A velocidade da marcha e ocorrência de quedas em idosos longevos

Autores

  • Maria Helena Lenardt Universidade Federal do Paraná, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação, Curitiba PR , Brazil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação. Curitiba, PR – Brasil http://orcid.org/0000-0001-8309-4003
  • Larissa Sayuri Setoguchi Universidade Federal do Paraná, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação, Curitiba PR , Brazil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação. Curitiba, PR – Brasil http://orcid.org/0000-0002-3794-8482
  • Susanne Elero Betiolli Universidade Federal do Paraná, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação, Curitiba PR , Brazil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação. Curitiba, PR – Brasil http://orcid.org/0000-0003-4469-4473
  • Clóris Regina Blanski Grden Universidade Estadual de Ponta Grossa, Departamento de Enfermagem, Ponta Grossa PR , Brazil, Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG, Departamento de Enfermagem. Ponta Grossa, PR – Brasil http://orcid.org/0000-0001-6169-8826
  • Jacy Aurélia Vieira de-Sousa Universidade Estadual de Ponta Grossa, Departamento de Enfermagem, Ponta Grossa PR , Brazil, Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG, Departamento de Enfermagem. Ponta Grossa, PR – Brasil http://orcid.org/0000-0001-8390-5785
  • Tânia Maria Lourenço Universidade Federal do Paraná, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação, Curitiba PR , Brazil, Universidade Federal do Paraná – UFPR, Departamento de Enfermagem, Programa de Pós-Graduação. Curitiba, PR – Brasil http://orcid.org/0000-0002-1696-0626

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49778

Palavras-chave:

Marcha, Idoso de 80 Anos ou mais, Idoso Fragilizado, Acidentes por Quedas, Enfermagem Geriátrica

Resumo

OBJETIVO: analisar a relação entre a velocidade da marcha e a ocorrência de quedas em idosos longevos. MÉTODO: estudo transversal realizado com 243 idosos longevos (≥80 anos), usuários da atenção primária à saúde. A coleta de dados ocorreu nos domicílios dos participantes, mediante aplicação de questionário sociodemográfico e clínico e teste de velocidade da marcha. Realizaram-se análises descritivas e teste de associação entre variáveis (qui-quadrado), consideraram-se os valores de p≤0,05 estatisticamente significativos. RESULTADOS: dos 243 longevos, 111 (45,7%) relataram quedas nos últimos 12 meses, 50 (20,6%) velocidade da marcha reduzida e, destes, 30 (60%) caíram no último ano. Entre os idosos com velocidade da marcha reduzida, houve predomínio do sexo feminino (n=33; 66%) e média de idade 86,24 anos (±4,64). A velocidade da marcha reduzida mostrou associação significativa com a ocorrência de quedas nos últimos 12 meses (p=0,023). CONCLUSÃO: a redução da velocidade da marcha em longevos mostra relação ao episódio de quedas, o qual esteve presente em mais da metade dos longevos com velocidade da marcha reduzida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Perera S, Patel KV, Rosano C, Rubin SM, Satterfield S, Harris T, et al. Gait speed predicts incident disability: a pooled analysis. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2016[citado em 2018 maio 09];71(1):63-71. Disponível em: https://goo.gl/UUQh1m

Fried LP, Tangen CM, Walston J, Newman AB, Hirsch C, Gottdiener J, Seeman T, et al. Frailty in older adults: evidence for a phenotype. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2001[citado em 2018 maio 09];56(3):M146-56. Disponível em: https://goo.gl/yPJKhc

Fhon JRS, Rosset I, Freitas CP, Silva AO, Santos JLF, Rodrigues RAP. Prevalência de quedas de idosos em situação de fragilidade. Rev Saúde Publica. 2013[citado em 2018 maio 09];47(2):266-73. Disponível em: https://goo.gl/djZJKb

Hong C, Won CW, Kim BS, Choi H, Kim S, Choi SE, et al. Gait speed cut-off point as a predictor of fall in community-dwelling older adults: threeyearprospective finding from living profiles of elderly people surveys in Korea. Korean J Fam Pract. 2016[citado em 2018 maio 09];6(2):105-10. Disponível em: https://goo.gl/TSp78A

Organização Mundial da Saúde (OMS). Relatorio global da OMS sobre prevenção de quedas na velhice. São Paulo: Secretaria de Estado da Saúde; 2010. [citado em 2018 maio 09]. Disponível em: https://goo.gl/S3xyM1

Bez JPO, Neri AL. Velocidade da marcha, força de preensão e saúde percebida em idosos: dados da rede FIBRA Campinas, São Paulo, Brasil. Cienc Saúde Colet. 2014[citado em 2018 maio 09];19(8):3343-53. Disponível em: https://goo.gl/KM7zSi

Smith AA, Silva AO, Rodrigues RAP, Moreira MASP, Nogueira JA, Tura LFR. Avaliação do risco de quedas em idosos residentes em domicilio. Ver Latino-Am Enferm. 2017[citado em 2018 maio 09];25:e2754. Disponível em: https://goo.gl/oQR2Xo

Ferretti F, Lunardi D, Bruschi L. Causas e consequências de quedas de idosos em domicilio. Fisioter Mov Curitiba. 2013[citado em 2018 maio 09];26(4):753-62. Disponível em: https://goo.gl/ExqvFq

Oliveira GG, Neves BB, Jorge LB, Neris JCD, Rauber BR, Caberlon IC, et al. Diferenças na gravidade da queda entre idosos jovens e longevos. Pan Am J Aging Res. 2016[citado em 2018 maio 09];4(2):54-9. Disponível em: https://goo.gl/DxjGnh

Folstein MF, Folstein SE, McHugh PR. Mini-mental state: a practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. J Psychiatr Res. 1975[citado em 2018 maio 09];12(3):189-98. Disponível em: https://goo.gl/Gkyg81

Bertolucci PHF, Brucki SMD, Campacci SR, Juliano Y. The mini-mental state examination in a general population: impact of educational status. Arq Neuro-Psiquiatr. 1994[citado em 2018 maio 09];52(1):1-7. Disponível em: https://goo.gl/1fYzH1

Studenski S, Perera S, Patel K, Rosano C, Faulkner K, Inzitari M, et al. Gait speed and survival in older adults. JAMA. 2011[citado em 2018 maio 09];305(1):50-8. Disponível em: https://goo.gl/HVWiYa

Thaler-Kall K, Peters A, Thorand B, Grill E, Autenrieth C, Horsch A, et al. Description of spatio-temporal gait parameters in elderly people and their association with history of falls: results of the population-based cross-sectional KORA-Age study. BMC Geriatr. 2015[citado em 2018 maio 09];15:32. Disponível em: https://goo.gl/vQatxz

Svoboda Z, Bizovska L, Janura M, Kubonova E, Janurova K, Vuillerme N. Variability of spatial temporal gait parameters and center of pressure displacements during gait in elderly fallers and nonfallers: a 6-month prospective study. PLos ONE. 2017[citado em 2018 maio 09];12(2):e0171997. Disponível em: https://goo.gl/sQWjPR

Quach L, Galica AM, Jones RN, Procter-Gray E, Manor B, Hannan MT, et al. The Non-linear relationship between gait speed and falls: the mobilize boston study. J Am Geriatr Soc. 2011[citado em 2018 mai. 09];59(6):1069-73. Disponível em: https://goo.gl/LpTNzD

Viccaro LJ, Perera S, Studenski SA. Is timed up and go better than gait speed in predicting health, function, and falls in older adults? J Am Geriat Soc. 2011[citado em 2018 maio 09]; 59(5):887-92. Disponível em: https://goo.gl/XF5byt

Samah ZA, Nordin NAM, Shahar S, Singh DKA. Can gait speed test be used as a falls risk screening tool in community dwelling older adults? Review Pol Ann Med. 2015[citado em 2018 maio 09];23(1):61-7. Disponível em: https://goo.gl/Ev1BdT

Shimada H, Kim H, Yoshida H, Suzukawa M, Makizako H, Yoshida Y, et al. Relationship between age-associated changes of gait and falls and life-space in elderly people. J Phys Ther Sci. 2010[citado em 2018 maio 09];22(4):419-24. Disponível em: https://goo.gl/XeR1bv

Caetano MJD, Lord SR, Schoene D, Pelicioni PHS, Sturnieks Dl, Menant JC. Age-related changes in gait adaptability in response to unpredictable obstacles and stepping targets. Gait Posture. 2016[citado em 2018 maio 09];46:35-41. Disponível em: https://goo.gl/VPrcw9

Moreira MA, Oliveira BS, Moura KQ, Tapajos DM, Maciel ACC. A velocidade da marcha pode identificar idosos com medo de cair? Rev Bras Geriatr Gerontol. 2013[citado em 2018 maio 09];16(1):71-80. Disponível em: https://goo.gl/6YRroo

Moreira BS, Sampaio RF, Kirkwood RN. Spatiotemporal gait parameters and recurrent falls in community-dwelling elderly women: a prospective study. Braz J Phys Ther. 2015[citado em 2018 maio 09];19(1):61-9. Disponível em: https://goo.gl/XnFGBr

Gomes GAO, Cintra FA, Batista FS, Neri AL, Guariento ME, Sousa MLR, et al. Elderly outpatient profile and predictors of falls. São Paulo Med J. 2013[citado em 2018 maio 09]; 131(1):13-8. Disponível em: https://goo.gl/8iUr5y

Rossetin LL, Rodrigues EV, Gallo LH, Macedo DS, Schieferdecker MEM, Pintarelli VL, et al. Indicadores de sarcopenia e sua relação com fatores intrinsecos e extrinsecos as quedas em idosas ativas. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2016[citado em 2018 maio 09];19(3):399-414. Disponível em: https://goo.gl/9uPVSy

Cebolla EC, Rodacki ALF, Bento PCB. Balance, gait, functionality and strength: comparison between elderly fallers and non-fallers. Braz J Phys Ther. 2015[citado em 2018 maio 09];19(2):146-51. Disponível em: https://goo.gl/L7xYaY

Publicado

07-10-2019

Como Citar

1.
Lenardt MH, Setoguchi LS, Betiolli SE, Grden CRB, de-Sousa JAV, Lourenço TM. A velocidade da marcha e ocorrência de quedas em idosos longevos. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 7º de outubro de 2019 [citado 27º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49778

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)