Zimbo Trio no cinema

gêneros musicais e análise audiovisual

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-2046.2023.45511

Palavras-chave:

Zimbo Trio, Canção, Cinema Brasileiro Moderno

Resumo

Este artigo mapeia as colaborações do Zimbo Trio com as construções musicais de quatro longas-metragens dos anos 1960 – Noite vazia (1964), A margem (1967), O quarto (1968) e As armas (1969) –examinando as figuras audiovisuais e os significados sociais recorrentes. Para tanto, realiza uma abordagem em dois passos, mesclando a delimitação das características sonoras e dos gêneros musicais (samba-jazz e bossa nova) em discos e shows, sucedida pela análise audiovisual (CHION, 2011), das figuras e funções narrativas nos filmes. Sob o viés de tais análises, busca-se problematizar a situação dessas obras em relação às tensões entre engajamento político e adesão à indústria cultural (NAPOLITANO, 2010), ou entre nacionalismo e universalismo (RAMOS, 1983), em termos de pensamento cinematográfico.

Referências

ADORNO, Theodor W.; HORKHEIMER, Max. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ANAND, Mulk Raj. Kama Kala: Some Notes on the Philosophical Basis of Hindu Erotic Sculpture. Geneva: Nagel Publishers, 1962.

AZEREDO, Ely. Na procura do êxtase, um jogo sem vencedor. 1964. [Recorte sem identificação, P. 542/11, do acervo da Cinemateca Brasileira].

BARROS, Jefferson. Quem tem medo de Walter H. Khouri? Correio do Povo. [s. l.], p. 18, 17 jan. 1965.

BERNARDET, Jean-Claude. Brasil em tempo de cinema. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BERNARDET, Jean-Claude; GALVÃO, Maria Rita. Cinema: repercussões em caixa de eco ideológica. São Paulo: Brasiliense, 1983.

BIÁFORA, Rubem. Com Noite Vazia a definitiva maioridade do cinema brasileiro. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 27 set. 1964.

BIÁFORA, Rubem. Um Pasolini brasileiro. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 5 fev. 1967a.

BIÁFORA, Rubem. Fitas de Bergman, Khouri e Candeias. O Estado de São Paulo, São Paulo, p. 24, 17 dez. 1967b.

BIÁFORA, Rubem. Amanhã o início. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 25 out. 1970.

BRITO, Brasil Rocha. Bossa Nova. In: CAMPOS, Augusto de. Balanço da Bossa. São Paulo: Perspectiva, 1974. p. 17-50.

CAMPOS, Augusto de. Da jovem Guarda a João Gilberto. In: CAMPOS, Augusto de. Balanço da Bossa. São Paulo: Perspectiva, 1974. p. 51-58.

CHION, Michel. A audiovisão: som e imagem no cinema. Lisboa: Mímesis, 2011.

FAVARETTO, Celso. Tropicália, alegoria, alegria. São Paulo: Ateliê Editorial, 2007.

GALVÃO, Walnice Nogueira. MMPB: uma análise ideológica. In: GALVÃO, W. Saco de gatos: ensaios críticos. São Paulo: Duas Cidades, 1976. p. 93-119.

GAMO, Alessandro. Aves sem rumo: a transitoriedade no cinema de Ozualdo Candeias. 2000. 99 f. Dissertação (Mestrado em Multimeios) – Instituto de Artes, UNICAMP, Campinas, 2000.

GOMES, Marcelo Silva. Samba-jazz aquém e além da bossa nova. 2010. 213 p. Tese (Doutorado em Música) – Instituto de Artes, UNICAMP, Campinas, 2010.

GUERRINI JUNIOR, Irineu. A Música no Cinema Brasileiro. São Paulo: Terceira Margem, 2009.

LAURA, Ida. O quarto. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 29 jul. 1968a.

LAURA, Ida. Significado de O quarto. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 12 dez. 1968b.

LAURA, Ida. Anatomia de uma realidade. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 31 ago. 1969.

MACHADO, Cristina Gomes. Zimbo Trio e o fino da bossa: uma perspectiva histórica e sua repercussão na moderna música popular brasileira. 2008. 410 f. Dissertação (Mestrado em Música) – Instituto de Artes, UNESP, São Paulo, 2008.

MEDAGLIA, Júlio. Balanço da Bossa Nova. In: CAMPOS, Augusto de. Balanço da Bossa. São Paulo: Perspectiva, 1974. p. 67-131.

MELLO, Zuza Homem de. A era dos festivais: uma parábola. São Paulo: Ed. 34, 2003.

NAPOLITANO, Marcos. Seguindo a canção: engajamento político e indústria cultural na MPB (1959-69). Versão digital revista pelo autor. São Paulo: Annablume: FAPESP, 2010.

NAPOLITANO, Marcos. O conceito de MPB nos anos 60. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 31, p. 11-30, 1999.

PERDIGÃO, Paulo. Noite Vazia. Diário de Notícias, Rio de Janeiro, 1 abr. 1965.

RAMOS, José Mário Ortiz. Cinema, estado e lutas culturais. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

RAMOS, Fernão. Cinema Marginal (1968/1973). São Paulo: Brasiliense, 1987.

SILVA, Alvares da; FONTOURA, Walter. Bossa Nova rende milhões. O cruzeiro, 9 fev. 1963.

SIMIS, Anita. Nacionalistas versus universalistas? In: SIMIS, Anita. Cinema e Estado no Brasil. São Paulo: Annablume, 1996. p. 260-275.

SIMIS, Anita. INC (Instituto Nacional de Cinema). In: RAMOS, F.; MIRANDA, F. (org.) Enciclopédia do Cinema Brasileiro. São Paulo: Ed. Senac, 2004. p. 298-299.

STERNHEIM, Alfredo. Máximo Barro: Talento e altruísmo. São Paulo: Imprensa Oficial, 2009.

TINHORÃO, José Ramos. Pequena História da Música Popular. São Paulo: Art Editora, 1991.

UCHÔA, Fábio Raddi. O Seminário de Cinema do MASP e a produção documental de Ozualdo Candeias (1955-66). Revista Famecos, v. 24, n. 2, maio/ago. 2017.

VIANNA, Antônio Moniz. A Margem. Correio da Manhã, Rio de Janeiro, p. 8, 18 abr. 1968.

VIDAL JÚNIOR, Itamar; TINÉ, Paulo. A música de Rogério Duprat na filmografia de Walter Hugo Khouri. Itinerários: Revista de Literatura, n. 49, p. 97-113, jul./dez. 2019. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/itinerarios/article/view/12269. Acesso em: 15 jan. 2023.

XAVIER, Ismail. Cinema Brasileiro Moderno. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

Downloads

Publicado

2023-08-01

Como Citar

UCHÔA, F. Zimbo Trio no cinema: gêneros musicais e análise audiovisual. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 28, p. 288–316, 2023. DOI: 10.35699/2238-2046.2023.45511. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/45511. Acesso em: 22 abr. 2024.