Metodologias ativas

relato de experiência da participação em curso de especialização na área da Saúde

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.24129

Palavras-chave:

Aprendizagem Baseada em Problemas, Educação superior, Ensino, Metodologias ativas, Segurança do paciente

Resumo

O artigo objetiva relatar a participação como discente em curso de especialização na área da Saúde ministrado por meio de metodologias ativas. Trata-se de relato de experiência da participação no curso de Especialização em Qualidade e Segurança no Cuidado ao Paciente. A trajetória dos processos de aprendizagem significativa é descrita, permitindo entender o caminho percorrido para a formação crítico-reflexiva do discente ao utilizar a combinação de diferentes ações educacionais propostas como metodologias ativas: Espiral de Situação-problema, Espiral de Narrativa da Prática, Aprendizagem Baseada em Equipe, Plenária, Oficina de Trabalho, Viagem, Portfólio, Aprendizagem Autodirigida, Trabalho de Conclusão de Curso e Projeto Aplicativo. A aplicação de metodologias ativas permitiu refletir sobre diferentes maneiras de aprender, ampliar capacidades e qualificar a produção de intervenções na realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adaíse Passos Souza Amaral, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Jequié, BA, Brasil.

Mestrado em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde (PPGES), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).

Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Jequié, BA, Brasil.

Pós-Doutoramento em Bioética pelo Instituto de Bioética da Universidade Católica Portuguesa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde (PPGES).

Alba Benemérita Alves Vilela, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Jequié, BA, Brasil.

Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal do Ceará. Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde (PPGES).

Edite Lago Silva Sena, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Jequié, BA, Brasil.

Doutorado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde (PPGES).

Referências

BANDEIRA, D. M. A.; SILVA, M. A.; VILELA, R. Q. B. Aprendizagem Baseada em Equipe. Revist. Port.: Saúde e Sociedade, v. 2, n. 1, p. 371-379, 2017. Disponível em: https://www.seer.ufal.br/index.php/nuspfamed/article/view/2707. Acesso em: 11 jun. 2018.

BOLLELA, V. R.; SENGER, M. H.; TOURINHO, F. S. V.; AMARAL E. Aprendizagem baseada em equipes: da teoria à prática. Medicina, Ribeirão Preto, v. 47, n. 3, p. 293-300, 2014. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/. Acesso em: 22 jul. 2018.

BORGES, M. C. et al. Aprendizado baseado em problemas. Medicina, Ribeiräo Preto, v. 47, n. 3, p. 301-307, jul./set. 2014. Disponível em: http://revista.fmrp.usp.br/2014/vol47n3/8_Aprendizado-baseado-em-problemas.pdf. Acesso em: 22 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Qualidade e segurança no cuidado ao paciente: caderno do curso. Laura Schiesari et al. São Paulo: Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa; Projetos de Apoio ao SUS, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Projeto aplicativo: termos de referência. Gilson Caleman et al. São Paulo: Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa; Projetos de Apoio ao SUS, 2016.

CEZAR, P. H. N.; GOMES, A. P.; SIQUEIRA-BATISTA, R. O cinema e a educação bioética no curso de graduação em Medicina. Rev. Bras. Educ. Med., v. 35, n. 1, p. 93-101, mar. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022011000100013&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 14 jul. 2018.

CHRISTOFOLETTI, G. Grau de satisfação discente frente à utilização de métodos ativos de aprendizagem em uma disciplina de Ética em saúde. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 188-197, 2014. Disponível em: http://www.reveduc.ufscar.br/index.php/reveduc/article/view/823/334. Acesso em: 18 out. 2019.

FERIGATO, S. H.; CARVALHO, S. R. Qualitative research, cartography and healthcare: connections. Interface – Comunic., Saúde, Educ., v. 15, n. 38, p. 663-75, jul./set. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v15n38/aop3411.pdf. Acesso em: 22 jul. 2018.

IGLESIAS, A. G.; PAZIN-FILHO, A. Aprendizado de adultos. Medicina, Ribeiräo Preto, v. 47, n. 3, p. 256-263, nov. 2014. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/86612/89542. Acesso em: 22 jul. 2018.

LEAL, L. B. et al. Método ativo problematizador como estratégia para formação em saúde. Rev. Enferm. UFPE [on-line], v. 12, n. 4, p. 1139-43, abr. 2018. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/231346/28700. Acesso em: 14 jul. 2018.

LIMA, V. V. Espiral construtivista: uma metodologia ativa de ensino-aprendizagem. Interface, Botucatu, v. 21, n. 61, p. 421-434, jun. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832017000200421&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 25 jul. 2017.

LIMBERGER, J. B. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem para educação farmacêutica: um relato de experiência. Interface, Botucatu, v. 17, n. 47, p. 969-975, dez. 2013. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414-32832013000400020&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 25 jan. 2016.

MARIN, M. J. S. et al. Aspectos das fortalezas e fragilidades no uso das metodologias ativas de aprendizagem. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v. 34, n. 1, p. 13-20, mar. 2010a. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022010000100003&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 04 out. 2020.

MARIN, M. J. S. et al. Portfólio reflexivo no curso de Medicina. Rev. Bras. Educ. Med., Rio de Janeiro, v. 34, n. 2, p. 191-198, 2010b. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v34n2/a02v34n2. Acesso em: 11 jun. 2018.

MESSIAS, I. M. O. et al. Relato de experiência: o filme como uma estratégia de ensino. Rev. Braz. J. of Develop., v. 5, n. 6, p. 4304-4317, jun. 2019. Disponível em: http://brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/1616/1491. Acesso em: 19 out. 2019.

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciênc. saúde coletiva, v. 13, n. Suppl. 2, p. 2133-2144, dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232008000900018&lng=en. Acesso em: 14 jul. 2018.

NASSIF, J. V.; CHIRELLI, M. Q. Processo de formação de professores para atuar em metodologias ativas. Investigação Qualitativa em Educação, v. 1, p. 223-232, 2018. Disponível em: https://proceedings.ciaiq.org/index.php/ciaiq2018/article/view/1644/1597. Acesso em: 18 out. 2019.

PARANHOS, V. D.; MENDES, M. M. R. Currículo por competência e metodologia ativa: percepção de estudantes de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 18, n. 1, 07 telas, jan./fev. 2010. Disponível em: www.eerp.usp.br/rlae. Acesso em: 12 jun. 2018.

PEDROSA, I. L. et al. Uso de metodologias ativas na formação técnica do agente comunitário de saúde. Trab. Educ. Saúde, v. 9, n. 2, p. 319-332, out. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S198177462011000200009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 25 jan. 2016.

REIS, C. T.; MARTINS, M.; LAGUARDIA, J. A segurança do paciente como dimensão da qualidade do cuidado de saúde: um olhar sobre a literatura. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, n. 7, p. 2029-2036, 2013. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csc/2013.v18n7/2029-2036. Acesso em: 12 jun. 2018.

SANTOS, K. C. B., et al. Metodologia da problematização com arco de Maguerez no centro cirúrgico oftalmológico de um hospital universitário. Rev. Ciência e Saberes, v. 4, n. 1, p. 884-888, jan./mar. 2018. Disponível em: http://www.facema.edu.br/ojs/index.php/ReOnFacema/article/view/337. Acesso em: 19 out 2019.

SILVA, A. P. S. S.; PEDRO, E. N. R. Autonomia no processo de construção do conhecimento de alunos de enfermagem: o chat educacional como ferramenta de ensino. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 18, n. 2, 08 telas, mar./abr. 2010. Disponível em www.eerp.usp.br/rlae. Acesso em: 14 jul. 2018.

SILVA, J. B. A Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel: uma análise das condições necessárias. Research, Society and Development, v. 9, n. 4, e09932803, 2020. Disponível em: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/2803/2116. Acesso em: 04 out. 2020.

TORRES, P. L.; TRINDADE, R.; CARNEIRO, V. B. Autonomia discente na universidade: metodologias ativas e a cibercultura. Rev. Teias, v. 20, n. 56, p. 171-187, jan./mar. 2019. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistateias/article/view/39666/28503. Acesso em: 18 out 2019.

Downloads

Publicado

2021-02-04

Como Citar

AMARAL, A. P. S.; BOERY, R. N. S. de O.; VILELA, A. B. A.; SENA, E. L. S. Metodologias ativas: relato de experiência da participação em curso de especialização na área da Saúde. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 11, p. 1–20, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.24129. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/24129. Acesso em: 25 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos