Assim na terra como no mar

as relações raciais ilustradas no Bom Crioulo de Adolfo Caminha (1895)

  • Vinicius Barbosa Lima Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Resumo

O presente texto tem por objetivo analisar as representações do sujeito negro na última década do século XIX por meio do romance Bom Crioulo, do autor naturalista Adolfo Caminha. Publicada originalmente em 1895, esta obra é considerada uma das mais representativas produções literárias do naturalismo brasileiro. Caminha, um escritor republicano e abolicionista, vivenciou a efervescência do republicanismo da chamada geração de 1870. A ideia de progresso civilizacional, sustentada pelo pensamento científico e atrelada à ânsia republicana, no entanto, gera uma contradição: de que maneira será possível assegurar a liberdade e igualdade a todos os homens, e ao mesmo tempo manter a população negra em sua posição subalterna? Este dilema, exposto com veemência pelo autor da obra aqui analisada, é o objeto de nossas indagações.

 

Palavras-Chave: Bom Crioulo; modernidade republicana; relações raciais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-01-31