Prolongamentos de uma tese incerta

Autores

  • Adriane Hernandez Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil

Palavras-chave:

Pesquisa em artes visuais, poéticas visuais, processos de criação

Resumo

O ensaio que segue traz a experiência da artista na realização de uma pesquisa em Poéticas Visuais e enfatiza as suas escolhas metodológicas. A pesquisa salientou os vínculos estabelecidos durante o processo de criação de trabalhos artísticos, buscando manter uma relação de proximidade com a produção textual, sendo esta relação um atributo da pesquisa. Radical em sua dialética, o percurso gerou múltiplas contaminações entre teoria e prática apoiando-se em autores que inauguraram o campo da Poética, como filosofia da criação, na Universidade, a saber, Paul Valéry e René Passeron.
Tais autores, e outros que os seguiram, mostraram a possibilidade de processos e ações, vinculados ao fazer artístico, encontrarem seu espaço entre os acadêmicos e assim provocarem desvios de rota marcadamente inovadores e profícuos.

Biografia do Autor

Adriane Hernandez, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil

Artista plástica e doutora em Poéticas Visuais pela UFRGS. Professora do Departamento de Artes Visuais do Instituto de Artes, UFRGS e do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, UFPEL. Coordena o grupo de pesquisa “Pintura Contemporânea: Poética, ensino e abordagem” (UFRGS).

Referências

BASBAUM, Ricardo. Pensar com arte: o lado de fora da crítica. In: ZIELINSKY (org.), Fronteiras, arte crítica e outros ensaios. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

BARTHES, Roland. Aula. São Paulo: Cultrix, 2002.

BARTHES, Roland. A câmara clara. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.

BARTHES, Roland. O prazer do texto. São Paulo: perspectiva, 2004.

BATAILLE, Georges. Informe. Documents. 1929, nº7, 1930.

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. magia e técnica, arte e política,vol.1, São Paulo: brasiliense, 1994.

BOSI, Ecléia. O tempo vivo da memória. São Paulo: Ateliê, 2003.

DELEUZE; GUATTARI. Mil platôs. Vol.1. São Paulo: Ed. 34, 1995.

DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos, o que nos olha, São Paulo: Editora 34,1998.

DUBOIS, Philippe. O ato fotográfico, São Paulo: Papirus, 1993.

FABBRINI, Ricardo. O espaço de Lygia Clark. São Paulo: Atlas, 1994.

FÉDIDA, Pierre. L’absence. Paris: Gallimard, 1978.

LANCRI, Jean. Modestas proposições sobre as condições de uma pesquisa em artes plásticas na Universidade, In: TESSLER, Elida. BRITES, Blanca (orgs.). O meio como ponto zero. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes,1999.

NAGEL, Thomas. Visão a partir de lugar nenhum. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

O’DOHERTY, Brian. No interior do cubo branco. São Paulo: Martins Fontes 2002.

PASSERON, René. Da estética à poiética, In: Revista Porto Arte, nº 8, 1997.

PASSERON, René. La poïétique: pour une philosofie de la création, In : Recherches poïétiques, 1975.

REY, Sandra. Por uma abordagem metodológica da pesquisa em artes visuais. In: TESSLER; BRITES. O meio como ponto zero. Porto Alegre: Editora UFRGS, 2002.

SCHOPENHAUER, Arthur, Pensar por si mesmo, In: A arte de escrever, Porto Alegre: L&PM, 2005.

VALÉRY, Paul. Primeira aula do curso de poética. In: Variedades, São Paulo: Iluminuras,1999.

WEIL, Simone. A gravidade e a graça. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

WEIL, Simone. A condição operária e outros estudos sobre a opressão. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996b.

Downloads

Publicado

2015-06-01

Como Citar

HERNANDEZ, A. Prolongamentos de uma tese incerta. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, p. 68–83, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15671. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática