Expressão de Conceitos e Significados Bioquímicos à Luz da Gramática de Design Visual

Palavras-chave: Gramática de Design Visual, expressão de conceitos e significados, bioquímica

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo investigar o processo de construção de conceitos e significados biológicos em bioquímica por licenciandos em Ciências Biológicas da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) através de Esquema Conceitual em Parking Lot (ECPL). Por contemplar inúmeras articulações entre os conceitos, foi dado enfoque à temática Metabolismo de Carboidratos. Durante uma das aulas, foram produzidos pelos estudantes sete ECPL, um dos quais será objeto de análise, à luz da Gramática de Design Visual (GDV) proposta por Kress e van Leeuwen. Como resultados, verificou-se nos processos de construção de conceitos dos licenciandos a presença de todas as categorias da GDV, assim como lacunas a respeito do conceito de respiração celular. Revelou-se também, através das categorias, que os aspectos comumente conhecidos pelos estudantes (sociais) são posicionados à esquerda, configurando o Dado, e o que foi construído - possivelmente os novos conceitos (biológicos), foi colocado à direita, ou seja, o Novo. Ademais, verificou-se ainda que o ECPL se constitui como um instrumento de multiletramento, por ser dotado de inúmeros signos, podendo ser utilizado como ferramenta colaborativa do processo de ensino-aprendizagem. Por fim, a análise ainda suscita uma discussão acerca do letramento visual, ou seja, do uso adequado do texto não- verbal em sala de aula como meio de produção de conceitos e significados articulados em bioquímica, potencialmente aplicável para a biologia.

Biografia do Autor

Raíza Nayara de Melo Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco - Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências

Mestre em Ensino de Ciências e Matemática, Especialista em Ensino de Biologia e Química, Graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas.

Ana Maria dos Anjos Carneiro Leão, Universidade Federal Rural de Pernambuco-Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências

Graduada em Medicina (1986) e com mestrado em Bioquímica (1992) pela Universidade Federal de Pernambuco, tem doutorado em Ciências (Bioquímica) pela Universidade Federal do Paraná (1998). Realizou estágio pós doutoral na Universidade Federal do Ceará (2006). No período entre 1988 e 2006, desenvolveu atividades de pesquisa na área de Bioquímica, desenvolvendo ensaios pré clínicos de moléculas bioativas, especificamente atividade antitumoral, anti-Schistosoma mansoni e na modulação dos pocessos inflamatórios e de cicatrização. Atualmente é professor associado 4 da Universidade Federal Rural de Pernambuco, dedicando-se aos processos de ensino-aprendizagem em Biologia. Sua experiência na área de Ensino tem ênfase na construção de significados referentes a conceitos microscópicos e processuais da Biologia (Bioquímica, Biologia Celular e Genética), em uma perspectiva sistêmico-complexa. Tais atividades são direcionadas à formação de conceitos e construção de significados associada à formação inicial e continuada de professores para atuação no Ensino Médio e Superior. Atua no Programa de Pós-Graduação em Ensino das Ciências (mestrado e doutorado) da UFRPE, desde 2001, assumindo a equipe de Coordenação deste Programa no biênio 2016-2018.

Referências

Albuquerque, T. C. C., Costa, J. S., Carneiro-Leão, A. M. A, & Martins, M. M. (2017). O uso de imagens em sala de aula: as concepções de professores e estudantes da licenciatura em Ciências Biológicas. In Anais X Congreso Internacional de Didactica de las Ciencias. Sevilha, Espanha.

Azevedo, A. P. B. M. (2015). Multimodalidade na sala de aula: estratégias textual- discursivas para leitura de imagens e produção de sentidos. (Dissertação de Mestrado em Letras), Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

Baek, Y. J., Paik, H. J., & Shim. J. E. (2014). Association between family structure and food group intake in children. Nutrition Research Practice, 8 (4), 463–468.

Baldry, A., & Thibault, P. J. (2005). Multimodal Transcription and Text Analysis: A Multimedia Toolkit and Coursebook with Associated On-line Course. London: Equinox Publishing Ltd.

Barthes, R. (1990). O óbvio e o obtuso: ensaios críticos III. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Brayner-Lopes, F. M. (2015). Formação de docentes universitários: um complexo de interações paradigmáticas. (Tese de Doutorado em Ensino das Ciências), Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Carneiro-Leão, A. M. A., Mayer, M., & Nogueira, R. A. (2010). Ensinando biologia numa perspectiva de complexidade. In Z. Jófili, A. Vasconcelos de Almeida (Orgs.) Ensino de biologia, meio ambiente e cidadania: olhares que se cruzam (pp. 257–206). Recife, Pernambuco: Revista Ampliada/Regional 5.

Carneiro, M. H. S., Dib, S. M. F., & Mendes, J. R.S. (2003). Texto e imagens no ensino de ciências. In Anais do IV Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, (1–8). Bauru, São Paulo.

Carvalho, F. F. (2007). Significados composicionais e a formação de subjetividades na primeira página de jornais mineiros: um estudo de caso à luz da gramática do design visual. (Dissertação de Mestrado em Estudos Linguísticos), Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

Dondis, D. A. (1991). Sintaxe da Linguagem Visual. São Paulo: Martins Fontes.

Ferreira, C. R. C., & Gonçalves, H. J. L. (2017). Mapeando tendências da pesquisa na área de Educação em Bioquímica da SBBq de 2006 a 2016. Revista de Ensino de Bioquímica, 15 (1), 14–23.

Francisco, W., & Junior, W. E. F. (2010). A Bioquímica a Partir de Livros Didáticos: Um Estudo dos Livros de Química Aprovados Pelo PNLEM 2007. In Anais do XV Encontro Nacional de Ensino de Química (XV ENEQ). (1–12). Brasília.

Gomes, L. M. J. B., & Messeder, J. C. (2013). A presença das TIC no ensino de Bioquímica: uma investigação para uma análise crítica da realidade. In Anais Eletrônicos do IX Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – IX ENPEC. São Paulo, São Paulo.

Gontijo, S. (2004). O livro de ouro da comunicação. São Paulo: Ediouro.

Gouvêa, G., Pralon, L., Oliveira, C. I. C., & Machado, M. A. D. (2016). Modos de ler imagens em contextos de formação inicial de professores. Revista Educação e Cultura Contemporânea, (13), 135–159.

Halliday, M. A. K., & Matthiessen, C. M. I. M. (2004). An introduction to Functional Grammar. London: Hodder Education.

Hodge, R., & Kress, G. R. (1988). Social Semiotics. Cambridge: Polity Press.

Jewitt, C., & Oyama, R. (2004). Visual Meaning: a Social Semiotic Approach. In T. van Leeuwen, & C. Jewitt, Handbook of Visual Analysis. London: SAGE Publications Ltd.

Klein, T. A. S. (2011). Perspectiva Semiótica sobre uso de imagens na Aprendizagem Significativa do Conceito de Biotecnologia por Alunos do Ensino Médio. (Tese de Doutorado em Ensino das Ciências e Educação Matemática), Universidade Estadual de Londrina, Paraná.

Kress, G. R., Leite-Garcia, R., & van Leeuwen, T. (2000). Semiótica discursiva. El discurso como estrutura y processo: estúdios sobre el discurso. Una introducción multidisciplinaria. Espanha: Gedisa Editorial.

Kress, G., & van Leeuwen, T. (1996). Reading images: The grammar of visual design. London: Routledge.

Kress, G., & van Leeuwen, T. (2001). Reading images: The grammar of visual design. London: Routledge.

Kress, G., & van Leeuwen, T. (2006). Reading images: The grammar of visual design. London: Routledge.

Kress, G. (2010). Multimodality: A Social Semiotic Approach to Contemporary Communication. New York: Routledge.

Laburu, C. E., & Silva, O. H. M. (2011). Multimodos e múltiplas representações: fundamentos e perspectivas semióticas para a aprendizagem de conceitos científicos. Revista Investigações em Ensino de Ciências, 16 (1), 7–33.

Lemke, J. (2010). Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Revista Trabalhos em Linguística Aplicada, 49 (2), 455–479.

Loguercio, R. Q., Souza, D., & Del Pino, J. C. (2007). Mapeando a educação em bioquímica no Brasil. Ciências & Cognição, 10 (1), 147–155.

Lopes, F. M. B. (2007). Ciclo Celular: estudando a formação de conceitos no ensino médio. (Dissertação de Mestrado em Ensino das Ciências). Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Macêdo, P. B. (2014). Investigando as relações sistêmicas homem-ambiente-teia alimentar à luz do Modelo das Múltiplas Perspectivas de Aprendizagem - MoMuP. (Dissertação de Mestrado em Ensino das Ciências), Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Martins, I. (1996). O papel das representações visuais no ensino e na aprendizagem de ciências, In Moreira, A. (org.). Atas do I Encontro de Pesquisa e Educação em Ciências. (294–299). Águas de Lindóia, São Paulo.

Martins, I., Gouvêa., G., & Piccinini, C. (2005). Aprendendo com imagens. Ciência e Cultura, 57 (4), 38–40.

Mariotti, H. (2008). As paixões do ego: complexidade, política e solidariedade. 3 ed. São Paulo: Palas Athena.

Mattar, J. (2013). O uso das redes sociais na educação. Jornal Corumbá, ano I, 5 ed. Jun/Jul. Poços de Caldas: UEMG.

MEC (2000). Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: Secretaria de Educação Básica.

Medeiros, E. P. (2011). Concepção sistêmica de respiração celular por licenciandos em Biologia. (Dissertação de Mestrado em Ensino das Ciências), Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Moraes, M. B., & Andrade, M. H. P. (2009). Ciências: ensinar e aprender. Belo Horizonte: Dimensão.

Murray, R. K., Granner, D. K., & Rodwell, V. W. (2010). Harper: Bioquímica Ilustrada. São Paulo: Artmed.

Nelson, D. L., & Cox, M. M. (2014). Princípios de Bioquímica de Lehninger. 6. ed. Porto Alegre: Artmed.

Nöth, W. (2003). Panorama da Semiótica: de Platão a Peirce. 4. ed. São Paulo: Annablume.

Novak, J. D., & Canãs, A. J. (2010). A teoria subjacente aos mapas conceituais e como elaborá-los e usá-los. Práxis Educativa, (5), 9–29.

Oliveira, C. I. C., Gouvêa, G., Ribeiro, L. B., & Wilke, V. C. L. (2008). Imagem e educação. Rio de Janeiro: Fundação CECIERJ.

Oliveira, S. (2008). Texto visual, estereótipos de gênero e o livro didático de língua estrangeira. Trabalhos em Linguística Aplicada, (47), 91–117. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-18132008000100006

Oliveira, M. M. (2012). Como fazer pesquisa qualitativa. 4. ed. Petrópolis: Vozes.

Pereira, A. F. (2008). Diagnóstico inicial das dificuldades de articulação e sobreposição dos conceitos básicos da genética utilizando jogos didáticos. (Dissertação de Mestrado em Ensino das Ciências), Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Pereira, A. G., & Terrazan, E. A. (2011). A multimodalidade em textos de popularização científica: contribuições para o ensino de ciências para crianças. Ciência e Educação, 17 (2), 489–503.

Petermann, J. (2005). Textos Publicitários Multimodais: Revisando a gramática do design visual. In Anais do XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. (p. 1–13). Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Piccinini, C. L. (2003). Análise da comunicação multimodal na sala de aula de ciências: um estudo envolvendo o conceito de célula. (Dissertação de Mestrado do Núcleo de Tecnologia Educacional para a Saúde), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Pinheiro, T. D. L., Silva, J. A., Souza, P. R. M., Nascimento, M. M., & Oliveira, H. D. (2009). Ensino de Bioquímica para acadêmicos de Fisioterapia: visão e avaliação do discente. Revista Brasileira de Ensino de Bioquímica e Biologia Molecular, (1), C1–C11.

Rocha, F. (2008). Imagem e palavra: a produção literária para crianças em livros das autoras/ilustradoras Ângela Lago e Eva Furnari (Monografia de Graduação em Pedagogia), Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais.

Reid, D., Bevridge, M. (1986). Effects of text illustration on childrens learning of a school science topic. In British Journal of Educational Psychology, 56, 294–303.

Sá, R. G. B. (2007). Um estudo sobre a evolução conceitual de respiração (Dissertação de Mestrado em Ensino das Ciências) Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Sá, R. G. B. (2017). Construção de conceitos da biologia na perspectiva sistêmico- complexa a partir do MoMuP-PE, articulado à teoria histórico-cultural (Tese de Doutorado em Ensino das Ciências, UFRPE), Universidade Federal Rural de Pernambuco, Pernambuco.

Santaella, L. (2005). Matrizes da linguagem e pensamento: sonora, visual e verbal. 3. ed. São Paulo: Iluminuras.

Santaella, L. (2012). Leitura de imagens. São Paulo: Melhoramentos.

Santos, Z. B., & Pimenta, S. M. O. (2014). Da Semiótica Social à Multimodalidade: A Orquestração de Significados. CASA: Cadernos de Semiótica Aplicada, 12 (2), 295–324.

Scaglioni, S., Arrizza, C., Vecchi, F., & Tedeschi, S. (2011). Determinants of children’s eating behavior. The American Journal Clinical Nutrition, 94 (6), 2006S– 2011S.

Silva, F. K. M., & Compiani, M. (2006). Las imágenes geológicas y geocientíficas en libros didácticos de ciências. Enseñanza de las Ciencias, 24 (2), 207–218.

Silva, G. A., Costa, K. A., & Giugliani, E. R. (2016). Infant feeding: beyond the nutritional aspects. Jornal de Pediatria, 92 (3), S2–S7.

Soares, M. (2002). Novas Práticas de Leitura e Escrita: Letramento na Cibercultura.

Educação e Sociedade, 23 (81), 143–160.

Souza, A. G. (2004). Índice glicêmico e carga glicêmica de frutos brasileiros. (Dissertação de Mestrado em Interunidades em Nutrição Humana Aplicada), Universidade de São Paulo, São Paulo.

Stokes, S. (2002). Visual literacy in teaching and learning: A literature perspective.

Electronic Journal for the Integration of Technology in Education, 1 (1), 10–19.

Unsworth, L. (2001). Teaching multiliteracies across the curriculum: changing contexts of text and image in classroom practice. Buckingham: Open University.

Voet, D., Voet, J. G., & Pratt, C. W. (2014). Fundamentos de bioquímica: a vida em nível molecular. 4. ed. Porto Alegre: Artmed.

Yokaichiya, D. K. (2005). Estruturação e avaliação de uma disciplina de Bioquímica a Distância baseada no Modelo de Aprendizagem Colaborativa. (Tese de Doutorado em Biologia Funcional e Molecular), Universidade de Campinas, São Paulo.

Publicado
2019-09-24
Como Citar
de Melo Silva, R. N., & Carneiro Leão, A. M. dos A. (2019). Expressão de Conceitos e Significados Bioquímicos à Luz da Gramática de Design Visual. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 19, 423-447. https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2019u423447
Seção
Artigos