Biometria e superação da dormência em sementes de Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit / Biometry and dormancy break of Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit seeds

Autores

  • Bruno Oliveira Lafetá Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais
  • Francimar Carvalho Gonçalves Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais
  • Matheus Bicalho Pereira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais
  • Tiago Nogueira Mendanha Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais
  • Paulo do Nascimento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas

Palavras-chave:

Palavras-chave, Germinação. Leucena. Temperatura. Keywords, Germination. Leucena. Temperature.

Resumo

Resumo: Diante à predominância de pesquisas com abordagem estatística qualitativa para a superação da dormência de sementes florestais, torna-se relevante a modelagem da germinação em função de tratamentos quantitativos. Os objetivos do presente trabalho foram caracterizar a biometria de sementes e avaliar a influência de tratamentos pré-germinativos na germinação da Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. As sementes foram caracterizadas conforme o tamanho e peso. O experimento foi instalado em delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições de 25 sementes, sendo os tratamentos assim constituídos: T1) Testemunha – Imersão das sementes em água à temperatura ambiente (27ºC); T2) Imersão das sementes em água aquecida a 70ºC; T3) Imersão das sementes em água aquecida a 80ºC; T4) Imersão das sementes em água aquecida a 90ºC e T5) Imersão das sementes em água aquecida a 100ºC. O tempo de imersão foi de 5 minutos. Realizou-se análise de variância e regressão. O tratamento cinco apresentou o maior número de sementes embebidas (96,0 %), germinadas (93,0 %), IVG (3,48) e emissões de parte aérea (93,0 %) e de raízes secundárias (72,0 %). Conclui-se que os resultados biométricos de largura, comprimento e espessura das sementes de L. leucocephala podem ser recomendados para auxiliar a diferenciação de espécies do gênero Leucaena. A imersão das sementes em água aquecida a 100ºC por 5 minutos favoreceu a germinação e foi o tratamento mais eficiente para superar a dormência da L. leucocephala.

 

Abstract: Due to the predominance of researches with qualitative statistical approaches to overcome dormancy of forest seeds, it is relevant to also model germination as a function of quantitative treatments. This research aimed to characterize seeds’ biometry and evaluate the influence of pre-germination treatments on germination of Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. The seeds were characterized according to size and weight. The experiment was established in a randomized design with four repetitions of 25 seeds, being treatments thus constituted: T1) Control - Soaking the seeds into water at environment temperature (27ºC); T2) Soaking the seeds into water heated to 70°C; T3) Soaking the seeds in water heated to 80ºC; T4) Soaking the seeds into water at 90ºC and T5) Soaking the seeds into water heated to 100ºC. The immersion time was 5 minutes. Variance and regression analyses were performed. Treatment five had the highest number of imbibed seeds (96,0 %), germinated seeds (93,0 %), IVG (3,48) and emission of shoots (93,0 %) and secondary roots (72,0 %). It was concluded that the biometrics results of width, length and thickness of the seeds of L. leucocephala may be recommended to aid in the differentiation of species of the genus Leucaena. Soaking into water heated to 100°C for 5 minutes favors germination and was the most effective treatment for breaking dormancy of L. leucocephala.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Oliveira Lafetá, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Professor assistente no IFMG - Campus São João Evangelista. Possui graduação em Engenharia Florestal (2009) e mestrado em Ciência Florestal (2012), ambos pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Realizou em 2010 mobilidade acadêmica (PROCAD) no Programa de Pós Graduação em Solos e Nutrição de Plantas na Universidade Federal de Viçosa. Atualmente, é doutorando em Ciência Florestal na UFVJM. Tem experiência na área de Recursos Florestais e Engenharia Florestal, com ênfase em Silvicultura, Modelagem e Manejo Florestal.

Francimar Carvalho Gonçalves, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (2017), graduação em Tecnologia em Silvicultura pelo Instituto Federal de Minas Gerais Campus São João Evangelista (2013), trabalhou como gerente de negócios na Empresa Junior Arbórea Florestal, Conselheiro Multiplicador do time FEJEMG (Federação das Empresas Juniores do Estado de Minas Gerais). Tem experiência na área de Engenharia Florestal, com ênfase, Técnicas Silviculturais, Estrutura Dinâmica de Florestas Nativas e Atividades Extensionistas no Setor Florestal. Profissional responsável, multidisciplinar, proativo, com bons conhecimentos práticos.

Matheus Bicalho Pereira, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Possui graduação em Silvicultura pelo Instituto Federal Minas Gerais(2013).

Tiago Nogueira Mendanha, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Possui graduação em Silvicultura pelo Instituto Federal Minas Gerais(2013).

Paulo do Nascimento, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas

Doutor em Fitotecnia pela Universidade Federal de Viçosa, Linha de pesquisa; desenvolvimento e tecnologia de sementes. Graduado em Biologia (Bacharel e Licenciado) pela mesma Universidade. Mestre em Meio Ambiente e Sustentabilidade, linha de pesquisa Gestão Ambiental; dissertação: manejo de solos sob lavoura cafeeira. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em ensino e aprendizagem e gestão do ensino público. Foi professor de Educação Básica (Ensino Fundamental, Médio e Pré-vestibular). Organizou feiras (mostras) de ciências, tendo relatado em congressos temas abordando a popularização da Ciência. Foi professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) do Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG). No Câmpus Avançado Ipatinga do IFMG, foi Diretor Geral Pró-tempore de 04/2014 a 09/2015. Atualmente é professor de EBTT no Câmpus Pouso Alegre do IFSULDEMINAS, onde trabalha com Biologia nos cursos Técnicos Integrados ao Médio.

Referências

ANDRADE, L. A. et al. 2010. Aspectos biométricos de frutos e sementes, grau de umidade e superação de dormência de jatobá. Acta Scientiarum, Maringá, v. 32, n. 2, p. 293-299, 2010.

AZEREDO, G. A. et al. Superação de dormência de sementes de Piptadenia moniliformis Benth. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 32, n. 2, p. 49-58, 2010.

BORGES, E. E. L. et al. Alterações fisiológicas em sementes de Tachigalia multijuga (Benth.) (Mamoneira) relacionadas aos métodos para a superação da dormência. Revista Árvore, Viçosa, v. 28, n. 3, p. 317-325, 2004.

BRASIL. Regras para análise de sementes. Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária, Brasília: Mapa/ACS, 2009, 395p.

BRIGGS, C. L.; MORRIS, E. C. Seed-coat dormancy in Grevillea linearifolia: little change in permeability to an apoplastic tracer after treatment with smoke an heat. Annals of Botany, 101, p. 623-632, 2008.

FONSECA, N. G.; JACOBI, C. M. Desempenho germinativo da invasora Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. e comparação com Caesalpinia ferrea Mart. Ex Tul. E Caesalpinia pulcherrima (L.) Sw. (Fabaceae). Acta Botânica Brasilica, Feira de Santana, v. 25, n. 1, p. 191-197, 2011.

GUSMÃO, E.; VIEIRA, F. A.; FONSECA, E. M. Biometria de frutos e endocarpos de murici (Byrsonima verbascifolia Rich. Ex A. Juss.). Cerne, Lavras, v. 12, n. 1, p. 84-91, 2006.

JELLER, H.; PEREZ, S. C. J. G. A. Estudo da superação da dormência e da temperatura em sementes de Cassia excelsa Schrad. Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 21, n. 1, p. 32-40, 1999.

JUBE, S. L. R.; BORTHAKUR, D. Transgenic Leucaena leucocephala expressing the Rhizobium gene pydA encording a meta-cleavage dioxygenase shows reduced minosine conten. Plant Physiology and Biochemistry, Amsterdam, v. 48, p. 273-278, 2010.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling and vigour. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

MARTINS, C. C.; ZUCARELI, C; COIMBRA, R. A. Procedimentos de colheita dos frutos na qualidade fisiológica de sementes de Sapindus saponaria Mart. Semina, Londrina, v. 32, n. 1, p. 1825-1830, 2011.

MENDES, S. S.; MESQUITA, J. B.; MARINO, R. H. Qualidade sanitária de sementes de Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit armazenadas em câmara fria. Natural Resources, Aracaju, v. 1, n. 1, p. 15-22, 2011.

NASCIMENTO, P. K. V.; FRANCO, E. T. H.; FRASSETTO, E. G. Desinfestação e germinação in vitro de sementes de Parapiptadenia rígida Bentham (Brenam). Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 141-143, 2007.

NWOKOCHA, L. M.; WILLIAMS, P. A. Rheological characterization of the galactomannan from Leucaena leucocephala seed. Carbohydrate Polymers, Amsterdam, v. 90. p. 833-838, 2012.

OLIVEIRA, A. B. Germinação de sementes de leucena (Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit.) var. K-72. Revista de Biologia e Ciência da Terra, João Pessoa, v. 8, n. 2, p. 166-172, 2008.

OLIVEIRA, A. B.; MEDEIROS FILHO, S. Influência de tratamentos pré-germinativos, temperatura e luminosidade na germinação de sementes de leucena, cv. Cunningham. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, Recife, v. 2, n. 4, p.268-274, 2007.

OLIVEIRA, L. M. et al. Germinação e vigor de sementes de Sapindus saponaria l. submetidas a tratamentos pré-germinativos, temperaturas e substratos. Ciência Rural, Santa Maria, v. 42, n. 4, p. 638-644, 2012.

PENFIELD, S. Seed dormancy and germination. Current Biology, Cambridge, v. 27, n. 17, 874-878, 2017.

PORCEDDU, M. et al. Sequential temperature control of multi-phasic dormancy release and germination of Paeonia corsica seeds. Journal of Plant Ecology, Oxford, v. 9, n. 4, 2016.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, 2017. Disponível em: <https://www.R-project.org/>. Acesso em: 23 mar. 2017.

SAMPAIO, L. S. V. et al. Ácido sulfúrico na superação da dormência de sementes de sucupira-preta (Bowdichia virgilioides H. B. K. – Fabaceae). Revista Brasileira de Sementes, Londrina, v. 23, n. 1, p. 184-190, 2001.

SOUZA, E. B. et al. Germinação de sementes de Adenanthera pavonina L. em função de diferentes temperaturas e substratos. Revista Árvore, Viçosa, v. 31, n. 3, p. 437-443, 2007.

TELES, M. M. et al. Métodos para quebra da dormência em sementes de leucena (Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit. Revista Brasileira de Zootecnia, Brasília v. 29, n. 2, p. 387-391, 2000.

Downloads

Publicado

2017-12-22

Como Citar

Lafetá, B. O., Gonçalves, F. C., Pereira, M. B., Mendanha, T. N., & Nascimento, P. do. (2017). Biometria e superação da dormência em sementes de Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit / Biometry and dormancy break of Leucaena leucocephala (Lam.) de Wit seeds. Caderno De Ciências Agrárias, 9(3), 76–83. Recuperado de https://periodicos.ufmg.br/index.php/ccaufmg/article/view/2988

Edição

Seção

ARTIGOS ORIGINAIS

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)