Significados das emoções no futebol brasileiro e argentino: um diálogo em contextos etnográficos distintos

Conteúdo do artigo principal

Gustavo Andrada Bandeira
Maria Nemesia Hijós

Resumo

Neste trabalho, pretendemos destacar como as emoções são narradas e representadas em dois contextos etnográficos distintos. No primeiro contexto etnográfico se procurou observar um currículo de masculinidade nos estádios de futebol em Porto Alegre, Brasil. Nosso segundo contexto é uma investigação acerca dos processos de ‘modernização’ da gestão esportiva em um clube de futebol, em Buenos Aires, na Argentina. Nos propomos a interpretar de que modo emoções e sentimentos são entendidos para a construção de masculinidades ou para as narrativas comercias do ‘produto futebol’. Se, em alguma medida, o amor e as emoções permitiriam questionar os ditos hegemônicos da cultura ao tensionar as permissividades de performatividades de gênero ou de uma lógica cartesiana de causa e efeito ou da necessidade produtiva, elas também podem enquadrar os sujeitos repetindo disputas de gênero e de consumo. Essa experiência afetiva não é nem uma contestação absoluta às normas vigentes nem uma aceitação total das mesmas. Ela seria mais bem entendida como um campo de possibilidades de vivências, de pertencimento e construção de subjetividade. Talvez os afetos estejam em disputa e nos parece que lutar por essa causa seja bastante justo. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Detalhes do artigo

Como Citar
Bandeira, G. A., & Hijós, M. N. (2017). Significados das emoções no futebol brasileiro e argentino: um diálogo em contextos etnográficos distintos. FuLiA/UFMG, 2(1), 80–102. https://doi.org/10.17851/2526-4494.2.1.80-102
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Gustavo Andrada Bandeira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

É doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Possui graduação em Pedagogia (2006) e mestrado em Educação pela mesma universidade (2009). Atualmente é técnico em assuntos educacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em currículo, atuando principalmente nos seguintes temas: masculinidade, currículo, futebol, emoções, mídia e juventude.

Maria Nemesia Hijós, Bolsista de Doutorado em Ciências Sociais no Instituto de Investigaciones Gino Germani da Universidad de Buenos Aires.

Bolsista de Doutorado em Ciências Sociais no Instituto de Investigaciones Gino Germani da Universidad de Buenos Aires.

Referências

ALABARCES, Pablo. Crónicas del aguante: fútbol, violencia y política. Buenos Aires: Capital Intelectual, 2012.

BANDEIRA, Gustavo Andrada. “Eu canto, bebo e brigo... alegria do meu coração”: currículo de masculinidades nos estádios de futebol. 2009. 128 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, UFRGS, Porto Alegre, 2009.

BROMBERGER, Christian. As práticas e os espetáculos esportivos na perspectiva da etnologia. Horizontes antropológicos: antropologia e esporte, Porto Alegre, ano 14, n. 30, p. 237-253, jul.-dez. 2008.

BROMBERGER, Christian. Significaciones de la pasión popular por los clubes de fútbol. Buenos Aires: Libros del Rojas, 2001.

BUTLER, Judith. Marcos de guerra: las vidas lloradas. Barcelona: Paidós, 2010.

COSTA, Jurandir Freire. Sem fraude nem favor: estudos sobre o amor romântico. Rio de Janeiro: Rocco, 1998.

CRUZ, Antonio Holzmeister Oswaldo. A nova economia do futebol: uma análise do processo de modernização de alguns estádios brasileiros. 2005. 123 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Museu Nacional, UFRJ, Rio de Janeiro, 2005.

DAMO, Arlei Sander. O espetáculo das identidades e das alteridades: as lutas pelo reconhecimento no espectro do clubismo brasileiro. In: CAMPOS, Flavio de; ALFONSI, Daniela (org.). Futebol objeto das ciências humanas. São Paulo: Leya, 2014. p. 23-55.

DAMO, Arlei Sander. Futebol, engajamento e emoção. In: HELAL, Renato; AMARO, Fausto (org.). Esporte e mídia: novas perspectivas. A influência da obra de Hans Ulrich Gumbrecht. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2014. p. 1 -28.

DAMO, Arlei Sander. Do dom à profissão: uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. 2005. 435 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, UFRGS, Porto Alegre, 2005.

DENARDIN, Pedro Ernesto. Sem choradeira. Diário Gaúcho, Porto Alegre, 15-16 mar. 2008, p. 14.

ELIAS, Norbert. Introdução. In: ELIAS, Norbert; DUNNING, Eric. A busca da Excitação. Lisboa: Difel, 1992. p. 39-99.

FELIPE, Jane. Do amor (ou de como glamourizar a vida): apontamentos em torno de uma educação para a sexualidade. In: RIBEIRO, Paula Regina Costa et al. (org.). Corpo, gênero e sexualidade: discutindo práticas educativas. Rio Grande: Editora da FURG, 2007. p. 31-45.

FREDERIC, Sabina. Buenos vecinos, malos políticos: moralidad y política en el gran Buenos Aires. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2004.

FRYDENBERG, Julio. La crisis de la tradición y el modelo asociacionista en los clubes de fútbol argentinos. Algunas reflexiones. efdeportes.com, Buenos Aires: SEUBE/FFyL/UBA, ano 6, n. 29, jan. 2001.

GARRIGA ZUCAL, José. “Soy macho porque me la aguanto”: etnografía de las prácticas violentas y la conformación de identidades de género masculino. In: ALABARCES, Pablo (org.). Hinchadas. Buenos Aires: Prometeo Libros, 2005. p. 39-58.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

GIDDENS, Anthony. O amor romântico e outras ligações. In: GIDDENS, Anthony. A transformação da intimidade. São Paulo: UNESP, 2003. p. 47-58.

GIL, Gastón. Monopolio televisivo y “gerenciamiento”: el fútbol como mercancía. efdeportes.com, Buenos Aires: SEUBE/FFyL/UBA, ano 5, n. 26, out. 2000.

GIULIANOTTI, Richard. Sociologia do futebol: dimensões históricas e socioculturais do esporte das multidões. São Paulo: Nova Alexandria, 2010.

GOIDANICH, Maria Elisabeth; RIAL, Carmen. Um lugar chamado supermercado. In: RIAL, Carmen; SILVA, Sandra Rubia da; SOUZA, Angela Maria de (org.). Consumo e cultura material: perspectivas etnográficas. Florianópolis: Editora UFSC, 2012. p. 175-190.

HIJÓS, María Nemesia. El deporte como mercancía: un estudio sobre la dimensión económica y las múltiples lógicas en el Club Atlético Boca Juniors. 2013. Tesis (Licenciatura en Ciencias Antropológicas) – Facultad de Filosofía y Letras, Universidad de Buenos Aires, Buenos Aires, 2013.

MACRI, Mauricio; BALLVÉ, Alberto; IBARRA, Andrés. Pasión y gestión. Buenos Aires: Aguilar, 2009.

MAUSS, Marcel. A expressão obrigatória dos sentimentos. In: OLIVEIRA, Roberto Cardoso de (org.). Marcel Mauss. São Paulo, Ática, 1979. p. 147-153.

PRIORE, Mary Del. História do amor no Brasil. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2006.

PRONI, Marcelo W.; ZAIA, Felipe. Gestão empresarial do futebol num mundo globalizado. In: RIBEIRO, Luiz Carlos (org.). Futebol e globalização. Jundiaí: Fontoura, 2007.

PRONI, Marcelo W. A metamorfose do futebol. Campinas: Unicamp; Instituto de Economia, 2000.

PUSSETI, Chiara. Emoções migrantes: afinidades e diferencias como factos políticos. In: Congresso da Associação Portuguesa de Antropologia, 3., Lisboa, 2006.

REZENDE, Claudia Barcellos; COELHO, Maria Claudia. Antropologia das emoções. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

REZENDE, Claudia Barcellos. Mágoas de amizade: um ensaio em antropologia das emoções. Mana, vol. 8, n. 2, p. 69-89, 2002.

RIAL, Carmen; SILVA, Sandra Rubia da; SOUZA, Angela Maria de. Consumo e cultura material: um campo de estudos em expansão (Prefácio). In: RIAL, Carmen; SILVA, Sandra Rubia da; SOUZA, Angela Maria de (org.). Consumo e cultura material: perspectivas etnográficas. Florianópolis: Editora da UFSC, 2012, p. 9-21.

SEGALEN, Martine. Ritos e rituais contemporâneos. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

TOLEDO, Luiz Henrique de. Torcedores e o mercado de bens futebolísticos. In: CAMPOS, Flavio de; ALFONSI, Daniela (org.). Futebol objeto das ciências humanas. São Paulo: Leya, 2014, p. 307-319.

TOLEDO, Luiz Henrique de. Lógicas no futebol. São Paulo: Hucitec; Fapesp, 2002.

ZELIZER, Viviana. La negociación de la intimidad. Buenos Aires: Fondo de la Cultura Económica, 2009.