Análise dos Projetos Pedagógicos dos Cursos de Licenciatura em Química Paranaenses: As Compreensões Tecidas à Luz do Enfoque CTSA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u1001030

Palavras-chave:

formação inicial de professores, cursos de Química, cidadania

Resumo

O contexto atual de intensas mudanças sociais e ambientais, decorrentes do desenvolvimento científico e tecnológico, apresenta como um de seus desafios a necessidade de propiciar a formação de profissionais para o exercício pleno da cidadania, participação em processos de tomadas de decisões, compreensão das relações entre Ciência, Tecnologia, Sociedade e Ambiente (CTSA), o que requer um novo posicionamento dos sujeitos. São aspectos que se coadunam com os objetivos do enfoque CTSA e devem permear os cursos de Licenciatura em Química. Desse modo, a presente pesquisa tenciona investigar como o enfoque CTSA tem sido contemplado e incorporado nos Projetos Pedagógicos de Cursos (PPC) de Licenciatura em Química das Instituições públicas de Ensino Superior localizadas no estado do Paraná. Para tanto, procedemos à análise desses documentos conforme os pressupostos da Análise Textual Discursiva (ATD). Da análise propriamente dita, identificamos aspectos como: formação para a cidadania; responsabilidade ética, social e/ou ambiental; atuação crítica, emancipadora e transformadora da realidade, os quais consistem em elementos do enfoque CTSA no direcionamento de uma formação humanística. Isso nos leva a compreender que os cursos de Licenciatura em Química analisados neste estudo reconhecem a importância de tal formação, pois o profissional docente deve ser formado com embasamento nos conhecimentos técnico-científicos e valores humanos, mas também para o entendimento da função social e política de sua profissão, de modo a se reconhecer enquanto profissional cidadão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Acevedo Díaz, J. A. (1996). Cambiando la práctica docente em la enseñanza de las ciências através de CTS. Organización de Estudios Latinoamericanos para la Educación la Ciencia y la Cultura. https://www.oei.es/historico/salactsi/acevedo2.htm

Auler, D. (2002). Interações entre Ciência-Tecnologia-Sociedade no contexto da formação de professores de Ciências. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. http://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/82610

Auler, D. (2007). Enfoque Ciência-Tecnologia-Sociedade: Pressupostos para o contexto brasileiro. Ciência & Ensino, 1, 1–20. http://200.133.218.118:3535/ojs/index.php/cienciaeensino/article/viewFile/147/109

Azevedo, R. O. M., Ghedin, E., Silva-Foresberg, M. C. da, & Gonzaga, A. M. (2013). O enfoque CTS na formação de professores de Ciências e a abordagem de questões sociocientíficas. In Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (p. 9). Águas de Lindóia, SP. http://abrapecnet.org.br/atas_enpec/ixenpec/atas/resumos/R0325-1.pdf

Bastos, C. C. B. C. (2010). Ação docente e a formação crítico-humanista na universidade. In M. L. S. Szymanski, (org.), Aprendizagem e ação docente (pp. 99–109). Edunioeste.

Bazzo, W. A. (2018). Quase três décadas de CTS no Brasil: Sobre avanços, desconfortos e provocações. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 11(2), 2018. http://dx.doi.org/10.3895/rbect.v11n2.8427

Brandão, M. M. (2018). O descarte de resíduos químicos e as relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) no ensino de Química. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Amazonas, Manaus. https://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/7036/2/Disserta%C3%A7%C3%A3o_MagalyBrand%C3%A3o_PPGCIM.pdf

Calixto, V. dos S. (2019). Horizontes compreensivos da constituição do ser professor de química no espaço da prática como componente curricular. (Tese de Doutorado). Universidade Estadual de Maringá, Maringá. http://repositorio.ufgd.edu.br/jspui/handle/prefix/2452

Carvalho, A. M. P., & Pérez, D. G. (2011). Formação de professores de ciências: Tendências e inovações. 10. ed. Cortez.

Cenci, A. V., & Fávero, A. A. (2008). Notas sobre o papel da formação humanística na universidade. Revista Pragmateia Filosófica, 2(1). http://download.upf.br/notas_formacao_humanistica.pdf

CNE (Conselho Nacional de Educação) (2015). Resolução CNE/CP 02 de 1º de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cursos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. http:// portal.mec.gov.br/docman/agosto-2017-pdf/70431-res-cne-cp-002-03072015-pdf/file

CNE (Conselho Nacional de Educação) (2019). Resolução CNE/CP Nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file

Cortez, J., & Del Pino, J. C. (2018). As Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Licenciatura em Ciências da Natureza e o Enfoque CTS. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 1(2), 27–47. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec201818127

Fabri, F., & Silveira, R. M. C. F. (Orgs). (2018). Professores em ação: Ensino de Ciências para os anos iniciais em um enfoque Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS). São Carlos: Pedro & João Editores.

Figueiredo, M. C. (2011). Constatações a respeito da perspectiva CTSA na formação inicial de professores de Química. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual de Maringá, Maringá. http://repositorio.uem.br:8080/jspui/handle/1/4428

Firme, R. do N., & Amaral, E. M. R. do. (2011). Analisando a implementação de uma abordagem CTS na sala de aula de química. Ciência & Educação,17(2), 383–399. https://dx.doi.org/10.1590/S1516-73132011000200009

Freire, P. (2011). Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à pratica educativa, Paz e Terra.

Freitas, N. M. D. S., & Marques, C. A. (2019). Sustentabilidade e CTS: o necessário diálogo na/para a Educação em Ciência em tempos de crise ambiental. Educar em Revista, 35(77), 265–282. https://doi.org/10.1590/0104-4060.61568

Iwasse, L. F. A., & Branco, E. P. (2018). Neoliberalismo e Trabalho: Dilemas da formação docente no Brasil. In R. Araújo. (Org.) Trabalho e Educação: Os dilemas do ensino público no Brasil (pp. 109–125), CRV.

Lopes, A. C. (2015). Por um currículo sem fundamentos. Linhas Críticas, 21(45), 445–466. http://periodicos.unb.br/index.php/linhascriticas/article/download/4581/4179

López Cerezo, J. A. (1998). Ciencia, Tecnologia y Sociedad: El estado de la cuéstión en Europa y Estados Unidos. Revista Iberoamericana de Educación, OEI, 18. https://www.researchgate.net/publication/28052448_Ciencia_tecnologia_y_sociedad_el_estado_de_la_cuestion_en_Europa_y_Estados_Unidos

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em educação: Abordagens qualitativas. EPU.

Magalhães, S. I. R., & Tenreiro-Vieira, C. (2006). Educação em Ciências para uma articulação Ciência, Tecnologia, Sociedade e Pensamento crítico: Um programa de formação de professores. Revista Portuguesa de Educação, 19(2), 85–110. http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0871-91872006000200005

Marcelo-García, C. (1999). Formação de Professores: Para uma mudança educativa. Editora Porto LDA.

MEC (Ministério da Educação) (2018). Resolução nº 4, de 17 de dezembro de 2018. Institui a Base Nacional Comum Curricular na Etapa do Ensino Médio (BNCC-EM), como etapa final da Educação Básica, nos termos do artigo 35 da LDB, completando o conjunto constituído pela BNCC da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, com base na Resolução CNE/CP nº 2/2017, fundamentada no Parecer CNE/CP nº 15/2017. 2018. http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2018-pdf/104101-rcp004-18/file

Membiela, P. (2005). Reflexión desde la experiencia sobre la puesta en práctica de la orientación Ciencia-Tecnología-Sociedad en la enseñanza científica. Educación Química, 16(3), 404–409. http://dx.doi.org/10.22201/fq.18708404e.2005.3.66103

Minayo, M. C. S. (org.). (2001). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18. ed. Vozes.

Moraes, R., & Galiazzi, M. do C. (2007). Análise textual discursiva. 2. ed. Unijuí.

Moraes, R., & Galiazzi, M. do C. (2016). Análise Textual Discursiva. 3.ed. Unijuí.

Moreno Rodríguez, A. S. (2015). Educação química com enfoque CTS para a formação cidadã: Caminhos percorridos nas licenciaturas da UPN e da FURG (Colômbia-Brasil). (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande. http://repositorio.furg.br/handle/1/4878

München, S. (2016). A inserção da perspectiva CTS na formação inicial de professores de Química: implicações para o desenvolvimento profissional docente. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Maria, Porto Alegre. https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/3557/MUNCHEN,%20SINARA.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Niza, S. (1997). Formação Cooperada — Ensaio de Auto-Avaliação dos Efeitos da Formação no Projecto Amadora. Educa e Movimento da Escola Moderna Portuguesa.

Nunes, A. O. (2010). Abordando as relações CTSA no ensino da química a partir das crenças e atitudes de licenciandos: Uma experiência formativa no sertão nordestino. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal. https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/16059

Parecer CNE/CES 1.303. (2001). Diretrizes Nacionais Curriculares para os Cursos de Química. Diário Oficial da União. http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1303.pdf

Rodrigues, L. Z., Pereira, B., & Mohr, A. (2020). O Documento “Proposta para Base Nacional Comum da Formação de Professores da Educação Básica” (BNCFP): Dez Razões para Temer e Contestar a BNCFP. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 20, 1–39. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u139

Santos, R. C. da S. (2017). Ciência-Tecnologia-Sociedade: Suas interrelações e seu ensino nas concepções de licenciando em Química. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão. https://ri.ufs.br/handle/riufs/5128

Santos, W. L. P. (2007). Contextualização no ensino de ciências por meio de temas CTS em uma perspectiva crítica. Ciência & Ensino, 1(especial), 1–12. http://143.0.234.106:3537/ojs/index.php/cienciaeensino/article/view/149/120

Santos, W. L. P. (2008). Educação científica humanística em uma perspectiva freireana: resgatando a função do ensino de CTS. Alexandria: revista de educação em ciência e tecnologia, 1(1), 109–131. https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=6170687

Santos, W. L. P. (2011). A Química e a formação para a cidadania. Educación química, 22(4), 300–305. http://www.scielo.org.mx/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0187-893X2011000400004

Santos, W. L. P. dos, & Mortimer, E. F. (2002). Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem C-T-S (Ciência-Tecnologia-Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, 2(2), 110–132. https://doi.org/10.1590/1983-21172000020202

Sasseron, L. H., & de Carvalho, A. M. P. (2008). Almejando a alfabetização científica no ensino fundamental: A proposição e a procura de indicadores do processo. Investigações em ensino de ciências, 13(3), 333–352. https://www.if.ufrgs.br/cref/ojs/index.php/ienci/article/view/445

Saviani, D. Escola e Saber Objetivo na Perspectiva Histórico-Crítica. (2008). In D. Saviani, Pedagogia Histórico-Crítica: Primeiras aproximações (pp. 5–10). Autores Associados.

Schnetzler, R. P. (2002). A pesquisa em ensino de química no Brasil: conquistas e perspectivas. Química Nova, 25(1), 14–24. http://dx.doi.org/10.1590/S0100-40422002000800004

Silva, M. A. A. da. (2016a). Ciência, Tecnologia e Sociedade, Experimentação e formação inicial de professores de Química: Explorando possibilidades. (Dissertação de Mestrado). Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié. http://www2.uesb.br/ppg/ppgecfp/wp-content/uploads/2017/03/Mara-A-Alves-da-Silva.pdf

Silva, R. L., Almeida, E. dos S., Nascimento, E. S. do, & Prudêncio, C. A. V. (2019). Professores de Química em Formação Inicial: O que Pensam e Dizem sobre as Relações entre Meio Ambiente, Ciência, Tecnologia e Sociedade. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 19, 537–563. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2019u537563

Silva, T. do N. (2016b). Análise da inserção de questões ambientais no currículo de formação de professores de Química. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife. http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede2/handle/tede2/7445

Silva, T. T. da. (2005). Documentos de identidade: Uma introdução às teorias do currículo (2. ed.). Autêntica.

Strieder, R. B., Silva, K. M. A., Fernandes Sobrinho, M., & Santos, W. L. P. (2016). A educação CTS possui respaldo em documentos oficiais brasileiros? ACTIO: Docência em Ciências, 1(1), 87–107, 2016. http://dx.doi.org/10.3895/actio.v1n1.4795

Tolentino, P. C. (2017). Os estudos Ciência, Tecnologia e Sociedade e a Prática como Componente Curricular: Tensões, desafios e possibilidades na formação de professores nas Ciências Biológicas. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/186146

Trivelato, S. L. F. (1999). A formação de professores e o enfoque CTS. Pensamiento Educativo, 24 (julio 1999), 201–234. https://pensamientoeducativo.uc.cl/files/journals/2/articles/149/public/149-374-1-PB.pdf

Vieira, R. M., & Martins, I. P. (2005). Formação de professores principiantes do ensino básico: suas concepções sobre ciência-tecnologia-sociedade. Revista Iberoamericana de Ciencia, Tecnología y Sociedad, 2(6), 101–121.

Vieira, R. M., Tenreiro-Vieira, C., & Martins, I. P. (2011). A educação em ciências com orientação CTS – atividades para o ensino básico. Areal Editores.

Vilches, A., Gil-Pérez, D., & Praia, J. De CTS a CTSA: Educação por um futuro sustentável. In W. P. Santos, D. Auler (Orgs.) CTS e Educação científica, desafio, tendências e resultados de pesquisa (pp. 161–184), Editora Universidade de Brasília (UdB).

Downloads

Publicado

2020-09-28

Como Citar

Oliveira, R. dos S. ., & Kiouranis , N. M. M. (2020). Análise dos Projetos Pedagógicos dos Cursos de Licenciatura em Química Paranaenses: As Compreensões Tecidas à Luz do Enfoque CTSA. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 20(u), 1001-1030. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u1001030

Edição

Seção

Artigos