O ensino de história em educação patrimonial a partir da (re)construção de narrativas e a representatividade feminina no processo educativo

  • Ana Carolina Martinez UFRGS

Resumo

O ensino de história em educação patrimonial permitiu a construção da exposição "Quem conta um conto aumenta um ponto: o imaginário da cidade de Porto Alegre" no Museu da Comunicação Hipólito José da Costa. Um espaço onde mediadores e educandos construíram juntos conhecimentos referentes ao imaginário da cidade de Porto Alegre, em especial à lenda da Maria Degolada. A partir da exposição, foi possível (re)construir as narrativas sobre Maria Francelina/da Conceição/Degolada, observando como sua identidade enquanto mulher e vítima foi sendo transformada no decorrer do processo histórico. Em vista disso, este artigo tem por objetivos perceber a importância da representatividade feminina para o processo educativo a partir da análise do caso vivenciado no Museu da Comunicação, compreendendo a importância da presença feminina enquanto educadora na construção de debates de temas como feminicídio e questão de gênero a partir da exposição e perceber como o ensino de história atua na reconstrução de narrativas com temas sensíveis para estudantes mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Martinez, UFRGS

Graduada em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente cursa Bacharelado em História também pela Universidade Federal o Rio Grande do Sul. Tem experiência na área do ensino de história.

Publicado
2020-05-31