Isso é coisa de menino!

Drama, performatividade e construções sociais de gênero na infância

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2023.41768

Palavras-chave:

Drama, Estudos da Performance, Pedagogia das Artes Cênicas, Teatro na Escola

Resumo

O artigo busca tecer aproximações entre a abordagem metodológica do Drama, os Estudos da Performance e algumas problematizações a partir da teoria queer. O objetivo é analisar uma prática artístico-pedagógica desenvolvida por meio do Drama através de uma lente teórica performativa, buscando tensionar construções sociais de gênero e mobilizar comportamentos estereotipados. Por intermédio dos estudos sobre Drama, Cabral (2006) e Pereira (2015), dos Estudos da Performance, Schechner (2012; 2013), Bonatto (2015), Pineau (2013) e Icle (2013); e da teoria queer, Louro (1997) e Preciado (2017; 2020), espera-se apresentar reflexões que possam contribuir para o campo da Pedagogia das Artes Cênicas e para a ampliação de práticas artístico-pedagógicas que pensem as diferentes infâncias e as relações entre teatro, Performance e teoria queer.

Biografia do Autor

Mateus Junior Fazzioni, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Licenciado em Teatro pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM. Foi bolsista de Iniciação Científica (PIBIC/UFSM) do Grupo de Estudos sobre Teatro e Infâncias (GETIs/CNPq), durante os anos de 2017 e 2018; e bolsista de Iniciação Científica (FIPE-CAL/UFSM) do Grupo de Pesquisa Teatro Flexível: práticas cênicas e acessibilidade (CNPq/UFSM) no ano de 2020. É mestrando em Artes Cênicas no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPAC/CEART/UDESC). Ator, Professor-Performer e Pesquisador. Tem interesses na área de Artes, com investigações a respeito do teatro, performance, processos criativos, processos colaborativos e processos artístico-pedagógicos.     

Marcia Berselli, Universidade Federal de Santa Maria

Artista da cena. Professora do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAC/UFRGS). Lí­der do Grupo de Pesquisa Teatro Flexí­vel: práticas cênicas e acessibilidade (CNPq/UFSM) e do Laboratório de Criação (LACRI/CNPq). Coordenadora do Programa de Extensão Práticas cênicas, escola e acessibilidade.

Diego de Medeiros Pereira, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Licenciado em Artes Cênicas (2007), mestre e doutor em teatro (2011 e 2015) pela UDESC. Atualmente é professor-adjunto do Departamento de Artes Cênicas da UDESC, do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) e do Mestrado Profissional em Artes (Prof-Artes). Autor dos livros: “Teatro na Formação de Professores da Educação Infantil” pela Editora Appris, em 2015; e "Que Drama é esse?!?: práticas teatrais na educação infantil" pela editora Hucitec, em 2022. Líder do Grupo de Estudos sobre Teatro e Infâncias (GETIs) e coordenador do Programa de Extensão “Teatro e Infâncias”. Pesquisa relações entre teatro e infância, Drama e formação de professores(as). Ator, dançarino e diretor de teatro. Coordenador da Trupe da Alegria – grupo teatral formado por profissionais da Educação Infantil de Florianópolis (SC).

Referências

BONATTO, Mônica Torres. Professor-performer, Estudante-performer: Notas para pensar a escola. 2015. 124 f. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Educação) - UFRGS. Porto Alegre, 2015.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2021.

CABRAL, Beatriz. Drama como método de ensino. 2. Ed. São Paulo: Hucitec, p. 127, 2006.

CABRAL, Beatriz; PEREIRA, Diego de Medeiros. O espaço de jogo no Contexto do Drama. Urdimento (UDESC), Florianópolis, v. 1, n. 28, p. 285-301, 2017.

CARLSON, Marvin. Performance uma Introdução Crítica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

CARLSON, Marvin. O Entrelaçamento dos Estudos Modernos da Performance e as Correntes Atuais em Antropologia. Revista Brasileira de Estudos da Presença, Porto Alegre, v. 1, n. 1, p. 164-188, jan./jun. 2011.

CARMO, Carlos Eduardo Oliveira do. Fissuras pós-abissais em espaços demarcados pela bipedia compulsória na dança. Ephemera Journal, v. 3, n. 5, p. 40-61, 2020.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 2002.

ICLE, Gilberto. Da Performance na Educação: perspectivas para a pesquisa e a prática. In: PEREIRA, Marcelo de Andrade (Org.). Performance e Educação: (des)territorializações pedagógicas. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2013. P. 09-22.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero, sexualidade e educação. Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira Lopes. Um corpo estranho: ensaios sobre sexualidade e teoria queer. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

MOSTAÇO, Edélcio. Incursões e excursões: a cena no regime estético. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto, 2018.

PEREIRA, Diego de Medeiros. Drama na educação infantil: Experimentos teatrais com crianças de 02 a 06 anos. 2015. 249 f. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Teatro- PPGT) - UDESC. Florianópolis, 2015.

PINEAU, Elyse Lamm. Pedagogia Crítico-Performativa: encarnando a política da educação libertadora. In: PEREIRA, Marcelo de Andrade (Org.). Performance e Educação: (des)territorializações pedagógicas. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2013. P. 37-58.

PRECIADO, Paul B. Manifesto contrassexual. São Paulo: n-1 edições, 2017.

PRECIADO, Paul B. Um apartamento em Urano: crônicas de travessia. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

RUBIN, Gayle. O tráfico de mulheres. Notas sobre a “economia política” do sexo. In: RUBIN, Gayle. Deviations: A Gayle Rubin Reader. London: Duke University Press, 2011.

SCHECHNER, Richard. O que pode a Performance na Educação: uma entrevista com Richard Schechner. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 35, n. 2, p. 23-35, mar./ago. 2010. Entrevista concedida a Gilberto Icle e Marcelo de Andrade Pereira.

SCHECHNER, Richard. Ensaios de Richard Schechner - Ritual. In: LIGIÉRO, Zeca (Org.). Performance e Antropologia de Richard Schechner. Rio de Janeiro: Mauad X, 2012. P. 49-90.

SCHECHNER, Richard. Performance Studies: An introduction. New York: Routledge, 2013.

Downloads

Publicado

2023-04-06

Como Citar

FAZZIONI, M. J.; BERSELLI, M.; PEREIRA, D. de M. . Isso é coisa de menino! Drama, performatividade e construções sociais de gênero na infância. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 27, p. 117–145, 2023. DOI: 10.35699/2237-5864.2023.41768. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/41768. Acesso em: 26 fev. 2024.