Simulando as “mentes passadas”

a Historiografia Cognitiva entre a História e as Ciências Cognitivas

  • Thales MM Silva Univesidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

Este artigo salientará algumas questões, tópicos e desafios atualmente enfrentados pela Historiografia Cognitiva. Como forma de ilustrar sua pluralidade e divergência internas, além da compreensão intuitiva de tal campo como uma subdisciplina específica da História, exibiremos um conjunto de perspectivas por meio das quais ele pode ser considerado como parte integrante das Ciências Cognitivas. Nesse contexto, explicitando o interesse comum dos historiadores na variação histórica e transmissão cultural, o presente artigo enfatizará sua capacidade particular de “testar”, no material histórico, hipóteses generalizantes acerca dessas dinâmicas. Finalmente, valendo-nos do Mediterrâneo antigo como exemplo, contrariamente à atual tendência no estudo cognitivo dos fenômenos humanos, a qual enfatiza o experimentalismo, advogaremos pela aplicação de técnicas de modelagem, as quais, no que diz respeito às dinâmicas culturais, parecem compor uma ferramenta metodologicamente mais adequada para a agenda de pesquisa cognitivo-historiográfica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thales MM Silva, Univesidade Federal de Juiz de Fora

Bacharel em História e Especialista em Antropologia pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da UFMG

Mestre e Doutorando em Ciência da Religião pelo Instituto de Ciências Humanas da UFJF.

Publicado
2020-01-31