Estimativa da umidade de equilíbrio da madeira de Hymenolobium heterocarpum Ducke para o sul de Tocantins/ Estimation of the equilibrium moisture of wood Hymenolobium heterocarpum Ducke for the south of Tocantins

Autores

Palavras-chave:

Palavras-chave, Água e madeira. Equação. Higroscopicidade. Keywords, Water and wood. Equation. Hygroscopicity

Resumo

 

Resumo: O objetivo deste estudo foi determinar a umidade de equilíbrio da madeira de Hymenolobium heterocarpum e compará-la com a estimada pela equação de Enderby-King, visando determinar se tal equação estima com precisão a umidade de equilíbrio dessa espécie para a região sul do estado de Tocantins. Para determinar a umidade de equilíbrio da madeira foram utilizadas vinte e quatro amostras, sendo doze secas ao ar livre e doze secas em estufa, logo as amostras foram expostas durante o período de um ano em ambiente interno e externo, sendo obtido o valor médio de 10,59%. Quanto a estimativa da umidade de equilíbrio da madeira foram empregados os valores de temperatura e umidades relativas por meio dos dados climáticos da região sul de Tocantins e do Município de Gurupi – TO, obtendo-se 13,64%. Os resultados permitiram concluir que a madeira de Hymenolobium heterocarpum tende a atingir valores semelhantes de umidade de equilíbrio tanto quanto seca artificialmente ou ar livre e exposta à diferentes condições. As médias de umidade de equilíbrio apresentadas pela equação foi superior à umidade de equilíbrio real da madeira. Portanto, conclui-se que a equação estudada superestima a umidade de equilíbrio da madeira de Hymenolobium heterocarpum armazenadas no sul do estado de Tocantins, tanto quanto a secagem das amostras ao ar livre e em estufa quanto a exposição das amostras em ambiente interno e externo, não fornecendo referenciais consistentes para utilização de tal equação para região e espécie apresentada.

Abstract: The aim of this study was to determine the equilibrium moisture content of Hymenolobium heterocarpum and to compare it with that estimated by the Enderby-King equation, in order to determine if this equation accurately estimates the equilibrium moisture of this species for the southern region of the state of Tocantins. Twenty-four samples were used to determine the equilibrium moisture content of the wood. Twelve were dried in the open air and twelve were dried in an oven, so the samples were exposed during one year to an internal and external environment with a means of 10.59%. Regarding the estimation of the equilibrium moisture of the wood, the values of temperature and relative humidity were used by means of climatic data of the southern region of Tocantins and of the Municipality of Gurupi - TO, obtaining 13.64%. The results allowed to conclude that Hymenolobium heterocarpum wood tends to reach similar values of equilibrium moisture as much as it dries artificially or outdoors and exposed to different conditions. The means of equilibrium moisture presented by the equation was higher than the real equilibrium moisture content of the wood. Therefore, it is concluded that the studied equation overestimates the equilibrium moisture content of Hymenolobium heterocarpum wood stored in the southern state of Tocantins, as well as the drying of the samples in the open air and in the greenhouse, as well as the exposure of the samples in internal and external environment, not providing consistent references for the use of such equation for the region and species presented.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelle Teodoro Lima, Universidade Federal de São Carlos

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Tocantins (2013), Especialização em Avaliação de Impactos Ambientais e Recuperação de Área Degradada pelo Centro Universitário de Belo Horizonte (2015) e Mestrado em Sustentabilidade na Gestão Ambiental pela Universidade Federal de São Carlos.

Edy Eime Pereira Baráuna, Universidade Federal de Minas Gerais

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Amazonas (2001), mestrado em Ciências Florestais e Ambientais pela Universidade Federal do Amazonas (2006) e Doutorado em Ciência e Tecnologia da Madeira pela Universidade Federal de Lavras (2010). Atualmente é Professor Adjunto IV do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Minas Gerais e professor permanente no Programa de Pós-graduação em Ciências Florestais e Ambientais da Universidade Federal do Tocantins - UFT (Mestrado), desde 2012. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Relações Água-Madeira, Secagem da madeira, Física da Madeira e Preservação da Madeira.

Duam Matosinhos de Carvalho, Consultor - Empresa Privada

Engenheiro Florestal pela Universidade Federal de Tocantins

Thiago Campos Monteiro, Universidade Federal de Minas Gerais

Engenheiro florestal, mestre e doutor em Ciência & Tecnologia da Madeira pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente é professor do curso de engenharia florestal da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), com experiência nas áreas de anatomia, secagem e industrialização da madeira.

Referências

BARAÚNA, E. E. P.; OLIVEIRA, V. S. Umidade de equilíbrio da madeira de angelim vermelho (Dinizia excelsa Ducke), guariúba (Clarisia racemosa Ruiz; Pav.) e tauarí vermelho (Cariniana micrantha Ducke) em diferentes condições de temperatura e umidade relativa. Acta Amazonica, Manaus, v. 39, n. 1, p. 91-96, 2009.

BARONAS, R. et al. Modelling of moisture movement in wood during outdoor storage. Nonlinear analysis: modeling and control, v. 6, n. 2, p. 3-14, 2001.

BODIGN, J.; JAYNE, B. A. Mechanics of wood and wood composites, Van Nostrand Reinhold Company Inc., New York: USA, 1993. 712p.

CHEN, Z. et al. Equilibrium moisture content of Norway spruce at low temperature. Wood and Fiber Science, Madison, v. 41, n. 3, p. 325-328, 2009.

ENGELUND, E. T. et al. A critical discussion of the physics of wood–water interactions. Wood Science and Technology, New York, v. 47, p. 141-161, 2013.

GALVÃO, A. P. M., 1975. Estimativas da umidade de equilíbrio da madeira em diferentes cidades do Brasil. Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, Piracicaba, n. 11, p. 53-65, 1975.

GALVÃO, A. P. M.; JANKOWSKY, I. P. Secagem reacional da madeira. São Paulo: Nobel, 1985. 111p.

INMET - INSTITUTO NACIONAL DE METEOROLOGIA. Normais Climatológicas (1961-1990). Brasília, INMET – Instituto Nacional de Meteorologia/Ministério da Agricultura e Reforma Agrária, 1992.

JANKOWSKY, I. P. Variação sazonal da umidade de equilíbrio para madeira de Pinus. Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, Piracicaba, v. 3, n. 31, p. 41-46, 1985.

KILIC, A.; NIEMZ, P. Extractives in some tropical woods. European Journal of Wood and Wood Products, Berlin, v. 70, n. 1, p. 79-83, 2012.

LANDRY, M. R. Thermoporometry by differential scanning calorimetry: experimental considerations and applications. Thermochim Acta, v. 433, p. 27-50, 2005.

MARTINS, V. A. Secagem de madeira serrada. Brasília: Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal/ Laboratório de Produtos Florestais, 1988. 56p.

MARTINS, V. A. et al. Umidade de equilíbrio e risco de apodrecimento da madeira em condições de serviço no Brasil. Brasil Florestal, Brasília, v. 76, n. 1, p. 29-34, 2003.

MENDES, L. M.; ARCE, J. Análise comparativa das equações utilizadas para estimar a umidade de equilíbrio da madeira - Parte I. Revista Cerne, Lavras, v. 9, n. 2, p. 141-152, 2003.

PÉREZ-PEÑA, N. et al. Predicción del contenido de humedad de equilibrio de la madera em función del peso específico de la pared celular y variables ambientales. Maderas. Ciencia y Tecnología, Concepción, v. 13, n. 3, p. 253-266, 2011.

PERMAN, H. L. Humidity. London, Chapman and Hall Limited, 1958. 71p.
SKAAR, C. Wood – water relations. New York: Springer – Verlag, 1988. 283p.

WENGERT, G. Measuring moisture content. Cabinet Maker, v. 19, n. 2, p. 26-27, 2005.

Downloads

Publicado

2017-12-22

Como Citar

Lima, M. T., Baráuna, E. E. P., de Carvalho, D. M., & Monteiro, T. C. (2017). Estimativa da umidade de equilíbrio da madeira de Hymenolobium heterocarpum Ducke para o sul de Tocantins/ Estimation of the equilibrium moisture of wood Hymenolobium heterocarpum Ducke for the south of Tocantins. Caderno De Ciências Agrárias, 9(3), 1–7. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2950

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS