De Nina Rodrigues a Arthur Ramos: a reinvenção de Palmares nos “estudos do negro”

  • Thyago Ruzemberg Gonzaga de Souza Mestrando em História - UFRN
Palavras-chave: Raça, Cultura, Palmares.

Resumo

Conceitos como raça, cultura, etnia e nação fazem parte do vocabulário erudito brasileiro desde a década de 1870. Esses termos, na primeira metade do século XX, foram utilizados pelos estudos sobre os “negros” e passaram por mudanças significativas. Junto com as transformações conceituais, ocorreu a reinvenção do Quilombo de Palmares na literatura dos “estudos do negro”. O objetivo desse artigo é perceber e expor as nuances dessa reinvenção, por meio de dois textos, A Troya Negra de Nina Rodrigues, publicado em 1904, e A República de Palmares de Arthur Ramos de 1939. Se em Nina Rodrigues o Quilombo fora um espaço racionalizado, para uma perspectiva do racismo científico que dominava o final do século XIX fora visto enquanto espaço de uma raça inferior que não tinha capacidade imediata de civilizar-se. O segundo autor, dentro de um olhar da antropologia cultural das décadas de 1930 e 40 colocou Palmares como espaço da resistência ao processo de aculturação imposto aos escravos no Brasil.
Publicado
2013-08-30