Estratégias para a confecção de ficha de diagnóstico em conservação

uma análise deontológica e avaliação de modelos utilizados em centros de referência estrangeiros

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-2046.2023.46465

Palavras-chave:

Diagnóstico de conservação, História da Conservação-Restauração, Patrimônio bibliográfico

Resumo

A documentação de diagnóstico tem auxiliado conservadores e restauradores no planejamento de intervenção, estudo de técnicas e materiais e em pesquisas sobre a materialidade dos objetos culturais. Este artigo busca identificar recursos que auxiliem no registro e recuperação da informação referente ao diagnóstico aplicado aos objetos bibliográficos. A partir da revisão da noção de documentação de conservação, foram selecionadas três modelos de ficha para avaliação. Essa análise permitiu identificar estratégias para otimizar o registro de informações como o uso de notas, siglas, abreviaturas, esquemas gráficos e glossário. Possibilitou ainda verificar etapas metodológicas inerentes ao diagnóstico de conservação e confirmou a necessidade da utilização de alguns recursos identificados nos modelos de documentação analisados.

 

Biografia do Autor

Ma. Guilherme Xavier, Fundação Casa de Rui Barbosa

Mestre em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins PPACT-MAST (2022). Bacharel em Conservação e Restauração de Bens Culturais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ (2015). Estágio supervisionado na Fundação Biblioteca Nacional (FBN) onde adquiriu experiência na Conservação, Restauração e Encadernação de Obras Raras (2013). Formação em Educação Profissional Nível Básico pela Escola de Música Villa-Lobos do estado do Rio de Janeiro (2009). Atualmente é Técnico em Ciência & Tecnologia do Setor de Preservação da Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB) onde exerce a função de Conservador-Restaurador em Suporte Papel.

Ma. Ozana Hannesch, Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST

Doutoranda em Conservação e Restauração, na Universidade Católica Portuguesa (2017-2021). Mestre em Museologia e Patrimônio, pela UNIRIO (2013). Especialista em Conservação de Bens Culturais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992). Graduada em Arquivologia pela Universidade Federal Fluminense (1989). Trabalha no Laboratório de Conservação e Restauração de Papel - LAPEL, subordinado à Coordenação de Documentação e Arquivo do Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST, onde executa atividades técnicas e de pesquisa científica. Foi membro da Câmara Técnica de Preservação de Documentos do Conselho Nacional de Arquivos - CONARQ (2010-2020). Membro associada da Associação Brasileira de Conservadores e Restauradores de Bens Culturais - ABRACOR (2017-2019). Professora Colaboradora do Mestrado Profissional em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia - PPACT do MAST. Tem experiência na área de preservação de acervos científicos, com ênfase em Conservação e Restauração de documentos em suporte papel.

Dra. Guadalupe Campos, Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST

Graduada em Museologia pela Universidade do Rio de Janeiro (1996), Aperfeiçoamento em Arqueologia - CNPq (1998) Mestre (2001) e Doutora (2005) em Engenharia Metalúrgica e de Materiais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, com ênfase em Arqueometalurgia. Fez Pós doutorado em conservação de objetos arqueológicos metálicos pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins (2010/2015). Atualmente é Professora do Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia do Museu de Astronomia e Ciências Afins - MAST e Pesquisadora Colaboradora do MAST. Tem experiência nas áreas de Arqueologia Histórica, com ênfase em Arqueometalurgia e, Conservação. Atua principalmente nos seguintes temas: preservação do patrimônio arqueológico, microscopia eletrônica, caracterização microanalítica e metalurgia física.

Referências

BENNY, A. O caminho de volta: do restauro ao livro. Boletim da Associação Brasileira de Encadernação e Restauro, São Paulo, ano 9, n. 2, p. 9-11, ago./set. 1997.

BRANDI, C. Teoria da Restauração. 3. ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2008.

BROWN, M. Developing a Conservation Surveys Database for Photograph Albums. In: AMERICAN INSTITUTE FOR CONSERVATION OF HISTORIC AND ARTISTIC WORKS. Conservation of Scrapbooks and Albums: Postprints of the Book and Paper Group/Photographic Materials Group Joint Session at the 27th Annual Meeting of the American Institute for Conservation of Historic and Artistic Works, June 11, 1999, St. Louis, Missouri. Washington, D. C: The Institute, 2000. p. 65-68.

CALDARARO, N. L. An Outline History of Conservation in Archaeology and Anthropology as Presented Through Its Publications. Journal of the American Institute for Conservation, London, v. 26, n. 2, p. 85-104, 2013.

CHOAY, F. A alegoria do patrimônio. São Paulo: Estação Liberdade, 2017.

DOWNEY, L. Images of the Southwest: A Tourist Album. In: AMERICAN INSTITUTE FOR CONSERVATION OF HISTORIC AND ARTISTIC WORKS. Conservation of Scrapbooks and Albums: Postprints of the Book and Paper Group/Photographic Materials Group Joint Session at the 27th Annual Meeting of the American Institute for Conservation of Historic and Artistic Works, June 11, 1999, St. Louis, Missouri. Washington, D. C: The Institute, 2000. p. 3-11.

EUROPEAN CONFEDERATION OF CONSERVATOR-RESTORERS’ ORGANISATIONS. Documento de Pavía. Preservación del patrimonio cultural cultural: hacia un perfil europeo del conservador-restaurador. In: MARTÍNEZ JUSTICIA, M. J; SÁNCHES-MESA MARTÍNEZ, L. J (org.). La restauración de bienes culturales en los textos normativos: selección, traducción y estudio crítico de documentos normativos internacionales y nacionales. Granada: Editorial Comares, 2009. p. 218-220.

EUROPEAN CONFEDERATION OF CONSERVATOR-RESTORERS’ ORGANISATIONS. Directrices professionales de la ECCO I: la profesión. In: MARTÍNEZ JUSTICIA, M. J; SÁNCHES-MESA MARTÍNEZ, L. J (org.). La restauración de bienes culturales em los textos normativos: selección, traducción y estúdio crítico de documentos normativos internacionales y nacionales. Granada: Editorial Comares, 2009. p. 229-231.

EUROPEAN CONFEDERATION OF CONSERVATOR-RESTORERS’ ORGANIZATIONS. Competences for Access to the Conservation-Restoration Profession. 2 ed. Switzerland: ECCO, 2011.

FRONER, Y. A. A constituição da Ciência da Conservação e a projeção da Ciência do Patrimônio. Geonomos, v. 24, n. 2, p. 30-38, 2016.

GOREN, M. S. Auxilios previos para la preservación de una colección: herramientas para implementación de la conservación preventiva. [Buenos Aires]: Gama Estación Gráfica, 2009. p. 128-134. (Cuaderno Técnico, n. 2).

GRANATO, M.; CAMPOS, G. N. Teoria da conservação e desafios relacionados aos acervos científicos. Revista MIDAS, Portugal, v.1, n.1, p. 1-12, 2013.

INTERNATIONAL COUNCIL OF MONUMENTS AND SITES. International Charters for Conservation and Restoration. 2. ed. Alemanha: ICOMOS, 2004. Disponível em: http://openarchive.icomos.org/431/1/Monuments_and_Sites_1_Charters.pdf. Acesso em: 10 maio 2020.

INTERNATIONAL COUNCIL OF MONUMENTS AND SITES. The Burra Charter. Australia: ICOMOS, 1999. Disponível em: http://australia.icomos.org/wpcontent/uploads/BURRA_CHARTER.pdf. Acesso em: 5 maio 2020.

RIEGL, A. O culto moderno dos monumentos: a sua essência e a sua origem. São Paulo: Perspectiva, 2014. (Elos, 64).

ROSSI, L.; GUASTI, G. Dal restauro alla conservazione: la gestione del patrimonio librario. Roma: La Nuova Italia Scientifica, 1987.

RUIZ DE LACANAL, M. D. El conservador restaurador: el eje de la historia de una profesión. In: CONGRESO DE CONSERVACIÓN Y RESTAURACIÓN DE BIENES CULTURALES, 10., 1994, España. Anales Electrónicos [...]. España: Ministerio de cultura, 1994. Disponível em: https://idus.us.es/bitstream/handle/11441/50773/El%20conservadorrestaurador%20el%20eje%20de%20la%20historia%20de%20una%20profesi%c3%b 3n.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 12 mar. 2020.

RUIZ DE LACANAL, M. D. El conservador-restaurador de bienes culturales: historia de la profesión. Madrid: Editorial Síntesis, 1999.

RUSKIN, J. A lâmpada da memória. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2008.

THIRY-CHERQUES H. R. Pierre Bourdieu: a teoria na prática. Rev. Adm Pública, Rio de Janeiro, v. 40, n. 1, p. 27-53, 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0034-76122006000100003. Acesso em: 17 abr. 2023.

WARD, P. La Conservación del patrimonio: carrera contra reloj. Los Angeles: The Getty Conservation Institute, 2010.

XAVIER, G.A.C. Reflexões acerca do diagnóstico de conservação: um estudo a partir da obra Commento di Landino da Coleção Rui Barbosa. 2022. 494 f. Dissertação (Mestrado em Preservação de Acervos de Ciência e Tecnologia) – Museu de Astronomia e Ciências Afins, Rio de Janeiro, 2022.

Downloads

Publicado

2023-12-18 — Atualizado em 2024-03-27

Versões

Como Citar

XAVIER, G. A. da C.; HANNESCH, O.; CAMPOS, G. do N. Estratégias para a confecção de ficha de diagnóstico em conservação: uma análise deontológica e avaliação de modelos utilizados em centros de referência estrangeiros. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, v. 13, n. 29, p. 236–266, 2024. DOI: 10.35699/2238-2046.2023.46465. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/46465. Acesso em: 25 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta