Os Salões de Maio e a crítica de arte

modernismo, surrealismo e abstração

Autores

  • Renata Gomes Cardoso Universidade de São Paulo (USP), Brasil

Palavras-chave:

Salão de Maio, Modernismo, Arte Abstrata

Resumo

Apresentamos nesse texto os três Salões de Maio, realizados em São Paulo ao final da década de 1930, com o propósito de discutir comentários críticos que foram publicados em jornais do período.  Esses salões tiveram um papel fundamental na linha cronológica das exposições de arte no Brasil, no sentido de ter promovido um novo debate no cenário da arte brasileira, entre modernistas e artistas interessados na arte abstrata. 

Biografia do Autor

Renata Gomes Cardoso, Universidade de São Paulo (USP), Brasil

Professora Doutora temporária na EACH - Escola de Artes, Ciências e Humanidades da USP, Doutora em Artes pelo Instituto de Artes da Unicamp e Mestre em História da Arte pelo Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp. Realiza pesquisas sobre arte moderna e crítica de arte.

Referências

ALMEIDA, Paulo Mendes de. De Anita ao Museu. São Paulo: Cons. Estadual de CulturaImprensa Oficial do Estado, 1961.

AMARAL, Aracy. Textos do Trópico de Capricórnio. Vol. I. São Paulo: Ed. 34, 2006.

COUTO, Maria de Fátima Morethy. Por uma vanguarda nacional. Campinas: Ed. da Unicamp, 2004.

ZANINI, Walter. Arte no Brasil nas décadas de 1930-40: o Grupo Santa Helena. São Paulo: Edusp, Nobel, 1991.

MILLIET, Sérgio. Pintores e Pintura. São Paulo: Livraria Martins, 1940.

Downloads

Publicado

2015-11-26

Como Citar

CARDOSO, R. G. Os Salões de Maio e a crítica de arte: modernismo, surrealismo e abstração. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], p. 130–143, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15691. Acesso em: 27 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta