Tempo e movimento: o futebol na pintura brasileira

Main Article Content

Lucia Teixeira

Resumo

O artigo discute modos de dar visibilidade estética ao movimento desencadeado num campo de futebol e em seus entornos sócio-históricos. Para isso, analisa trabalhos de Djanira, Portinari, Rebolo, Claudio Tozzi, Nelson Leirner e Osgemeos, detendo-se na questão da presença sensível que institui um ritmo na articulação entre o tempo, o espaço e o corpo do sujeito. As imagens de diferentes momentos históricos da arte brasileira, analisadas sob a perspectiva da semiótica plástica, permitem reconstituir uma linha temporal que associa o futebol a paixões que vão da idealização romântica ao pragmatismo do mercado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
Teixeira, L. (2016). Tempo e movimento: o futebol na pintura brasileira. FuLiA / UFMG, 1(1), 50–64. https://doi.org/10.17851/2526-4494.1.1.50-64
Seção
DOSSIÊ
Biografia do Autor

Lucia Teixeira, É professora titular do Instituto de Letras da Universidade Federal Fluminense, pesquisadora 1-C do CNPq. Possui doutorado em Linguística e Semiótica pela USP e mestra em Letras pela UFF.

Possui mestrado em Letras pela Universidade Federal Fluminense e doutorado em Linguística e Semiótica pela Universidade de São Paulo (1994). Realizou estágio de pós-doutorado em Semiótica na Universidade de Limoges, na França (2002-2003). É professora titular da Universidade Federal Fluminense, pesquisadora 1-C do CNPq e obteve bolsa Cientista do Nosso Estado da FAPERJ no período 2010-2013. Foi coordenadora do Programa de Pós-graduação em Letras da UFF (1999-2002) e atua em Consultorias à CAPES, ao CNPq, FAPERJ. Coordena o Grupo de Pesquisa Semiótica e Discurso - SeDi - http://www.sedi.uff.br/, certificado no Diretório de Grupos de Pesquisas do CNPq, com participação de professores da UFF, UFRJ, UERJ, UNIRIO, UFT, UFPB, UFPR, pesquisadores de pós-doutorado e estudantes de doutorado, mestrado e iniciação científica. Ministrou cursos na Universidade de Québec à Montréal (UQAM) (2009, 30 horas) e na Universidad Nacional de Córdoba (2012, 36 horas). Orienta trabalhos em Semiótica, com ênfase em temas voltados para as relações entre linguagens: pintura e crítica de arte; artes visuais e linguagem verbal; semióticas sincréticas. É autora de livros didáticos de Português par estudantes do 6º ao 9º anos, sendo a mais recente a coleção Apoema, em coautoria com Karla Cristina Faria e Silvia Maria de Sousa (Editora do Brasil, 2013). Publicou, entre outros livros, Linguagens na cibercultura (organização, com José Roberto do Carmo Jr., São Paulo: Estação das Letras e Cores, 2013) e Linguagens na comunicação (organização, com Ana Claudia de Oliveira, São Paulo, Estação das Letras e Cores, 2009), além de capítulos de livros e ensaios em periódicos nacionais e estrangeiros, sobre temas como argumentação, discurso e enunciação, tematização e figurativização, plasticidade e figuratividade, sincretismo de linguagens, percursos de visitação a museus de arte. Em semiótica, seus campos de atuação mais frequentes são a semiótica plástica e a semiótica sincrética.

Referências

AUMONT, Jacques. O olho interminável – cinema e pintura. São Paulo: Cosac Naify, 2004.

CLAUDEL, Paul. L’oeil écoute. Paris: Gallimard, 2003.

FLUSSER, Vilém. Gestos. São Paulo: Annablume, 2014.

FONTANILLE, Jacques; ZILBERBERG, Claude. Tensão e significação. São Paulo: Humanitas, 2001.

GONÇALVES, Lisbeth R. São Paulo, 28 abr. 2009. Entrevista [concedida a Regina Rocha]. Disponível em: . Acesso em: 23 set. 2016.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Rio de Janeiro: Contraponto: Ed. PUC-Rio, 2010.

LANDOWSKI, Eric. Modos de presença do visível. In: OLIVEIRA, Ana Cláudia de. Semiótica plástica. São Paulo: Hacker, 2004, p. 97-112.

MICHAUX, Henri. Oeuvres completes, tomo 2. Paris: Gallimard, 2001. [Collection La Pleiade].

MORAIS, Frederico. Futebol e arte. In: SEFFRIN, Silvana (org.). Frederico Morais. Rio de Janeiro: Funarte, 2004.

PEREIRA, Felipe. Avião da seleção na Copa do Mundo terá pintura dos grafiteiros OSGEMEOS. UOL, São Paulo, 26 maio 2014. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2016.

PORTFOLIO BRASIL. Artes plásticas. Rubens Gerchman. São Paulo: J. J. Carol, 2007.

TEIXEIRA, Lucia. Notas para um estudo do ritmo nas semióticas visuais. Coleção Mestrado em Linguística – dossiê Sentidos em movimento: identidade e argumentação, São Paulo: UNIFRAN, 2008, v. 3, p. 159-180.

TEIXEIRA, Lucia. Ritmos do futebol na pintura brasileira. In: MENEZES, Raquel; MIRANDA, Fernando (orgs.). Pequena morte – futebol-arte. Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2010, p. 39-45.

WISNIK, José Miguel. Veneno remédio: o futebol e o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ZILBERBERG, Claude. Du tempo en peinture. Actes Semiotiques, Limoges, n. 118, 2015. Disponível em: . Acesso em: jan. 2016.

ZILBERBERG, Claude. Síntese da gramática tensiva. Significação: Revista de Cultura Audiovisual, São Paulo, v. 33, n. 25, 2006, p. 163-204.

ZILBERBERG, Claude. Observações sobre a base tensiva do ritmo. Trad. Lucia Teixeira e Ivã Carlos Lopes. Estudos semióticos, São Paulo, v. 6, n. 2, 2010, p. 1-13. Disponível em: . Acesso em: jan. 2016.

OBRAS VISUAIS:

DJANIRA. Futebol. Nanquim sobre papel. 16x24cm. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

DJANIRA. Fla x Flu (1975). Acrílica sobre tela. 96 x 161,5 cm. Rio de Janeiro: Museu Nacional de Belas Artes. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

LEIRNER, Nelson. Futebol (2000). Maquete. 120x90cm. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

OSGEMEOS. Avião da seleção [grafite]. In: PEREIRA, Felipe. Avião da seleção na Copa do Mundo terá pintura dos grafiteiros OSGEMEOS. UOL, São Paulo, 26 maio 2014. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2016.

PORTINARI, Cândido. Futebol (1935). Óleo sobre tela. 97x130cm. Coleção particular. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

REBOLO, Francisco. Futebol (1936). Óleo sobre tela. 86x36cm. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.

TOZZI, Claudio. A dança do futebol (1997). Acrílica e óleo sobre tela. 245x190cm. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2016.