As eleições de 2018:

uma interpretação a partir de Bobbio

Palavras-chave: eleições 2018, política, ideologia, guerra, Bobbio

Resumo

O artigo utiliza a perspectiva do acirrado conflito ideológico durante a eleição de 2018 para discutir a figura do Estado Democrático de Direito através de um contexto, não de divisão e conflito, mas, de unidade política em volta da própria ideia de conflito e da interpretação da eleição como guerra pelo poder e pelo futuro do país. Tangencialmente, é realizada uma breve crítica ao uso cada vez mais comum de princípios metajurídicos para determinar o caráter democrático de um governo, uma vez que a ideia de democracia está umbilicalmente conectada ao Direito Constitucional moderno.   Para tanto, são adotados alguns conceitos apresentados na obra As Ideologias e o Poder em crise de Norberto Bobbio, em conjunto com ideias de outros autores renomados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Matheus Bento Costa, Mackenzie

Advogado. Bacharel em Direito e Mestre em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Membro do Grupo de Estudos Família e Felicidade (GEFam/Mackenzie). Membro dos Grupos de Pesquisa Políticas Públicas como instrumento de efetivação da Cidadania e Os Parlamentos Latino-Americanos (Mackenzie).

Referências

ARENDT, Hannah. “Da Violência”, em: ______. Crises da República. Tradução: José Volkmann. 3. ed. São Paulo: Perspectiva, 2017. (Debates; 85 / dirigida por J. Guinsburg).

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. Tradução: Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. Tradução: João Ferreira de Almeida. 2. ed. Barueri: Sociedade Bíblica do Brasil, 2011.

BOBBIO, Norberto. As Ideologias e o poder em crise. Tradução: João Ferreira. Revisão técnica: Gilson César Cardoso. 4. ed. Brasília: UnB, 1999.

CARNELUTTI, Francesco. Como nasce o direito. Tradução: Roger Vinícius da Silva Costa. São Paulo: Pillares, 2015.

GENDŹWIŁŁ, Adam. Why Do Poles (still) Dislike Political Parties? Some Survey Insights into Anti-Party Attitudes in Poland, 1995–2011. Polish Sociological Review, no. 184 (2013): 467-86. http://www.jstor.org/stable/24371563. Acessado em 09/07/2019 às 00h58min.

IHERING, Rudolf von. A luta pelo direito. Tradução e notas: Edson Bini. Apresentação: Clóvis Beviláqua. Bauru, SP: EDIPRO, 2001.

KIM, Richard Pae. “Multipartidarismo no Brasil: paradoxos e propostas”, em: CAGGIANO, Monica Herman Salem (Org.); LEMBO, Cláudio (coord.). Reforma política: um mito inacabado. Barueri: Manole, 2017.

LEMBO, Claudio. A pessoa: seus direitos. Barueri: Manole, 2007.

LEVITSKY, Steven; ZIBLATT, Daniel. Como as democracias morrem. Tradução Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2018.

PESSOA, Fernando. Poesia completa de Alberto Caeiro. Edição: Fernando Cabral Martins; Richard Zenith. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

RUSSELL, Bertrand. A conquista da felicidade. Tradução: Luiz Guerra. Ed. especial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2017.

SARTORI, Giovanni. A teoria da democracia revisitada: o debate contemporâneo. v. 1. São Paulo: Ática, 1994.

TOLEDO, Caio Navarro de. Governo Goulart e o golpe de 64. São Paulo: Brasiliense, 2004.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
BENTO COSTA, M. As eleições de 2018:. Revista de Ciências do Estado, v. 4, n. 2, p. 1-14, 31 dez. 2019.