COR, ABSTRAÇÃO, MÚSICA

LEN LYE E O CINEMA SEM CÂMERA

Autores

Palavras-chave:

Len Lye, filme sem câmera, cinema em cores

Resumo

Este artigo trata do início da trajetória cinematográfica de Len Lye, precursor do cinema sem câmera. Examina como Lye embebeu-se da arte do Pacífico Sul, ao mesmo tempo em que incorporou ao seu trabalho questões da arte moderna. Analisa cinco de seus filmes, destacando, para concluir, o artista como criador de um cinema puro, composto de ritmos e sensações cromáticas.

 

Biografia do Autor

Paulo Roberto de Carvalho Barbosa, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Comecei a carreira como chargista. Trabalhei por cerca de vinte anos na imprensa sindical, tendo recebido diversos prêmios em salões de humor pelo Brasil afora. Nos últimos dez anos, dediquei-me ao mestrado e ao doutorado em Artes Visuais, dos quais resultaram dois livros sobre o cinema em seus primórdios. Trabalho hoje como arte-educador, ministrando também cursos de história do cinema para alunos de pós-graduação. Escrevo também artigos sobre cinema e artes visuais para diversas revistas acadêmicas, além de trabalhar como ilustrador e chargista.

Referências

BARBOSA, Paulo Roberto de Carvalho. O primeiro cinema em cores: tecnologia e estética do filme colorido até 1935. Saarbrücken: Novas Edições Acadêmicas, 2014.

BERNARDINI, Fornoni Aurora (Org.). O futurismo italiano. São Paulo: Perspectiva, 2013.

GUINSBURG, J. e LEIRNER, Sheila (Org.). O surrealismo. São Paulo: Perspectiva, 2008.

HORROCKS, Roger. Len Lye – a biography. Auckland: Auckland University Press, 2001.

TEIXEIRA, Francisco Elinaldo. Cinemas “não narrativos”. São Paulo: Alameda, 2012.

LEN LYE FOUNDATION. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2015.

HORROCKS, Roger. Len Lye – a biography. Auckland: Auckland University Press, 2001.

Downloads

Publicado

2016-05-30

Como Citar

BARBOSA, P. R. de C. COR, ABSTRAÇÃO, MÚSICA: LEN LYE E O CINEMA SEM CÂMERA. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, p. 172–187, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15789. Acesso em: 14 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta