Biólogo ou professor de Biologia?

A formação de licenciados em Ciências Biológicas no Brasil

  • Lia Maris Orth Ritter Antiqueira Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Ponta Grossa, PR, Brasil. http://orcid.org/0000-0001-8453-0751
Palavras-chave: Ensino Superior, Identidade profissional, Licenciatura

Resumo

Discute-se aqui a formação de licenciados em Ciências Biológicas nas universidades brasileiras. Muitas vezes os cursos de Licenciatura não valorizam a carreira docente e contribuem para que não se fortaleça a identidade do professor de Biologia. Diversas instituições de ensino superior propõem em seus projetos de curso a formação de biólogos que poderão também ser professores, quando, na verdade, deveriam priorizar a formação docente, que será a carreira profissional abraçada pela grande maioria dos egressos. Essa prática é comumente chamada de “bacharelização” dos cursos de Licenciatura e ocorre com frequência, contribuindo para a desvalorização da carreira docente e desmotivação dos alunos que optam por essa graduação. É urgente e necessário fortalecer a identidade desses cursos e de seus docentes, de forma que compreendam sua função no processo de formação de professores de Biologia e não de biólogos que dão aula.

Biografia do Autor

Lia Maris Orth Ritter Antiqueira, Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Ponta Grossa, PR, Brasil.

Licenciada em Ciências Biológicas, mestre em Gestão do Território, doutora em Ciências e pós-doutora em Ciências Florestais e Genética. Docente e coordenadora dos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas e Licenciatura em Ciências Naturais da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Câmpus Ponta Grossa.

Referências

BRASIL. Senado Federal. Lei no 6.684, de 3 de setembro de 1979. Institui a profissão de Biólogo, Biomédico e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 3 de setembro, 1979. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/1970-1979/L6684.htm>. Acesso em: 13 maio 2018.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES nº1.301, de 6 de novembro de 2001. Diretrizes Curriculares para os Cursos de Ciências Biológicas.Diário Oficial da União, Brasília, 6 de novembro, 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1301.pdf>. Acesso em: 13 maio 2018.

CASTRO, Sinaida Maria Vasconcelos; BRANDÃO, Zaia; NASCIMENTO, Ivany Pinto. Biólogo ou professor de Biologia: um estudo entre estudantes do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE. 10., Curitiba, 2011. Anais... Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2011. Disponível em: <http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2011/6436_3814.pdf>. Acesso em: 13 maio 2018.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. O que professores de um curso de licenciatura pensam sobre ensino? Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 30, p. 107-113, 1998.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. O ovo ou a galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 92, n. 230, 2011.

GATTI, Bernardete (org.). Atratividade da Carreira Docente no Brasil. São Paulo: FGV, 2009. Disponível em: <http://www.zerohora.com.br/pdf/15141177.pdf>. Acesso em: 13 maio 2018.

GONÇALVES, Tadeu Oliver; GONÇALVES, Terezinha Valim Oliver. Reflexões sobre uma Prática Docente Situada: Buscando novas Perspectivas para a Formação de Professores. In: GERALDI, Corinta Maria Grisola; FIORENTINI, Dario; PEREIRA, Elisabete Monteiro de Aguiar (org.). Cartografias do trabalho docente: professor(a) – pesquisador(a). Campinas: Mercado de Letras, 1998.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para que? 12. Ed. São Paulo: Editora Cortez, 2010. 208 p.

NÓVOA, Antônio. Desafios do trabalho do professor no mundo contemporâneo. Palestra proferida no Sindicato dos Professores de São Paulo. São Paulo, 2006. Disponível em: <http://www.sinprosp.org.br/arquivos/novoa/livreto_novoa.pdf>. Acesso em: 13 maio 2018.

SÁ, Carmem Silvia da Silva; SANTOS, Wildson Luis Pereira dos. Constituição de identidades em um curso de licenciatura em Química. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 22, n. 69, abr./jun. 2017. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v22n69/1413-2478-rbedu-22-69-0315.pdf>. Acesso em: 13 maio 2018.

SILVA, José Roberto Feitosa. Documentos legais para a formação profissional: é possível fazer emergir o professor de Ciências e Biologia? Revista de Ensino de Biologia da SBENBio, v. 8, p. 4-14, 2015. Disponível em: <http://www.sbenbio.org.br/wordpress/wp-content/uploads/2016/07/Renbio-numero-8-sem-capa-FINAL.pdf>. Acesso em: 13 maio 2018.

Publicado
2018-12-10
Como Citar
ANTIQUEIRA, L. M. O. R. Biólogo ou professor de Biologia?. Revista Docência do Ensino Superior, v. 8, n. 2, p. 280-287, 10 dez. 2018.
Seção
Artigos de opinião