Sobre experiências interartes e educação

Madu e Terezinha Veloso, do Grupo Giramundo Teatro de Bonecos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2020.20652

Resumo

Durante 22 anos o Grupo Giramundo Teatro de Bonecos firmou um convênio com a UFMG, promovendo, entre outros, convívios estéticos entre alunos e professores. Maria do Carmo Vivacqua Martins (Madu) e Terezinha Veloso, cofundadoras do grupo, atuaram como professoras-artistas na Escola de Belas Artes/UFMG, mantendo, concomitantemente, produções artísticas individuais e coletivas. A partir da imagem disparadora de um(a) boneco(a) e uma pintura como agenciadores da interdisciplinaridade, este artigo visa compreender a presença do(a) boneco(a) sob a perspectiva dos estudos interartes e da Educação e, a práxis-poiesis de ambas as professoras-artistas, mediante uma investigação qualitativa (percepções e construção social de sentido) por meio da A/R/Tografia: metodologia poética que evidencia a identidade dos artistas.

Biografia do Autor

Cássia Macieira, Universidade do Estado de Minas Gerais - Brasil

Professora na Universidade do Estado de Minas Gerais - Brasil.

Referências

APOCALYPSE, Álvaro. Mercado de Trabalho. In: TEODORO, Maria de Lourdes.(org.) Ensino das Artes na Universidade. Textos Fundantes. Curitiba: Editora Appris, 2018, p. 77-84.

AMARAL, Ana Maria. Teatro de Formas Animadas: máscaras, bonecos, objetos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1991.

ARONI, Bruno Oliveira. Por uma etnologia dos artefatos: arte cosmológica, conceitos mitológicos: Revista Proa, n. 2, v. 01, p. 1-27, 2010.

AZEVEDO, Fernando Antônio Gonçalves. Sobre a Dramaticidade no Ensino da Arte: em busca de um currículo reconstrutivista. In:PIMENTEL, Lúcia Gouvêa (orgs). Som, gesto, Forma e cor: dimensões da arte e seu ensino. Belo Horizonte: EditoraC/Arte, 1995, p. 14-43.

BAKHTIN, Mikhail. A cultura popular na Idade Média e no Renascimento. Tradução de Yara Frateschi Vieira. São Paulo: Hucitec, 2010.

BARBOSA, Ana Mae. Arte-educação: conflitos/acertos. 2ª ed. Editora Max Limonad, 1985.

BARBOSA, Ana Mae. Tópicos Utópicos. Belo Horizonte: Editora C/Arte, 1998.

BEAUCHAMP, Hélène; GARCIN-MARROU, Flore. Introduction. In: BEAUCHAMP, H.; GARCIN-MARROU, Flore; NOGUÉS, J.; HAESEBORECK, Élise V. Les scènes philosophiques de la marionette. Montpellier: Éditions L’Entretemps et Institut National de la Marionnette, 2016, p.11-22.

BELTRAME, Nini. Manipulador, ator-animador e outras nomenclaturas. Texto retirado da Revista FENATIB, referente ao 8º e 9º Festival Nacional de Teatro Infantil de Blumenau (2004 e 2005). Disponível em http://cbtij.org.br/marionetista-manipulador-ator-animador-e-outras-nomenclaturas/ . Acesso em 01/03/2020.

CONTAMIN, Laurent. Texto para catálogo de exposição Marionnettes d’Artistes. Exposition temporaire. Du 22 juilliet au 10 octobre 2004 au Musée de l’Ardenne. 31 Place Ducale, 080000. Charleville-Mézières. L’Institut International de la Marionnette em collaboration avec le Musée de l’ Ardenne.

CLÜVER, Claus. Inter textus/Inter artes/Inter media. Aletria – Revista do Departamento de Estudos Literários da Pós-graduação da Faculdade de Letras da UFMG, n. 14, p. 11-41, jul./dez., 2006.

DIAS, Belidson; IRWIN, Rita L. (orgs.) Pesquisa Educacional Baseada em Arte: a/r/tografia. Santa Maria: Editora da UFSM, 2013.

GENTY, Philippe. Uma viagem entre percepção, forte impressão e interpretação. In: Revista Móin-Móin: Revista de Estudos sobre Teatro de Formas Animadas. Jaraguá do Sul: SCAR/UDESC, 2008. Ano 04,v.05, p.129-142.

HÉRNANDEZ, Fernando Hérnández. A pesquisa baseada nas artes: propostas para repensar a pesquisa educativa. In: DIAS, Belidson; IRWIN, Rita L. (orgs.) Pesquisa Educacional Baseada em Arte: a/r/tografia. Santa Maria: Editora da UFSM, 2013, p.39-62.

PEDROSA, Adriano; TOLEDO, Tomás (Orgs.). 2016. A mão do povo brasileiro, 1969/2016. São Paulo, Masp Editora. 319 pp.

PIMENTEL, Lucia Gouvêa. Ensino de Arte no Século XXI. In: Revista do Instituto Arte das Américas. Edição Especial: 2º Fórum Arte das Américas. V.2, N.1 jul/dez, Belo Horizonte: C/Arte, 2004.

PIMENTEL, Lúcia. Inters_tícios – inter_tiscos. Revista ARS. Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo. vol.10 nº 20 São Paulo July/Dec. 2012

PIMENTEL, Lúcia. Limites em Expansão. Licenciatura em artes visuais. Belo Horizonte/; C/Arte, 1999.

RAJEWSKY, Irina O. Intermidialidade, intertextualidade e “remediação”. Uma perspectiva literária sobre a intermidialidade. In: DINIZ, Thais Flores Nogueira. Intermidialidade e Estudos Interartes. Desafios da arte contemporânea. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2012.

RICHTER, Ivone Mendes. Interculturalidade e estética do cotidiano no ensino das artes visuais. Campinas, São Paulo: Editora Mercado de Letras, 2003.

SALLES, Cecilia Almeida. Gesto Inacabado: processo de Criação Artística. São Paulo: FAPESP: Annablume, 1998.

SAMPAIO, Márcio. Álvaro Apocalypse. Belo Horizonte. V&M (Vallourec & Mannesmann); Ministério da Cultura, 2011.

TIBURSKI, João Carlos. Álvaro Apocalypse: a magia dos bonecos. In: Revista Continente SUL SUR, Instituto Estadual do Livro, Porto Alegre/RS, n. 5, ano II, p. 109-113, out., 1997.

VELHO, Gilberto. 2006. Autoria e criação artística. In: SANTOS, Gilda; VELHO, Gilberto. Artifícios e artefactos: entre o literário e o antropológico. Rio de Janeiro, 7 Letras, pp. 135-141.

Downloads

Publicado

2020-11-29 — Atualizado em 2021-01-12

Versões

Como Citar

MACIEIRA, C. Sobre experiências interartes e educação: Madu e Terezinha Veloso, do Grupo Giramundo Teatro de Bonecos. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 10, n. 20, p. 147–161, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.20652. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/20652. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática