Quando cuidar do corpo não é suficiente: a dimensão emocional do cuidado de enfermagem

Autores

  • Priscila de Vasconcelos Monteiro Universidade Estadual do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde, Fortaleza CE , Brazil, Enfermeira. Doutoranda. Universidade Estadual do Ceará - UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Fortaleza, CE - Brasil, Universidade Estadual do Ceará
  • Arisa Nara Saldanha de Almeida Universidade Estadual do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde, Fortaleza CE , Brazil, Enfermeira. Doutoranda. Universidade Estadual do Ceará - UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Fortaleza, CE - Brasil, Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Lúcia Duarte Pereira UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde, Fortaleza CE , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta, Nível L.UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Fortaleza, CE - Brasil, Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Célia de Freitas UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde, Fortaleza CE , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem Fundamental. Professora titular. UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Fortaleza, CE - Brasil, Universidade Estadual do Ceará
  • Maria Vilani Cavalcante Guedes UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde, Fortaleza CE , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta, Nível M. UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Fortaleza, CE - Brasil, Universidade Estadual do Ceará
  • Lúcia de Fátima da Silva UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde, Fortaleza CE , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta, Nível M. UECE, Programa de Pós-Graduação em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Fortaleza, CE - Brasil, Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2016.50041

Palavras-chave:

Enfermagem, Cuidados de Enfermagem, Teoria de Enfermagem

Resumo

O cuidado de enfermagem é tema central da prática e pesquisa em enfermagem. Tem sido desenvolvido e aperfeiçoado ao longo do tempo por meio de teorias capazes de direcionar as ações do enfermeiro. Objetivou-se discutir a dimensão emocional do cuidado de enfermagem a partir das teorias de enfermagem, da dimensão emocional do cuidado de enfermagem e do trabalho emocional do enfermeiro. As teorias de enfermagem indicam o aspecto emocional ou subjetivo do cuidado e reconhecem nesses valores o maior mérito do agir profissional. A enfermagem, como ciência do cuidar, não pode permanecer indiferente às emoções humanas, pois o processo de cuidar é relacional. As emoções estão sempre presentes nas relações de cuidado e conferem humanidade às ações de enfermagem. O trabalho emocional se faz necessário no cotidiano do enfermeiro, pois ao mesmo tempo em que este precisa se aproximar do indivíduo para cuidar, deve se proteger de emoções negativas que interferem em seu equilíbrio emocional ou na qualidade da assistência. Concluiu-se que a dimensão emocional do cuidado de enfermagem perpassa por diversas esferas do trabalho do enfermeiro e recruta habilidades como sensibilidade, empatia, profissionalismo e gerenciamento de emoções.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Waldow VR. Bases e princípios do conhecimento e da arte da enfermagem. Petrópolis: Vozes; 2008.

Doengens ME, Moorhouse MF, Murr AC. Diagnósticos de enfermagem: intervenções, prioridades, fundamentos. 12ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2011.

Sousa LB, Torres CA, Pinheiro PNC, Pinheiro AKB. Práticas de educação em saúde. Rev Enferm UERJ. 2010[citado em 2015 jun. 18]; 18(1):55-60. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v18n1/v18n1a10.pdf

Williams A. Hochschild (2003) - the managed heart: the recognition of emotional labour in public service work. Nurse Educ Today. 2013[citado em 2015 jun. 18]; 33(1):5-7. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0260691712002389 DOI: doi: 10.1016/j.nedt.2012.07.006.

Peplau HE. Relaciones interpersonales em enfermería: um marco de referencia conceptual para La enfermería psicodinâmica. Barcelona: Masson-Salvat; 1990.

Watson J. Human caring science: a theory of nursing. 2nd ed. Sudbury (MA): Jones and Bartlett Learning; 2012.

Alligood MR. Nursing theorists and their work. 8th ed. St. Louis: Mosby; 2014.

Araújo MMT, Silva MJP. O conhecimento de estratégias de comunicação no atendimento à dimensão emocional em cuidados paliativos. Texto Contexto Enferm. 2012[citado em 2015 jun. 18];21(1):121-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-07072012000100014&script=sci_arttext DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072012000100014

Monteiro PV, Pereira MLD, Monteiro ARM, Silva LF, Guedes MVC, Ferreira FDW. Atenção às necessidades humanas básicas do indivíduo com AIDS. Cogitare Enferm. 2014[citado em 2015 jun. 18];19(2):299-303. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/cogitare/article/view/29902/22752

Cesar CM. A noção de cuidado em Paul Ricoeur. In: Trasferetti JA, Zacharias R. Ser e cuidar: da ética do cuidado ao cuidado da ética. Aparecida (SP): Santuário; 2010. p.79-87.

Diogo P, Rodrigues L. O trabalho emocional: reflexão e investigação em cuidados de enfermagem. Pensar Enferm. 2012[citado em 2015 jun. 18];16(1):62-71. Disponível em: http://pensarenfermagem.esel.pt/files/PE16-2_Artigo4_62-71(1).pdf

Diogo P. O trabalho emocional em Enfermagem como foco de investigação e reflexão. SalutisScientia. 2012[citado em 2015 jun. 18];4:2-9. Disponível em: http://www.salutisscientia.esscvp.eu/Site/Artigo.aspx?artigoid=30937

Huynh T, Alderson M, Nadon M, Kershaw-Rousseau S. Voices that care: licensed practical nurses and the emotional labour underpinning their collaborative interactions with registered nurses. Nurs Res Pract. 2011[citado em 2015 jun. 18];2011:1-10. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3205919/ DOI: http://dx.doi.org/10.1155/2011/501790

Publicado

04-05-2017

Como Citar

1.
Monteiro P de V, Almeida ANS de, Pereira MLD, Freitas MC de, Guedes MVC, Silva L de F da. Quando cuidar do corpo não é suficiente: a dimensão emocional do cuidado de enfermagem. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 4º de maio de 2017 [citado 24º de junho de 2024];20(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/50041

Edição

Seção

Artigo de Reflexao

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.