Estratégias para avaliação do desempenho clínico de estudantes de Odontologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2016.2130

Palavras-chave:

Avaliação educacional, Educação em Odontologia, Autoavaliação, Estudantes, Competência clínica

Resumo

A avaliação do desempenho clínico de estudantes de Odontologia é muito importante para motivar o aprendizado. Este artigo propõe-se a apresentar uma revisão de literatura sobre métodos de avaliação de desempenho clínico e a desenvolver um protocolo para ser aplicado nas disciplinas do curso de Odontologia da UFMG. O Protocolo de Avaliação Clínica (PAC) foi elaborado a partir do Objective Structured Clinical Examination (OSCE) e do Structured Clinical Operative Test (SCOT), métodos de avaliação mais encontrados na literatura, com a finalidade de realizar uma avaliação objetiva do aprendizado do aluno em pontos relacionados a anamnese, diagnóstico, plano de tratamento, controle de infecção, técnicas, habilidade, comunicação e profissionalismo. A autoavaliação realizada pelos alunos também faz parte desse protocolo, sendo interessante para se diagnosticarem pontos fracos e virtudes dos estudantes. O PAC pode ser uma alternativa aos métodos convencionais de avaliação, reduzindo a subjetividade e tornando o processo avaliativo mais confiável e homogêneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Valente Araújo Jacques Gonçalves, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Graduada em Odontologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), em 1996, com especialização em Dentística pela Associação Brasileira de Odontologia (ABO-MG), em 2000, mestrado em Odontologia pela Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Minas Gerais (FO-UFMG), área de concentração Dentística, em 2004, e doutorado em Odontologia pela FO-UFMG, área de concentração Clínica Odontológica, em 2009. Atualmente é professora adjunta do Departamento de Odontologia Restauradora da Faculdade de Odontologia da UFMG.

Henrique Pretti, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Graduação em Odontologia pela PUC Minas (1985), mestrado em Ortodontia pela Faculdade de Odontologia de Bauru da Universidade de São Paulo (USP), em 1991, doutorado em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, área de concentração Clínica Odontológica (2010) e pós-doutorado na Universidade da Carolina do Norte (2013). Atualmente é diretor da FO-UFMG e professor adjunto do Departamento de Odontopediatria e Ortodontia da FO-UFMG.

Karina I. R. Teixeira, Faculdade de Estudos Administrativos de Minas Gerais (FEAD), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Possui mestrado e doutorado em Clínica Odontológica pela Universidade Federal de Minas Gerais. É professora do curso de Odontologia da Fundação Fead Minas.

Cláudia S. Magalhães, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1986), mestrado (1997) e doutorado (2000) em Clínica Odontológica, área de concentração Dentística, pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professora associada IV do Departamento de Odontologia Restauradora da FO-UFMG. Tem experiência na área de clínica odontológica, com ênfase em dentística. É orientadora do Programa de Pós-Graduação em Odontologia da FO-UFMG.

Allyson Nogueira Moreira, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Graduação em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1986), especialização em Dentística pela Faculdade de Bauru da Universidade de São Paulo (1989) e doutorado em Odontologia, área de concentração Periodontia, pela Universidad de Buenos Aires (1999). Professor titular da Universidade Federal de Minas Gerais. Atualmente, é chefe do Departamento de Odontologia Restauradora da FO-UFMG. 

Rogéli T. R. C. Peixoto, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (1987), especialização em Dentística pela Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB-USP), mestrado em Odontologia – área de concentração Dentística – pela FO-UFMG (1999) e doutorado em Odontologia – área de concentração Dentística – pela FO-UFMG (2008). Atualmente é vice-diretora da FO-UFMG e professora adjunta do Departamento de Odontologia Restauradora da FO-UFMG. 

Downloads

Publicado

2016-10-10

Como Citar

GONÇALVES, P. V. A. J.; PRETTI, H.; TEIXEIRA, K. I. R.; MAGALHÃES, C. S.; MOREIRA, A. N.; PEIXOTO, R. T. R. C. Estratégias para avaliação do desempenho clínico de estudantes de Odontologia. Revista Docência do Ensino Superior, [S. l.], v. 6, n. 2, p. 223-246, 2016. DOI: 10.35699/2237-5864.2016.2130. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/2130. Acesso em: 30 out. 2020.

Edição

Seção

Artigos