo é um relato de experiência que tem o objetivo de descrever e analisar uma disciplina a distância, que utiliza um material multimídiático e a plataforma Moodle como ferramentas para o ensino de graduação da área da saúde. O referido material e as tarefas assíncronas da disciplina foram constituídos por texto de referência, material audiovisual, banco com situações de conflito e WIKI. Observou-se que a disciplina desenvolvida na modalidade a distancia com o apoio do material multimidiático obteve avaliação positiva, por se tratar de uma ferramenta de ensino interativa, que incita a reflexão sobre a vida profissional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carla Aparecida Spagnol, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Possui Graduação em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (1990); Especialização em Administração da Assistência de Enfermagem em Serviços de Saúde pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (1991); Mestrado em Enfermagem Fundamental pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (2000); Doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2006) com período sanduíche na Université Vincennes Saint Denis Paris 8; e Especialização em Análise Institucional, Esquizodrama e Esquizoanalise: clínica de indivíduos, grupos, organizações e redes sociais pelo Instituto Gregório Baremblitt (2012).

Eliane Marina Palhares Guimarães, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1980), doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo/USP (2004) e mestrado em Ciências da Informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (1995).

Solange Cervinho Bicalho Godoy, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Minas Gerais (1986), habilitação em Saúde Pública pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (1987), licenciatura em Enfermagem pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (1988), especialização em Sistematização da Assistência em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (1989), especialização em Enfermagem do Trabalho pela Universidade de Mogi das Cruzes (1991), Mestrado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (2001), Doutorado em Enfermagem pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (2009) e Pós- doutorado em Ciências da Educação, na especialidade de Tecnologia Educativa pelo Instituto de Educação da Universidade do Minho (2015).

Referências

ALMEIDA, M. L; PERES, A. M. Conhecimentos, habilidades e atitudes sobre a gestão dos formandos de enfermagem de uma universidade pública brasileira. Investigación y Educación en Enfermería, v. 30, n. 1, p. 66-76, mar. 2012.

BRASIL, Decreto n. 5622, de 20 de dezembro de 2005. Regulamenta o art. 80 da Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.

Diário Oficial da União, Brasília, DF, de 20 de dezembro de 1996.

CECÍLIO, L. C. É possível trabalhar o conflito como matéria prima da gestão em saúde? Cad. saúde pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 2, p. 508-516, mar./abr. 2005.

COGO, A. L. et al. Tecnologias digitais no ensino de graduação em enfermagem: as possibilidades metodológicas por docentes. Rev. Eletr. Enf,Porto Alegre, v. 13, n. 4, out./dez. 2011. Disponível em: <http://www.fen.ufg.br/revista/v13/n4/v13n4a09.htm>. Acesso em: 1 de outubro de 2012.

FONSECA, J. J. As novas tecnologias contribuem para o fim da escola. Tecnologias e educação a distância. Disponível em: <https://sites.google.com/site/cursoavancadoemead/tecnologias-e-educacao-a-distanc>. Acesso em: 1 de outubro de 2012.

GUBERT, E.; PRADO, M. L. Desafios na prática pedagógica na educação profissional em enfermagem. Rev. Eletr. Enf,Florianópolis, v. 13, n. 2, abr./jun. 2011. Disponível em: <http://www.fen.ufg.br/revista/v13/n2/v13n2a15.htm>. Acesso em: 1 de outubro de 2012.

HOUAISS, A.; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa. 1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

MOSCOVICI, F. Desenvolvimento interpessoal: treinamento em grupo. 17. ed. Rio de Janeiro: Jose Olympio, 2008.

SALES, A. A.; LIMA, F. R.; FARIAS, F. S. Refletindo sobre a administração e negociação de conflitos nas equipes de saúde. Rev. Bras. Promoç. Saúde, Fortaleza, v. 20, n. 2, p. 111-115, 2007.

SPAGNOL, C. A. A trama de conflitos vivenciada pela equipe de enfermagem no contexto da instituição hospitalar: como explicitar seus “nós”? 2006. 347 p. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2006.

SPAGNOL, C. A; L’ABBATE, S. Conflito organizacional: considerações teóricas para subsidiar o gerenciamento em enfermagem. Cienc. Cuid. Saúde, v. 9, n. 4, p. 822-827, out./dez. 2010.

Publicado
2013-10-15
Como Citar
SPAGNOL, C. A.; GUIMARÃES, E. M. P.; GODOY, S. C. B.; MARQUES, R. L. Conflitos organizacionais. Revista Docência do Ensino Superior, v. 3, p. 4-12, 15 out. 2013.
Edição
Seção
Artigos

Most read articles by the same author(s)