PLATAFORMAS DIGITAIS

UMA ANÁLISE SOB AS LENTES DA CRÍTICA DA ECONOMIA POLÍTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2238-037X.2023.49408

Palavras-chave:

Plataformas Digitais, Trabalho Digital, Capitalismo de Plataforma, Economia Política, Marxismo

Resumo

O artigo relata parte de uma pesquisa em andamento cujo objetivo é analisar as particularidades das relações sociais envolvidas nos principais tipos de plataformas digitais da atualidade. Para atingir esse objetivo, a análise emprega as lentes da crítica da economia política. Adotando uma compreensão do trabalho em sua forma social especificamente capitalista, o artigo problematiza a noção de trabalho digital. Em seguida, são analisados alguns argumentos presentes na discussão contemporânea sobre plataformas digitais. Por fim, ao propor uma nova classificação para elas, o artigo aborda algumas controvérsias do debate marxista acerca das relações sociais envolvidas nas plataformas digitais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Moreno Marques, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor e mestre em Ciência da Informação pela Escola de Ciência da Informação (ECI) da UFMG. Professor e pesquisador da Escola de Ciência da Informação da UFMG, no Departamento de Teoria e Gestão da Informação (DTGI)

Referências

ABÍLIO, Ludmila Costhek. Uberização: Do empreendedorismo para o autogerenciamento subordinado. Psicoperspectivas, v. 18, n. 3, 2019.

ABÍLIO, Ludmila Costhek. Plataformas digitais e uberização: Globalização de um Sul administrado? Contracampo. v. 39, n. 1, 2020.

AMORIM, Henrique. Trabalho imaterial: Marx e o debate contemporâneo. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2018.

ANTUNES, Ricardo. O privilégio da servidão. São Paulo: Boitempo, 2018.

ANTUNES, Ricardo. Trabalho intermitente e uberização do trabalho no limiar da indústria 4.0. In: ANTUNES, R. (org.). Uberização, trabalho digital e indústria 4.0. São Paulo: Boitempo, 2020.

BARAN, Paul A.; SWEEZY, Paul. M. Capitalismo monopolista: ensaio sobre a ordem econômica e social americana. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

BASTOS, Manoel Dourado; BERNARDI, Guilherme; LONCOMILLA, Gina Mardones. “Não cito alguns aparelhos senão por se ligarem a certo ofício”: as relações entre superexploração da força de trabalho e subsunção do trabalho intelectual. No prelo.

BASTOS, Manoel Dourado; BERNARDI, Guilherme. Plataformas digitais, autonomização da informação e a crise: a negatividade imanente da forma social da comunicação no capitalismo financeiro. Avatares de la Comunicación y la Cultura, n. 24, p. 1-19, 2022.

BERNARDI, Guilherme; BASTOS, Manoel Dourado. Trabalho gratuito nas redes: os usuários a serviço do capital. In: LXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Anais, Joinville, 2018.

BOLAÑO, César Ricardo Siqueira. Indústria cultural, informação e capitalismo. São Paulo: Hucitec/Pólis, 2000.

BOLAÑO, César Ricardo Siqueira. Plataformas digitais e as mudanças na mediação social sob o viés da Economia Política da Comunicação, Informação e Cultura. EPTIC. v. 22, n. 1, p. 97-105. 2022.

BOLAÑO, César Ricardo Siqueira. A regulação das plataformas e o projeto nacional. Outras Palavras. 12 mai. 2023.

BOLAÑO, César Ricardo Siqueira; MARTINS, Helena; VALENTE, Jonas Chagas. Para a análise teórico-metodológica das plataformas digitais como estruturas de mediação a partir da Economia Política da Comunicação. Avatares de la Comunicación y la Cultura, n. 24, p. 1-10, 2022.

BOLAÑO, César Ricardo Siqueira; VIEIRA, Eloy. Economia política da internet e os sites de redes sociais. EPTIC, v. 16, n. 2, p. 71-84, 2014.

BOLAÑO, César Ricardo Siqueira; ZANGHELINI, Fabrício André. Desmistificando o trabalho mediado por aplicativos e plataformas digitais. Memorias Congreso ALAIC, n. 1, 2022.

CARVALHO SILVA, Cleverson Ramon. O chão de fábrica das redes sociodigitais: o trabalho dos produtores de conteúdo na dinâmica do capitalismo contemporâneo. Tese (Doutorado em Administração), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Belo Horizonte (MG), 2023.

CASILLI, Antonio. Da classe virtual aos trabalhadores do clique: a transformação do trabalho em serviço na era das plataformas digitais. MATRIZes. v. 14, n. 20, p. 13-21, 2020.

CASILLI, Antonio. Waiting for robots: the ever-elusive myth of automation and the global exploitation of digital labor. Sociologias. v. 23, n. 57, p. 112-133, 2021.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em redes. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

CIPOLLA, Francisco Paulo; AQUINO, Dayani, Cris de; GIORGI, Fernando di. Capital comércio de vendas: o trabalho de delivery sob o julgo dos capitais de plataforma. Economia e Sociedade, v. 31, n. 3, p. 671-699, 2022.

CUSHING, Ellen. Dawn of the Digital Sweatshop. East Bay Express. 01 ago. 2012.

FERRAZ, Deise Luiza da Silva; FRANCO, David Silva; MACIEL, Jéssica Alves. Desvelando o prosumption: o produtor-consumidor, as plataformas digitais e o movimento do capital. REAd – Revista Eletrônica de Administração. v. 27, n. 2, p. 519-546, 2021.

FIGUEIREDO SOBRINHO, Carlos Peres. Algoritmos, subsunção do trabalho, vigilância e controle: novas estratégias de precarização do trabalho e colonização do mundo da vida. EPTIC, v. 21, n. 1, p. 156-172, 2019.

FIGUEIREDO SOBRINHO, Carlos Peres. Redes sociais, plataformas e apropriação do tempo livre: crítica à teoria do trabalho digital não pago e suas consequências absurdas. In: MARQUES, R. M.; BASTOS, M. D. (org.). Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura: confrontando as barbáries do capital no século XXI. São Cristovão (SE): Edições Ulepicc-Brasil. 2022.

FIGUEIREDO SOBRINHO, Carlos Peres; BOLAÑO, César Ricardo Siqueira. Social media and algorithms: configurations of the lifeworld colonization by new media. International Review of Information Ethics, v. 26, n. 1, p. 26-38, 2017.

FINE, Ben; SAAD-FILHO, Alfredo. O capital de Marx. 6a edição. Lisboa: Presença, 2018.

FONTES, Ivana. Como a lógica de assinaturas de OnlyFans e Twitch está cansando influencers. Terra. 15 ago. 2022.

FONTES, Virgínia. Capitalismo em tempos de uberização: do emprego ao trabalho. Marx e o Marxismo, v. 5, n. 8, p. 45-67, 2017.

FRANCO, David Silva; FERRAZ, Deise Luiza da Silva; FERRAZ, Janaynna de Moura. Economia política da uberização: a exploração dos trabalhadores conforme as três formas de intermediação do trabalho nas empresas-plataforma. Organizações & Sociedade, v. 30, n. 105, p. 367-396, 2022.

FUCHS, Christian. Digital labour and Karl Marx. New York: Routledge, 2014.

FUCHS, Christian. Culture and economy in the age of social media. New York: Routledge, 2015.

FUCHS, Christian. Teoria e análise do trabalho digital: das cadeias globais de valor aos modos de produção. Trabalho & Educação. v. 27, n. 3, p. 73-109, 2018.

GANDINI, Alessandro. Digital labour: an empty signifier? Media, Culture & Society, v. 43, n. 2, p. 1-12, 2020.

GRESPAN, Jorge. Marx: uma introdução. São Paulo: Boitempo, 2021.

HOWE, Jeff. The rise of crowdsourcing. Wired. 06 jan. 2006.

HUWS, Ursula. Vida, trabalho e valor no século XXI: desfazendo o nó. Caderno CRH, v. 27, n. 70, p. 13-30, 2014a.

HUWS, Ursula. Labor in the global digital economy: the cybertariat comes of age. Londres: Merlin, 2014b.

JEON, Heesang. A economia do conhecimento. In: SAAD FILHO, A.; FINE, B. Dicionário de economia política marxista. São Paulo: Expressão Popular, 2020.

KANGAL, Kaan. The Karl Marx problem in contemporary new media economy: a critique of Christian Fuchs account. Television & New Media. v. 17, n. 5, p. 1-13, 2016.

KOSIK, Karel. Dialética do concreto. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

LONDERO, Rodolfo. A atenção produz valor? Os equívocos da teoria do valor atenção. Revista Fronteiras, v. 34, n. 3, p. 123-131, 2022.

LUKÁCS, György. História e consciência de classe: estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

LUKÁCS, György. Os princípios ontológicos fundamentais de Marx. In: LUKÁCS, G. Para uma ontologia do ser social, v. 1. São Paulo: Boitempo, 2012.

MACHADO, Gustavo. Marx e a história: das particularidades nacionais à universalidade da revolução socialista. São Paulo: Sundermann, 2018.

MARQUES, Rodrigo Moreno. Contribuições à crítica da propriedade intelectual. Tendências da pesquisa brasileira em ciência da informação, v. 7, n. 2, p. 160-179, 2014.

MARQUES, Rodrigo Moreno. Polarization of information and knowledge: a dialectical approach. International Review of Information Ethics, v. 26, p. 16-25, 2017.

MARQUES, Rodrigo Moreno. Trabalho e valor nas mídias sociais: uma análise sob as lentes do marxismo. Trabalho & Educação, v. 27, n. 3, p. 111-130, 2018.

MARQUES, Rodrigo Moreno. Karl Marx enfrenta o enigma da produção imaterial. Liinc em Revista, v. 16, p. 1-15, 2020.

MARQUES, Rodrigo Moreno. Fetichismo da informação e da cultura: contribuições à crítica da Ciência da Informação. In: FROTA, M. G. C.; SILVEIRA, F. J. N.; MARQUES, R. M. (Org). Informação, mediação e cultura: teorias, métodos e pesquisas. BH: Letramento, 2022.

MARTINS, Helena. vigilância no capitalismo contemporâneo. E-Compós, v. 25, p. 1-19, 2021.

MARX, Karl. Teorias da mais-valia. Volume I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

MARX, Karl. Crítica da filosofia do direito de Hegel. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

MARX, Karl. Economic Manuscript of 1861-1863. In: Marx, K.; Engels, F. Collected Works, v. 34, London: Lawrence & Wishart. 1994.

MARX, Karl. Prefácio. In: Contribuição à crítica da economia política. SP: Martins Fontes, 2003.

MARX, Karl. Teses Ad Feuerbach. In: MARX, K.; ENGELS, F. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, Karl. O método da economia política. In: Grundrisse. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, Karl. Crítica do programa de Gotha. São Paulo: Boitempo. 2012.

MARX, Karl. O Capital – Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013a.

MARX, Karl. Prefácio da primeira edição. In: O Capital – Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013b.

MARX, Karl. Posfácio da segunda edição. In: O Capital – Livro I. São Paulo: Boitempo, 2013c.

MARX, Karl. O Capital – Livro II. São Paulo: Boitempo, 2014.

MARX, Karl. O Capital – Livro III. São Paulo: Boitempo, 2017.

MARX, Karl. Capítulo VI (inédito): manuscritos de 1863-1867. São Paulo: Boitempo, 2022.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MAURÍCIO, Patrícia; ALMEIDA, Raquel de Queiroz. Impactos da ideologia empreendedora e plataformizada na reconfiguração da produção de notícias. In: Marques, R. M.; BASTOS, M. D. (Org.). Economia Política da Informação, da Comunicação e da Cultura: confrontando as barbáries do capital no século XXI. São Cristóvão (SE): Ulepicc-Brasil, 2022.

MOROZOV, Evgeny. Cheap cab ride? You must have missed Uber’s True Cost. The Gardian, 31 jan. 2016.

NETTO, José Paulo. O que é marxismo. São Paulo: Brasiliense, 2006.

NETTO, José Paulo. Introdução ao estudo do método de Marx. SP: Expressão Popular, 2011.

PERELMAN, Michael. Steal this idea: intellectual property rights and the corporate confiscation of creativity. New York: Palgrave Macmillan, 2002.

ROMERO, Daniel. Marx e a técnica: um estudo dos manuscritos de 1861-1863. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

ROTTA, Tomás Nielsen; TEIXEIRA, Rodrigo Alves. The commodification of knowledge and information. In: VIDAL, M.; SMITH, T.; ROTTA, T.; PREW, P. (org.). The Oxford Handbook of Karl Marx. New York: Oxford University Press, 2019.

RUBIN, Isaak Illich. A teoria marxista do valor. São Paulo: Polis, 1987.

SANTOS, Verlane Aragão. A centralidade e o problema do trabalho cultural. In: 44º Intercom - Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Anais, online, 2021.

SMYTHE, Dallas Walker. Communications: Blindspot of Western Marxism. Canadian Journal of Political and Social Theory. v.1, n.3, p.1-27, 1977.

SOUZA, Rafaela Martins de; BASTOS, Manoel Dourado. Os fundamentos sociais do patriarcado de mídia. Pauta Geral - Estudos em Jornalismo, v. 6, n. 2, p. 53-69, 2019.

SRNICEK, Nick. Platform capitalism. Cambridge: Polity Press, 2017a.

SRNICEK, Nick. The challenges of platform capitalism: understanding the logic of a new business model. Juncture, v. 23, n. 4, p. 254-257, 2017b.

SRNICEK, Nick. Valor, renda e capitalismo de plataforma. Revista Fronteiras – estudos midiáticos, v. 24, n. 1, p. 2-13. 2022.

STRÖM. Timothy Erik. Capital and cybernetics. New Left Review, v. 135, p. 23-41,2023.

VALENTE, Jonas Chagas. Tecnologia, informação e poder: das plataformas on-line aos monopólios digitais. Tese (Doutorado em Sociologia), Universidade de Brasília (UnB), Brasília (DF), 2019.

VAN DIJCK, José. Confiamos nos dados? As implicações da datificação para o monitoramento social. MATRIZes, v. 11, n. 1, p. 39–59, 2017.

VAN DIJCK, José; POELL, Thomas; WAAL, Martijn de. The platform society. New York: Oxford University Press, 2018.

ZANGHELINI, Fabrício André. Os nós desfeitos (e feitos) por Ursula Huws. Espaço e economia, v. 12, n. 25, p. 1-14, 2023.

ZUBOFF, Shoshana. Big other: capitalismo de vigilância e perspectivas para uma civilização de informação. In: BRUNO, Fernanda et al. (Org). Tecnopolíticas da vigilância: perspectivas da margem. São Paulo: Boitempo, 2018.

ZUBOFF, Shoshana. A era do capitalismo de vigilância: a luta por um futuro humano na nova fronteira do poder. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2020.

Downloads

Publicado

2024-01-24

Como Citar

MARQUES, R. M. PLATAFORMAS DIGITAIS: UMA ANÁLISE SOB AS LENTES DA CRÍTICA DA ECONOMIA POLÍTICA. Trabalho & Educação, Belo Horizonte, v. 32, n. 3, p. 127–150, 2024. DOI: 10.35699/2238-037X.2023.49408. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/trabedu/article/view/49408. Acesso em: 20 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS