Sobre a Revista

Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Texto Livre: Linguagem e Tecnologia é um periódico de publicação contínua, de acesso aberto online, mantido pela Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais (Brasil) desde 2008. Ele publica artigos científicos, dossiês, relatos de experiência, ensaios, resenhas, entrevistas e traduções de artigos, com avaliação por pares, que abordem a multi/pluri/inter/transdisciplinaridade nas linhas de linguística, semiótica, educação, comunicação, tecnologias da informação e computação, tradução, robótica e software livre relacionadas às tecnologias. Tem como missão fomentar a produção científica nessas linhas, permitindo a pesquisadores do Brasil e do exterior divulgarem suas pesquisas e contribuírem para o debate e o progresso científico na área. São temas correlatos de interesse desse periódico: ensino de línguas mediado por tecnologias, comunicação nas mídias, uso de tecnologias no ensino-aprendizagem, recursos educacionais abertos, cultura livre, inclusão digital, letramento digital, impacto das tecnologias na tradução, divulgação em software livre e outros temas que trazem relação com as tecnologias. A revista aceita textos em português, espanhol, inglês e francês. A Texto Livre destina-se aos pesquisadores e a uma audiência não acadêmica interessada nos temas da revista.

Texto Livre: Linguagem e Tecnologia is a open access online journal that uses the continuous publication nature. It is sponsored by the School of Letters of the Federal University of Minas Gerais (Brazil) since 2008. Texto Livre welcomes submissions of articles, experience reports, essays, article translations, reviews and interviews, by peer-reviewed author, that address the multi/pluri/inter/transdisciplinarity in the lines of linguistics, semiotics, education, communication, information and computing technologies, translation, robotics and free software related to technologies. Its mission is to promote scientific production along these lines, allowing researchers from Brazil and abroad to disseminate their research and contribute to the debate and scientific progress in the area. Related topics of interest to this periodical are: technology-mediated language teaching, communication in the media, use of technologies in teaching-learning, open educational resources, free culture, digital inclusion, digital literacy, impact of technologies on translation, dissemination in free software and other themes related to technologies. The journal accepts manuscripts in Portuguese, Spanish, English, and French. Texto Livre is an academic publication intended for researchers as well as non-academic audiences interested in approaches to the topics addressed by the journal.

 
 

Processo de Avaliação pelos Pares

- Avaliação dupla às cegas:

- Toda submissão que atenda às normas de submissão da revista e ao Código de Conduta e Boas Práticas será inicialmente analisada pelo editor-chefe, que avaliará possíveis problemas de autoria (como plágio, republicação, etc.). Casos de possível má conduta serão analisados segundo o fluxograma do COPE.

- O editor-chefe atribuirá a submissão a um editor-assistente, para que este conduza o processo de avaliação.

- O editor-assistente encaminhará a submissão a dois avaliadores de instituição diferentes entre si e em relação à do autor da submissão. Esses avaliadores não terão acesso aos nomes dos autores e nem saberão o nome dos seus pares.

- Caso haja dois pareceres positivos, a submissão será aceita para publicação e enviada para o autor realizar eventuais correções solicitadas pelos avaliadores.

- Caso haja dois pareceres negativos, a submissão será rejeitada para publicação e enviada mensagem para o autor com os pareceres dos avaliadores.

- Caso haja um parecer positivo e um negativo, a submissão será encaminhada a um terceiro avaliador. Caso haja novo parecer positivo, a submissão será aceita; caso haja um novo parecer negativo, não será aceita.

- Todo autor de submissão receberá os pareceres emitidos pelos avaliadores, seja em caso de aprovação para publicação, seja em caso de não aprovação. Essa comunicação deve ocorrer entre um e dois meses da data de submissão.

- A publicação do artigo ocorre em média após seis meses da submissão.

Recurso de decisão editorial:

- Caso o autor de submissão não aprovada considere que um ou os dois pareceres negativos apresentem problemas, ele poderá solicitar, através de justificativa por escrito ao editor-chefe, que este solicite aos avaliadores que apresentem justificativa para as pretensas falhas no(s) parecer(es) no prazo de 15 dias.

- Caso o editor-chefe não receba nenhuma justificativa para a solicitação, o(s) parecer(es) negativo(s) será(ão) eliminado(s) e a submissão será encaminhada para novo(s) avaliador(es).

 

Periodicidade

A revista Texto Livre publica textos em modalidade de publicação contínua, em três números anuais. A partir do volume 15 de 2022, ela passará a adotar o sistema de publicação contínua (rolling pass), tornando a publicação do artigo mais rápida. Não há fascículos, nem periodicidade como usamos atualmente. Publicaremos os artigos aprovados em vários conjuntos em um volume por ano. O sumário completo e o editorial serão publicados junto com o último conjunto de artigos do volume.
 
 

Política de Acesso Livre

 

A revista Texto Livre: Linguagem e Tecnologia oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento. Todos os artigos são publicados sob licença Creative Commons CC BY e são de livre e gratuito acesso ao leitor. Esclarecemos ainda que não é cobrada nenhuma taxa ao autor para publicação do seu artigo.
 
 

Política de preservação digital

A Revista Texto Livre : Linguagem e Tecnologia utiliza o sistema LOCKSS para criar um sistema de arquivo distribuído entre as bibliotecas participantes e permite às mesmas criar arquivos permanentes da revista para a preservação e restauração em sua versão final. 

Essa revista já se encontra preservada e testada pela equipe do Lockss: https://cariniana.ibict.br/index.php/preservacao-de-publicacoes-digitais/periodicos-eletronicos

Graças à indexação da Redalyc, os artigos da revista estão também preservados no formato XML JATS.

 

Declaração de Ética na Pesquisa e Boas Práticas

A Texto Livre: Linguagem e Tecnologia (UFMG) - ISSN eletrônico 1983-3652, dedica-se a cumprir as boas práticas no que diz respeito à conduta moral condizente com a editoração cientifica de periódicos. Qualquer forma de comportamento antiético, bem como o plágio em qualquer instância não são aceitos na Texto Livre. Os autores que enviam artigos para a revista declaram que seu conteúdo é original e garantem que o trabalho não foi publicado nem está em processo de revisão/avaliação em nenhum outro periódico.

 

Taxas para submissão e publicação de textos

A Texto Livre: Linguagem e Tecnologia não cobra taxa por textos publicados e tampouco pelos submetidos para avaliação, revisão, publicação, distribuição ou download. A publicação é totalmente gratuita.

 

Linhas prioritárias de Publicação

Linguagem e Tecnologia

Educação e Tecnologia

Comunicação e Tecnologia

Tradução e Tecnologia

Software livre

Robótica livre

Tecnologias da informação e comunicação

 

Política de seção

 
  • Artigos

Compreende trabalhos de cunho científico com uma temática inédita e original. Também acolhe trabalhos que são originados a partir de um estudo também científico que engloba textos que contenham relatos completos de estudos ou pesquisas concluídas ou em desenvolvimento.

  • Dossiê

Conjunto de artigos científicos com o propósito temático único, que será definido pelo Comitê Editorial e organizado por pesquisadores especialistas.

  • Relato de experiência

Seção que compreende comunicações e descrições de atividades realizadas nas temáticas acolhidas pela revista.

  • Ensaios

Destina-se a um texto argumentativo, que pode ser a apresentação de um estudo ou o desenvolvimento de um tema no escopo da revista.

  • Resenhas
Resenhas de obras nacionais e internacionais devidamente referenciadas, preferencialmente de obras publicadas nos últimos dois anos nas áreas contempladas neste periódico.
  • Traduções
Traduções de artigos publicados em GPL ou em Creative Commons originalmente.
  • Entrevistas

Entrevistas nas áreas contempladas neste periódico.

 
 

Sobre as condições de submissão

A revista, como qualquer periódico científico, determinou algumas normas para publicação na revista e este comunicado vem reiterar essas regras, vigentes desde nossa primeira publicação. Deve-se observar as condições de submissão constantes no site da revista, com as quais todo autor deve concordar ao realizar a submissão. Especialmente, devemos atentar para:

  1. A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".- Cumpre ressaltar que somente são aceitos para publicação textos não publicados em outros periódicos científicos.

  2. O arquivo da submissão está em formato aberto, do OpenOffice/LibreOffice. Caso o artigo tenha sido redigido em outro formato, o autor assegura ter feito a conversão para ODT e verificado a formatação após a conversão. Para a conversão, sugerimos o programa LibreOffice (http://pt-br.libreoffice.org/). Maiores informações sobre esta exigência: http://pt.wikipedia.org/wiki/OpenDocument#Norma_brasileira. Além da norma da ABNT que se refere ao uso de padrões abertos, devemos citar:

    1. formatos proprietários não garantem continuidade de suporte, podendo implicar a curto ou médio prazo perda parcial ou total do conteúdo dos arquivos;

    2. formatos proprietários como DOC ou DOCX implicam uso de software proprietário, gerando exclusão por parte de qualquer usuário sem condições de pagar pelo software ou gerando, como alternativa, estímulo à prática da pirataria; 

    3. ODF (open document format) é a norma para documentos editáveis de escritório e sua utilização já é lei em três estados brasileiros (cabe ressaltar que a revista está vinculada a uma instituição pública, a UFMG);

    4. a economia gerada pelo uso do formato aberto e, consequentemente, softwares livres, está sendo revertida para fomento à pesquisa;

    5. acessibilidade a longo termo dos artigos da revista.

  3. Em caso de submissão a uma seção com avaliação pelos pares (ex.: artigos), as instruções disponíveis em Assegurando a avaliação pelos pares cega foram seguidas.
  • Os textos submetidos para avaliação não devem apresentar o nome dos autores.

Qualquer texto que não corresponda a qualquer uma dessas condições será sumariamente excluído do processo. Os pareceristas e colaboradores da revista também devem respeitar estas normas; caso ainda não tenham, devem instalar o programa OpenOffice/LibreOffice para ler os artigos.

 

Maiores informações:

Protocolo para uso de padrões abertos é assinado no Consegi 2008: http://www.governoeletronico.gov.br/noticias-e-eventos/noticias/protocolo-para-uso-de-padroes-abertos-e-assinado-no-consegi-2008. Acessado em 12 desetembro de 2011.

Pacheco, Gustavo. "Subsídios ao marco legal de utilização doOpenDocument Format (ODF), ISO 26300no Estado do Rio Grande do Sul". http://pt.scribd.com/doc/57565247/Subsidios-ao-marco-legal-de-utilizacao-do-OpenDocument-Format. Acessado em 12 de setembro de 2011.

"Adm. Pública do Rio de Janeiro adotará formato ODF". http://www.ubuntudicas.com.br/blog/2011/05/adm-publica-do-rio-de-janeiro-adotara-formato-odf/. Acessado em 13 de setembro de 2011.

"Lei do ODF no Rio de Janeiro". http://softwarelivre-rj.org/2011/lei-do-odf-no-rio-de-janeiro/. Acessado em 13 de setembro de 2011.

"Software Livre rende ao Município de Novo Hamburgo (RS) economia de 720 mil": http://www.broffice.org/sl_prefeitura_novo_hamburgo. Acessado em 13 de setembro de 2011.

"Unesp é primeira universidade do país a aderir ao Protocolo Brasília": http://www.unesp.br/noticia.php?artigo=7369. Acessado em 13 de setembro de 2011.

"UNESP é primeira universidade do Brasil a aderir ao Protocolo Brasília ODF": http://ccsl.icmc.usp.br/pt-br/contents/unesp-%C3%A9-primeira-universidade-do-brasil-aderir-ao-protocolo-bras%C3%ADlia-odf.

"Norma ABNT NBR ISO/IEC 26300:2008": http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=1549. Acessado em 12 de setembro de 2011.

"Um alerta aos governos sobre os Padrões Abertos": http://homembit.com/2011/04/um-alerta-aos-governos-sobre-os-padroes-abertos.html. Acessado em 12 de setembro de 2011.

 

ANEXO: "Protocolo Brasília". http://www.softwarelivre.gov.br/protocolo-brasilia-1. Acessado em 13 de setembro de 2011.

Nas últimas décadas, com a crescente utilização da informática pelas iniciativas pública e privada, a grande maioria dos documentos (como atas, planilhas de controle financeiro, decretos e projetos de lei, entre outros) encontra-se armazenada eletronicamente. De acordo com especialistas, a quantidade de documentos produzidos é duplicada a cada cinco anos. Graças a esse crescimento exponencial e à relevância das informações, torna-se cada vez mais necessária a padronização do formato utilizado para o armazenamento desses documento.

Durante a última década, problemas causados pela falta de compatibilidade entre os programas utilizados para gerar documentos eletrônicos passaram a fazer parte do dia-a-dia das empresas. Um exemplo é um documento de texto gerado pela versão 2003 de uma determinada suíte de escritório que não pode ser aberto pela versão 2000 da mesma suíte. E ainda os casos mais graves em que os documentos foram armazenados utilizando programas como o Carta Certa ou o WordStar e agora não podem mais ser acessadas.

Para permitir que a troca de documentos eletrônicos de escritório (textos, planilhas e apresentações) possa ser feita sem a necessidade de que todos os envolvidos possuam o mesmo programa de computador e para permitir que as informações contidas nesses documentos possam ser acessadas ao longo do tempo, independentemente de qualquer programa de computador existente atualmente, foi desenvolvido o formado aberto de documento, conhecido como Open Document Format (ODF).

 

Histórico

A revista Texto Livre: Linguagem e Tecnologia foi criada pelo grupo Texto Livre, um grupo de pesquisa cadastrado no CNPq que atua junto a comunidades de ensino, pesquisa e desenvolvimento de software livre desde 2006. A primeira edição da revista foi publicada em 2008 e foi motivada pela necessidade de acolher textos sobre pesquisas em software livre, muito escassos na época. Gradativamente, a revista, vinculada à Faculdade de Letras da UFMG, foi se abrindo para o estudo de relação das linguagens com as tecnologias (ensino de línguas mediado pelos computadores, produção textual, semiótica) e a educação foi aparecendo com outro eixo importante nas publicações. Assim, definiu-se a revista como espaço que acolhe a interdisciplinaridade, não só na relação linguagem, educação e tecnologias, mas a diversidade possível que guarde um elo com as tecnologias.

Entre os valores do grupo, a revista assume compromisso com o software livre (que agrega à revista a busca pela liberdade e pela colaboratividade principalmente), com a ciência aberta (defesa de: transparência, reutilização de dados de pesquisas, reprodutibilidade de resultados e metodologias, cooperação e responsabilidade) e com a pesquisa séria e de qualidade (contrariando um movimento de revistas predatórias, que republicam textos sem avaliação e por dinheiro).