Desempenho da gestão organizacional dos serviços hospitalares no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2023.38538

Palavras-chave:

Avaliação em Saúde, Programas Nacionais de Saúde, Administração de Serviços de Saúde, Administração Hospitalar, Gestão em Saúde

Resumo

Objetivo: avaliar o Desempenho da Gestão Organizacional dos Serviços Hospitalares no Brasil. Método: estudo transversal que utilizou dados do Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde-PNASS 2015-2016 para avaliar o Desempenho da Gestão Organizacional de 1.665 hospitais do Brasil. Foram utilizados 30 itens de verificação distribuídos em 5 critérios (Gestão de Contratos; Gestão de Pessoas; Gestão da Informação; Planejamento e Organização; e Modelo Organizacional), que compuseram um escore de avaliação. O desempenho foi avaliado segundo os indicadores: porte hospitalar; nível de complexidade; esfera administrativa; tipo de gestão; e região do país. Verificou-se associação entre Desempenho da Gestão Organizacional dos hospitais com os indicadores Taxa de Ocupação, Média de Permanência e Valor Médio da AIH. Utilizou-se Análise de Componentes Principais para verificar a relação de dependência entre as variáveis e explicar a variabilidade dos dados. Foi utilizado o modelo de regressão logística ajustado para verificar variáveis que melhor explicam o Desempenho da Gestão Organizacional. Resultados: a média de Desempenho da Gestão Organizacional dos hospitais foi 63,83. Os melhores desempenhos estão nos hospitais da região Sul, de nível de Complexidade 8, acima de 150 leitos, de Esfera Administrativa Público Federal e de Gestão Estadual. Na análise de regressão logística, o desempenho se mostrou associado com: Taxa de Ocupação (p<9.87E-09), Porte hospitalar (p<4.49E-10), gestão municipal (p<0.004), Nível Hierárquico Nível 7 (p<0.042), Nível 8 (p<0.022) região Sul (p<0.004), Sudeste (p<0.002). Conclusão: o PNASS se mostrou adequado para avaliar o desempenho da gestão dos hospitais, sendo constatada relação entre melhor desempenho e maior porte e complexidade do hospital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº. 3.390 de 30 de dezembro de 2013. Institui a Política Nacional de Atenção Hospitalar (PNHOSP) no âmbito do SUS, estabelecendo-se as diretrizes para a organização do componente hospitalar da Rede de Atenção à Saúde. Diário Oficial da União: seção 1 [Internet]. 30 de jun. 2013[citado em 16 jun. 2021]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt3390_30_12_2013.html. Acesso em: 14 jun. 2020.

Felisberto E, Freese E, Natal S, Alves CK. Contribuindo com a institucionalização da avaliação em saúde: uma proposta de auto-avaliação. Cad Saúde Pública [Internet]. 2008[citado em 2022 fev. 22];24(9):2091-102. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/7SxM8SGZL8JJSsKNDSpyHcf/?lang=pt

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº. 382, de 10 de março de 2005. Institui o Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde - PNASS e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1 [Internet]. 2005[citado em 2021 jun. 14]. Disponível em: https://www.normasbrasil.com.br/norma/portaria-382-2005_192166.html

Ministério da Saúde (BR). Secretaria-Executiva, Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas. PNASS: Programa Nacional de Avaliação de Serviços de Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2015[citado em 2021 jun. 10]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pnass_programa_nacional_avaliacao_servicos.pdf

Schultz G. Introdução à gestão de organizações. Porto Alegre: UFRGS; 2016.

Timm NH. Applied Multivariate Analysis. New York: Springer; 2002.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº. 3.410 de 30 de dezembro de 2013. Estabelece as diretrizes para a contratualização de hospitais no âmbito do SUS, em consonância com Política Nacional de Atenção Hospitalar (PNHOSP). Diário Oficial da União: seção 1 [Internet]. 2013[citado em 2022 ago. 14]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt3410_30_12_2013.html

Liberatti VM, Pedro DR, Costa RG, Pissinati PD, Marcon SS, Haddad MD. Percepção de gestores, prestadores e auditores sobre a contratualização no Sistema Único de Saúde. Trab Educ Saúde [Internet]. 2020[citado em 2022 jan.22];18(3). Disponível em: https://www.scielo.br/j/tes/a/N36GKJZG8rkQyT5WnwmJB4p/?lang=pt

Borba VR. Do planejamento ao controle de gestão hospitalar. Rio de Janeiro: QualityMark; 2006.

Silva CL, Assis L. Aplicabilidade do Planejamento Estratégico em Hospitais Universitários Federais. Rev Gest Sist Saúde [Internet]. 2016[citado em 2021 dez. 13];5(2):39-56. Disponível em: https://doi.org/10.5585/rgss.v5i2.257

Moraes RC. Controladoria e planejamento orçamentário em organizações hospitalares: um estudo empírico. Congresso Brasileiro de Custos-ABC São Lourenço; 2007 [citado em 2022 fev. 2] Disponível em: https://anaiscbc.emnuvens.com.br/anais/article/view/1573

Associação Nacional de Hospitais Privados. Observatório Anahp. São Paulo: Anahp; 2018.

Abrahão AL. Colegiado gestor: uma análise das possibilidades de autogestão em um hospital público. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2008[citado em 2022 fev. 8];13(1):95-102. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/qVtH3TDZpcCL5M8ChxYHXNM/?lang=pt

Pelissari MR. CNES como instrumento de gestão e sua importância no planejamento das ações em saúde. Rev Saúde Pública [Internet]. 2019[citado em 2021 mar. 30];2(1):159-65. Disponível em: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/210

Chaves LA, Malta DC, Jorge AD, Reis IA, Tofoli GB, Machado LF, et al. Programa Nacional de Avaliação dos Serviços de Saúde (PNASS) 2015-2016: uma análise sobre os hospitais no Brasil. Rev Bras Epidemiol. [Internet]. 2021[citado em 2022 maio 16];24. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbepid/a/YjGx8RCSJgcnJJ8dzZYjvbd/?lang=pt

Ito N. A relação dos recursos REHUF e a estrutura física hospitalar existente nos hospitais universitários federais no período de 2010 a 2014 [monografia]. Brasília: Universidade de Brasília; 2016.

Soares VS. Análise dos Núcleos Internos de Regulação hospitalares de uma capital. Einstein (São Paulo). [Internet]. 2017[citado em 2021 dez. 13];15:339-43. Disponível em: https://www.scielo.br/j/eins/a/cGpxb6rjHyZzSpMypttnSJG/?lang=pt&format=pdf

Machado DC, Machado ACA. A otimização do processo de gerenciamento de leitos e alta hospitalar. Saúde Colet. [Internet]. 2019[citado em 2022 fev. 10];9(50):1866-72. Disponível em: http://revistasaudecoletiva.com.br/revista/ed50/pg183.pdf

Raffa C, Malik AM, Pinochet LH. O desafio de mapear variáveis na gestão de leitos em organizações hospitalares privadas. Rev Gest Sist Saúde [Internet]. 2017[citado em 2022 jan. 30];6(2):124-41. Disponível em: http://www.revistargss.org.br/ojs/index.php/rgss/article/view/298

Zunta RS, Lima AF. Processo de auditoria e faturamento de contas em hospital geral privado: um estudo de caso. Rev Eletrônica Enferm. [Internet]. 2017[citado em 2022 jan. 18];19. Disponível em: https://www.revistas.ufg.br/fen/article/view/42082

Almeida Botega L, Andrade MV, Guedes GR. Eficiência hospitalar em Minas Gerais: Data Envelopment Analysis (DEA). Anais do Encontro Nacional de Estudos Populacionais; 2019. São Paulo: ABEP; 2019.

Chen A, Hwang Y, Shao B. Measurement and sources of overall and input inefficiencies: evidences and implications in hospital services. Eur J Oper Res [Internet]. 2005[citado em 2022 fev. 21];161(2):447-68. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0377221703007021?via%3Dihub

La Forgia GM, Couttolene BF. Desempenho hospitalar no Brasil: em busca da excelência. São Paulo: Singular; 2009.

Arquivos adicionais

Publicado

22-03-2023

Como Citar

1.
Machado LF da S, Malta DC, Jorge A de O. Desempenho da gestão organizacional dos serviços hospitalares no Brasil . REME Rev Min Enferm. [Internet]. 22º de março de 2023 [citado 29º de fevereiro de 2024];27. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/38538

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 > >>