Ponto de escuta e tridimensionalidade sonora na ficção e no documentário

Para uma estética do envelopamento no cinema contemporâneo

  • Leonardo Vidigal Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil
  • Marina Novais Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil
Palavras-chave: Artes, Cinema, Ponto de escuta, Som no cinema, Tridimensionalidade do som

Resumo

Este artigo tem como objetivo refletir sobre a tridimensionalidade sonora proporcionada pelos atuais sistemas de exibição e mixagem de som no cinema ficcional e documental. Para tal, a discussão propõe também o estudo de filmes como Nos vemos no paraíso (2017), Bethany Hamilton: Sem Limites (2018), dentre outros, com o intuito de compreender como o som se relaciona com os conceitos de ponto de escuta subjetivo e espacial (CHION, 2008), de que forma se dá a tridimensionalidade sonora da obra na sala de exibição e algumas das possibilidades teóricas e estéticas abertas por este desenvolvimento técnico.

Biografia do Autor

Leonardo Vidigal, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Professor Associado no curso de Cinema de Animação e Artes Digitais (CAAD) e do Programa de Pós-Graduação em Artes da Escola de Belas Artes, na linha de pesquisa em Cinema.

Marina Novais, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Brasil

Graduada em Comunicação Social pela UEMG, mestra e doutora em Artes, na linha de pesquisa em Cinema, pela Escola de Belas Artes da UFMG.

Referências

ALTMAN, Rick. Sound Space. In: _____. (Org.) Sound Theory/Sound Practice. London: Routledge, 1992. p. 46-64

AUDIOMEDIA International. Ink Production brings Dolby Atmos to France. 14 maio 2013. Disponível em: <https://www.audiomediainternational.com/2013/05/14/ink-production-brings-dolby-atmos-to-france/>. Acesso em: 15 out. 2019.

BETHANY Hamilton: sem limites. Director: Aaron Lieber. Estados Unidos: Entertainment Studios Motion Pictures/Netflix, 2019. 01 arquivo digital (100 min.), colorido.

CARREIRO, Rodrigo. A pós-produção de som no audiovisual brasileiro. João Pessoa: Marca de Fantasia, 2019. Disponível em: <https://www.academia.edu/39198372/A_p%C3%B3s-produ%C3%A7%C3%A3o_de_som_no_audiovisual_brasileiro_ebook_PDF_>. Acesso em: 6 fev. 2020.

CARREIRO, Rodrigo; OPOLSKI, Débora (Org.). O som do filme: uma introdução. Curitiba: Editora UFPR, 2018.

CHION, Michel. Film, a Sound Art. New York: Columbia University Press, 2009.

CHION, Michel. A audiovisão: som e imagem no cinema. Lisboa: Texto & Grafia, 2008.

CHION, Michel. Silence in the Loudspeakers, Or – Why, With Dolby Sound in Films, It is the Film Which Is Listening To Us’. In: SIDER, L.; FREEMAN, D.; SIDER, J. (Ed.). Soundscape: The School of Sound Lectures 1998-2001. London & New York: Wallflower Press, 2003. p. 150-154.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder: a inocência perdida: cinema, televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

CONTATOS imediatos do terceiro grau. Direção: Steven Spielberg. Estados Unidos: Columbia Pictures/EMI Films Ltd., 1977. 01 DVD, (135 min), colorido.

CONTRA a maré. Direção: Christophe Offenstein. França/Bélgica/Espanha: Gaumont, Films du Cap, Les, Scope Pictures, 2013. 1 DVD (101 min), color.

DOANE, Mary Ann. Ideology and the practice of sound editing and mixing. In: BELTON, John; WEIS, Elizabeth (Ed.). Film Sound: Theory and practice. Nova York, Columbia University Press, 1985. p. 54-62.

ELSAESSER, Thomas; HAGENER, Malte. Film Theory: An Introduction through the Senses. Londres: Routledge, 2015.

FLÜCKIGER, Barbara. Sound Design: Die virtuelle Klangwelt des Films, Zürcher Filmstudien 6 Marburg: Schüren, 2001 apud ELSAESSER, Thomas e HAGENER, Malte. Film Theory: An Introduction through the Senses. Londres: Routledge, 2015

GUERRA NAS ESTRELAS. Direção: George Lucas. Estados Unidos: Lucasfilm/Twentieth Century Fox, 1977. 01 DVD, (121 min.), colorido.

LARANJA MECÂNICA. Direção: Stanley Kubrick. Estados Unidos: Warner Bros.,1971. 01 DVD (136 min.), colorido.

LISTEN TO BRITAIN. Direção: Humphrey Jennings, Reino Unido: Crown Film Unit,1942. Película (20 min.), preto e branco.

NOIVO NEURÓTICO, NOIVA NERVOSA. Direção: Woody Allen. Estados Unidos: Jack Rollins & Charles H. Joffe Productions, 1978. 01 DVD (93 min.), colorido.

NOS VEMOS NO PARAÍSO. Direção: Albert Dupontel. França/Canadá: Stadenn Prod, Manchester Films, Gaumont, 2017. 1 DVD (117 min), colorido.

KERINS, Mark. Beyond Dolby (Stereo): Cinema in the Digital Sound Age. Bloomington: Indiana University press, 2011.

KERINS, Mark. Home Theater(s): technology, culture and style. In: MERA, Miguel, Sadoff, Ronald; Winters, Ben (Ed.). The Routledge Companion to Screen Music and Sound. London: Routledge, 2017. p. 388-399.

PANTERA NEGRA. Direção: Ryan Coogler. Estados Unido: Walt Disney Studios Motion Pictures, 2018. 01 DVD (134 min), colorido.

RORABACK, Dick. Sounding Out Ray Dolby: Inventor of Revolutionary Noise-Reduction System Has Made Money the Old-Fashioned Way. Los Angeles Times, 29 nov. 1988, Disponível em: <https://www.latimes.com/archives/la-xpm-1988-01-29-vw-26284-story.html>. Acesso em: 11 fev. 2020.

SCHAEFFER, Pierre. Traité des objets musicaux: essai interdisciplines. Paris: Éditions du Seuil, 1966.

SCORPIO RISING. Direção: Kenneth Anger. Estados Unidos, produção independente, 1964. 01 vídeo (30min.), colorido.

STEFANONI, Rosana. Do silencioso ao sonoro 3D: breve reflexão sobre público e indústria cinematográfica. Revista de Estudos Sobre Práticas de Recepção a Produtos Midiáticos, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 96-104, 2012.

SMITH, Jeff. The sound of intensified continuity. In: RICHARDSON, John; GORBMAN, Claudia;

VERNALLIS, Carol. (Ed.). The Oxford Handbook of New Audiovisual Aesthetics. New York: Oxford University Press, 2013a. p. 331-356.

SMITH, Jeff. Atmos, all around: A guest post by Jeff Smith. Maio, 2013b. Disponível em: <http://www.davidbordwell.net/blog/2013/05/01/atmos-all-around-a-guest-post-by-jeff-smith/>. Acesso em: 3 out. 2015.

VALENTE. Direção: Mark Andrews, Brenda Chapman e Steve Purcell. Estados Unidos, Reino Unido: Walt Disney Pictures, Pixar Animation Studios, 2012. 1 DVD (93 min), color.

VIDIGAL, Leonardo Alvares. Algumas considerações sobre a música nos filmes de |Jean Rouch. Devires- Revista de Cinema e Humanidades. Belo Horizonte, Vol.6, N.2. Pag. 46-61 Jul/Dez, 2009.

VIDIGAL, Leonardo Alvares. Música Popular e Endoclipe nas Séries Musicais Televisivas: Reggae e Deslocamento Territorial em Baila Caribe. Encontro de Pesquisadores em Comunicação e Música Popular. 4., São Paulo, 2012. Anais... MUSICOM. USP, 2012.

VIDIGAL, Leonardo Alvares. Pontos de escuta e arranjos audiovisuais na ficção e no documentário. In: MOURÃO, Maria Dora Genis et al (Org.). Estudos de Cinema Audiovisual – Socine: Anais de textos completos. São Paulo: Socine, 2013. p. 292-300.

VIDIGAL, Leonardo A. e PIERRY, Marcos. Scorpio Rising: pontos de escuta e a ascensão da música popular no cinema. Contemporânea: comunicação e cultura. Salvador, V.12, N.02, p. 370-391, 2014

VIDIGAL, Leonardo Alvares; NOVAIS, Marina de Morais Faria. A audição no cinema: ponto de escuta, Dolby e a terceira dimensão do som. XVII Encontro Socine: A sobrevivência das imagens. Palhoça (SC), out. de 2013. Estudos de Cinema Audiovisual – Socine: Anais de textos completos. São Paulo: Socine, 2014, p. 402-410.

Publicado
2020-05-27
Como Citar
VIDIGAL, L. ÁLVARES; NOVAIS, M. DE M. Ponto de escuta e tridimensionalidade sonora na ficção e no documentário. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, v. 10, n. 19, p. 224-248, 27 maio 2020.
Seção
Artigos - Seção aberta