Prática colaborativa na Estratégia Saúde da Família

Expressões, possibilidades e desafios para produção do cuidado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.40294

Palavras-chave:

Prática Profissional, Estratégia Saúde da Família, Equipe de Assistência ao Paciente, Comportamento Cooperativo, Atenção Primária à Saúde, Colaboração Intersetorial

Resumo

Objetivo: compreender a configuração da Prática Colaborativa no contexto da Estratégia Saúde da Família. Método: trata-se de um estudo de caso único, de natureza qualitativa, realizado com trinta e cinco profissionais das equipes de saúde da família. A coleta de dados ocorreu por meio de entrevistas, guiadas por roteiro semiestruturado e observação não participante. Os dados foram analisados por meio de Análise de Conteúdo Temática. Resultados: os resultados evidenciaram potencialidades da prática colaborativa para a qualificação das práticas profissionais e dos resultados de saúde, no contexto da ESF. Entretanto observou-se insuficiência de dispositivos organizacionais para apoiar o trabalho compartilhado na ESF, desafio a ser superado, inclusive no que tange às políticas públicas, revelando o chamamento para a educação interprofissional no contexto dos serviços de saúde para estimular a colaboração. Conclusão: a configuração da Prática Colaborativa interprofissional no contexto da Estratégica Saúde da Família é desafiadora e requer processos interacionais e da organização do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

World Health Organization. Interprofessional collaborative practice in primary health care: nursing and midwifery perspectives: six case studies. Hum Res Health Obs. 2013[citado em 2022 mar. 22]. Disponível em: http://www.atbh.org/documents/IPE_SixCaseStudies.pdf

World Health Organization. Framework for action on interprofissional education and collaborative practice. Geneva: WHO; 2010[citado em 2020 out. 03]. Disponível em: http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/70185/1/ WHO_HRH_HPN_10.3_eng.pdf?ua=1

Peduzzi M, Ageli HF. Teamwork and collaborative practice in Primary Health Care. Interface (Botucatu). 2018[citado em 2020 jun. 16];22(2):1525-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832018000601525&lng=en

Facchini LA, Tomasi E, Dilélio AS. Quality of Primary Health Care in Brazil: advances, challenges and perspectives. Saúde Debate. 2018[citado em 2020 out. 19];42(spe1): 208-23. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042018000500208&lng=en

Ministério da Saúde (BR). National Primary Care Policy. Ordinance nº 2.436, of September 21, 2017 Approves the National Primary Care Policy, establishing the revision of guidelines for organization of Primary Care, within the scope of the Unified Health System (SUS). Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2017[citado em 2020 jun. 30]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html

Matuda CG, Pinto NRS, Martins CL, Frasão P. Interprofessional collaboration in the Family Health Strategy: implications for the provision of care and work management. Ciênc Saúde Colet. 2015[citado em 2020 ago. 19];20(8):2511-21. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csc/v20n8/1413-8123-csc-20-08-2511.pdf

Peruzzo HE, Bega AG, Lopes APAT, Haddad MCFL, Perez AM, Marcon SS, et al. The challenges of team work in the family health strategy. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2018[citado em 2022 ago. 18];22(4):e20170372. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452018000400205&lng=en

Lima VV, Ribeiro ECO, Padilha RQ, Mourthé Jr CA. Desafios na educação de profissionais de Saúde: uma abordagem interdisciplinar e interprofissional. Interface Comunic Saúde Educ. 2018[citado em 2022 maio 02]:22(Suppl 2):1549-62. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0722

Minayo MCS. Sampling and saturation in qualitative research: consensuses and controversies. Rev Pesq Qualitativa. 2017[citado em 2020 jul. 07];5(7):1-12. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/index.php/rpq/article/view/82/59

Yin RK. Case Study. Panning and Methods. 5ªed. Porto Alegre, RS (BR): Bookman; 2015.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2016.

Brito MJM, Caram CS, Montenegro LC, Rezende LC, Renno HMS, Ramos FRS. Potentialities of Atlas.ti for data analysis in qualitative research in Nursing. In: Costa AP, Reis LP, Sousa FN, Lamas AMD. Computer supported qualitative research. Switzerland: Springer International Publishing Switzerland; 2016. p.71-84.

Jacowski M, Budal AMB,Lemos DS, Ditterich RG, Buffon MCM, Mazza VA. Trabalho em equipe: percepção dos profissionais da estratégia de saúde da família. Rev Baiana Enferm. 2016[citado em 2020 ago. 20];20(2):1-9. Disponível em: doi: 10.18471/rbe.v30i2.15145

Reeves S, Pelone F, Harrison R, Goldman J, Zwarenstein M. Interprofessional collaboration to improve professional practice and healthcare outcomes. Cochrane Database of Systematic Reviews. 2017[citado em 2022 jan. 12]; CD000072. Disponível em: 10.1002/14651858.CD000072

Rezende LC, Caram CS, Caçador BS, Brito MJM. Nurses’ practice in quilombola communities: an interface between cultural and political competence. Rev Bras Enferm. 2019[citado em 2020 ago. 29];73(5):e20190433. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672020000500181&lng=en

Oliveira KS, Baduy RS, Melchior R. O encontro entre o Núcleo de Apoio à Saúde da Família e as equipes de Saúde da Família: a produção de um coletivo cuidador. Physis. 2019[citado em 2020 ago. 21];29(4):e290403. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-733120192904

Arruda LS, Moreira COF. Colaboração interprofissional: um estudo de caso sobre os profissionais do Núcleo de Atenção ao Idoso da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (NAI/UERJ), Brasil. Interface (Botucatu). 2018[citado em 2020 ago. 21];22(64):199-210. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832018000100199&lng=en&nrm=iso

Caram CS, Rezende LC, Brito MJM. Prática colaborativa: potencialidades e desafios para o enfermeiro no contexto hospitalar. REME - Rev Min Enferm. 2017[citado em 15 ago 2020];21:e-1070. Disponível em: https://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1208

LaMothe J, Hendricks S, Halstead J, Taylor J, Lee E, Pike C, Ofner S. Developing interprofessional collaborative practice competencies in rural primary health care teams. Nurs Outlook. 2021[citado em 2022 mar. 22];69(3):447-57. Disponível em: 10.1016/j.outlook.2020.12.00

Wei H, Corbett RW, Ray J, Wei TL. A culture of caring: the essence of healthcare interprofessional collaboration. J Interprof Care. 2020[citado em 2022 mar. 22];34(3):324-31. Disponível em: 10.1080/13561820.2019.1641476

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.979, de 12 de novembro de 2019. Institui o Programa Previne Brasil, que estabelece novo modelo de financiamento de custeio da Atenção Primária à Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União 2019; 13 nov. Brasília: MS; 2019.

McNaughton SM, Flood B, Morgan CJ, Saravanakumar P. Existing models of interprofessional collaborative practice in primary healthcare: a scoping review. J Interprof Care. 2021[ citado em 2022 mar. 04];35(6):940-52. Disponível em: 10.1080/13561820.2020.1830048

Hendricks S, LaMothe VJ, Halstead JA, Taylor J, Ofner S, Chase L, et al. Fostering interprofessional collaborative practice in acute care through an academic-practice partnership. J Interprof Care. 2018[citado em 2022 mar. 22];32(5):613-20. Disponível em: 10.1080/13561820.2018.1470498.

Goldsberry JW. Advanced practice nurses leading the way: interprofessional collaboration. Nurse Educ Today. 2018[citado em 2022 mar. 22];65:1-3. Disponível em: 10.1016/j.nedt.2018.02.024.

Arquivos adicionais

Publicado

30-08-2022

Como Citar

1.
Ferraz CM de LC, Vilela G de S, Dionízio ACS, Caram C da S, Rezende LC, Brito MJM. Prática colaborativa na Estratégia Saúde da Família: Expressões, possibilidades e desafios para produção do cuidado. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 30º de agosto de 2022 [citado 4º de fevereiro de 2023];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/40294

Edição

Seção

Pesquisa