Avaliação da sensibilidade dos agentes etiológicos causadores da mastite subclínica a antimicrobianos em vacas leiteiras

Autores

  • Keicy Sandy Silvestre Souza Medica Veterinaria Egressa Funorte
  • Yvana Camila de Moraes Oliveira
  • Ana Flávia Vieira Duarte
  • Thiago Caldeira de Oliveira
  • Álvaro Luís de Carvalho Veloso
  • Priscilla Maria Carvalho Oliveira
  • Núbia da Silva Ferreira Fernandes

Resumo

A terapia antimicrobiana é fundamental no controle e prevenção da mastite subclínica e é determinante para a erradicação da doença em um rebanho, porém o acesso facilitado e a utilização indiscriminada dos antimicrobianos podem ter contribuído para o aumento progressivo da resistência bacteriana. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a sensibilidade dos agentes causadores da mastite subclínica aos antimicrobianos e identificar aquele de maior eficácia para o tratamento de mastite subclínica em vacas leiteiras. O estudo foi realizado com 156 vacas em lactação provenientes de três fazendas da região de Bocaiúva-MG, onde se coletou 5 ml de leite do quarto mamário positivo ao teste do CMT, que não apresentou indicativo de mastite clínica. As amostras foram encaminhadas ao Laboratório de Microbiologia das Faculdades Integradas do Norte de Minas - FUNORTE, onde se realizou a cultura bacteriana e a técnica de difusão em discos. Das 51 amostras isoladas de leite que apresentaram mastite subclínica, reagentes ao CMT, 60,78% foram positivas ao exame microbiológico, sendo 3,23%, detectada como Streptococcus spp., 12,90%, como Bacilos gram negativos e 83,87, como Staphylococcus spp. Dentre os antimicrobianos testados para Staphylococcus spp. a gentamicina apresentou maior eficácia com 96,15% de sensibilidade, seguido da amicacina e cefalexina que apresentaram sensibilidade de 92,31%, a Penicilina G foi a menos eficaz, com resistência de 73,08%. Entre os 26 isolados testados, 26,92%, apresentaram MAR ≥ 0,2. A genta­micina, seguida da amicacina e cefalexina, são os antimicrobiano de maior eficiência para o tratamento da mastite subclínica em vacas de leite na região de Bocaiúva/MG. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, T. V. Parâmetros de qualidade do leite cru bovino: contagem bacteriana total e contagem de células somáticas. Seminário (Mestrado) - Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, 2013.

BANDOCH, P.; MELO, L. D. S. D. Prevalência de mastite bovina por Staphylococcus aureus: uma revisão bibliográfica. Publicatio UEPG: Biological and Health Sciences, Ponta Grossa, v. 17, n. 1, p. 47-51, 2011.

BARBALHO, T. C. F.; MOTA, R. A. Isolamento de agentes bacterianos envolvidos em mastite subclínica bovina no Estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v. 2, n. 2, p. 31-36, 2001.

BARLOW. J. Mastitits therapy and antimicrobial susceptibility: a multispecies review with a focus on antibiotic treatment of mastitis in dairy cattle. Jounal of Mammary Gland Biology and Neoplasia, v. 16, n. 4, p. 383-407, 2011.

BAUER, A.W. et al. Antibiotic susceptibility testing by a standardized single disk method. American Journal of Clinical Pathology, v. 45, p. 493-496, 1966.

BEURON, D. C. Prevalência e susceptibilidade antimicrobiana de patógenos causadores de mastite em rebanhos leiteiros. Dissertação (mestrado) - Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, USP, Pirassununga, 2012.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa n.62 de 29 de dezembro de 2011. Regulamento Técnico de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, de Leite Cru Refrigerado, de Leite Pasteurizado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel, em conformidade com os Anexos desta Instrução Normativa. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, seção 1, p. 13. Instrução Normativa 62. 2011.

COSTA, E.O. et al. Mastite bovina: CMT versus microbiológico. Hora Veterinária, v.15, n.89, p.53-54, 1996.

COSTA, E. O. Importância da mastite na produção leiteira do país. Revista da Educação Continuada do CRMV-SP, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 3-7, 1998.

COSTA, A. C. D. Mastite subclínica: Patógenos isolados e respectiva sensibilidade antimicrobiana, variação da contagem de células somáticas e fatores de risco. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Goiás, Escola de Veterinária, Goiânia, 2010.

COSTA, E. O. Uso de antimicrobianos na mastite. In: SPINOSA, H. S.; GÓRNIAK, S. L.; BERNARDI, M. M. Farmacologia aplicada à medicina veterinária. 5° ed. Rio de Janeiro:
Guanabara Koogan, p. 487-500, 2011.

FREITAS M.F.L., et al. Perfil de sensibilidade antimicrobiana in vitro de Staphylococcus coagulase positivos isolados de leite de vacas com mastite no agreste do estado de Pernambuco. Arquivo do Instituto Biológico, São Paulo, v. 72, n. 2, p. 171-177. 2005.

GUIMARÃES, G. et al. Caracterização fenotípica, produção de biofilme e resistência aos antimicrobianos em isolados de Staphylococcus spp. obtidos de casos de mastite em bovinos e bubalinos. Revista Pesquisa Veterinária Brasileira, Seropédica, v. 32, n. 12, p.1219-1224, dez. 2012.

GUIMARÃES, J. D. L. B. Estimativa do impacto econômico da mastite: Estudo de caso em um rebanho da raça holandesa em condições tropicais Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2013.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da pecuária mundial. Rio de Janeiro, 2013.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estatística da Produção Pecuária. Brasília, 2015.

KRUMPERMAN, P.H. Multiple antibiotic resistance indexing of Escherichia coli to identify high-risk sources of fecal contamination of foods. Applied and Environmental Microbiology, v.46, n.1, p.1165-70, 1983.

LANGONI, H. et al. Cultivo microbiológico e a sensibilidade no isolamento de patógenos nas mastites bovinas. Veterinária e Zootecnia (UNESP), São Paulo, v. 16, n. 4, p. 708-715, 2009.

LOPES, L. O.; LACERDA, M. S. D.; RONDA, J. B. Uso de antibióticos na cura e controle de mastite clínica e subclínica causada por principais microrganismos contagiosos em bovinos leiteiros: Revisão de literatura. Revista Científica de Medicina Veterinária, Garça, ano XI, n. 21, p. 01-15, 2013.

LOPES, L. O.; LACERDA, M. S. D.; RONDA, J. B. Controle e profilaxia de mastite causada por Staphylococcus sp. Em vacas leiteiras: Revisão de literatura. Revista Científica de Medicina Veterinária, Garça, ano XII, n. 22, p. 01-15, 2014.

MEDEIROS, E. S. et al. Perfil de sensibilidade microbiana in vitro de linhagens de Staphylococcus spp. isoladas de vacas com mastite subclínica. Pesquisa Veterinária Brasileira, Rio de Janeiro, v. 29, n. 7, p.569-574, jul. 2009.

MENDES, D. (Org.). Características da região Norte de Minas Gerais. 2011. Disponível em: http://www.favag.edu.br/index.php/institucional/caracteristicas-da-regiao. Acesso em: 22 abr. 2015.

National Committee for Clinical Laboratory Standards-NCCLS. Performance Standards for Antimicrobial Disk Susceptibility Tests: Approved Standard Eleventh Edition. Wayne: CLSI document M02-A11, January 2012a.

National Committee for Clinical Laboratory Standards-NCCLS. Performance Standards for Antimicrobial Disk Susceptibility Tests: Performance Twenty-Second Informational Supplement. Wayne: CLSI document M100-S22, January 2012b.

OLIVEIRA, N. J. F. D.; ALMEIDA, A. C. D.; VIEIRA, V. A. Verificação das práticas de uso de antibióticos em rebanhos bovinos provenientes unidades de agricultura familiar no Norte de Minas Gerais. Dissertação (mestrado) - Instituto de Ciências Agrárias, UFMG, Montes Claros, 2011.

OLIVEIRA, U. V. D. et al. Eficácia in vitro da gentamicina sobre bactérias isoladas de vacas com mastite subclínica na microrregião Ilhéus-Itabuna, Bahia. Revista Brasileira de Medicina Veterinária, Rio de Janeiro, v. 34, n. 3, p.213-218, jul. 2012.

PELLEGRINO, M. S. et al. Mastitis Bovina: Resistencia a antibióticos de cepas de Staphylococcus aureus asiladas de leche. Revista Electrónica de Veterinaria, Espanha, v. 12, n. 7, p. 01-14, 2011.

QUINN, P. J. et al. Agentes microbianos e produção de doença: Causas bacterianas de mastite bovina. In: QUINN, P. J. et al. Microbiologia Veterinária e Doenças Infecciosas. Porto Alegre: Artmed, p. 451-460, 2005.

RICHTER, E. M. et al. Ações de manejo e sanitárias no controle de CCS em rebanhos leiteiros agroecológicos. Cadernos de Agroecologia, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 01-04, nov. 2013.

SAINI, V. et al. Antimicrobial use on Canadian dairy farms. Journal Dairy Science, v. 95, n. 3, p. 1209-1221, 2012.

SCHALM, O. W.; NOORLANDER, D. O. Experiments and observation leading to development of California Mastitis Test. Journal of America Veterinary Medical Association, Schaumburg, v. 130, n. 5, p. 199-204, 1957.

SCHLESINGER, S. Onde pastar?: O gado bovino no Brasil. Rio de Janeiro: Fase, 2010.

SHI, D. et al. Antimicrobial resistance of Staphylococcus aureus isolanted from bovine mastitis in China. Transboundary and Emerging Diseases, v. 57, n. 4, p. 221-224, 2010.

SILVA, E. R. D. et al. Perfil de sensibilidade antimicrobiana in vitro de Staphylococcus aureus isolado de mastite subclínica bovina. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, Salvador, v. 13, n. 3, p.701-711, jul. 2012.

Simões, T. V. M. D. et al. Identificação laboratorial de Staphylococcus aureus em leite bovino. Embrapa Tabuleiros Costeiros, Aracaju, 11 p., 2013.

USDA, United States Department of Agriculture Foreign Agricultural Service. Production, Cows Milk Production and Consumption: Summary For Selected Countries. 2014. Disponível em: https://apps.fas.usda.gov/psdonline/. Acesso em: 19 de março de 2015.

ZAFALON, L. F. et al. Investigação de perfis de resistência aos antimicrobianos em Staphylococcus aureus isolados na ordenha de vacas em lactação. Revista do Instituto Adolfo Lutz, São Paulo, v. 67, n. 2, p.118-125, 2008.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Como Citar

Souza, K. S. S., Oliveira, Y. C. de M., Duarte, A. F. V., Oliveira, T. C. de, Veloso, Álvaro L. de C., Oliveira, P. M. C., & Ferreira Fernandes, N. da S. (2016). Avaliação da sensibilidade dos agentes etiológicos causadores da mastite subclínica a antimicrobianos em vacas leiteiras. Caderno De Ciências Agrárias, 8(2), 83–89. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2917

Edição

Seção

COMUNICAÇÃO