Ensino Remoto Emergencial em um curso de Medicina

avaliação do trabalho docente na perspectiva discente

Autores

  • Rodolffo da Silva Fossa Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9228-241X
  • André Campos Benedetti Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-2696-7351
  • Patricia Elisa do Couto Chipoletti Esteves Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0954-8721
  • Rinaldo Henrique Aguilar da Silva Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil. https://orcid.org/0000-0003-3197-3019

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2020.24654

Palavras-chave:

Ensino Remoto Emergencial, Educação médica, Metodologias ativas de ensino, Aprendizagem Baseada em Problemas

Resumo

Como tem acontecido em outros cursos presenciais, as metodologias de ensino de diversos cursos de formação médica foram adaptadas em função do isolamento social imposto pela pandemia do SARS-CoV-2. Assim, muitas instituições de ensino superior passaram a adotar o Ensino Remoto Emergencial (ERE) com o intuito de não paralisar suas atividades acadêmicas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a implantação do ERE em uma Faculdade de Ciências Médicas localizada em São José dos Campos, São Paulo, Brasil, a partir da perspectiva discente. A pesquisa é de natureza qualiquantitativa, do tipo Estudo de Caso. A análise dos resultados demonstrou a adaptação e a satisfação dos estudantes com a sequência didática adotada, que alternou metodologias assíncronas e síncronas, em especial a utilização dos vídeos gravados pelos professores. Esses resultados podem fornecer dados aos estudos que buscam investigar o impacto das tecnologias digitais na formação de alunos do ensino superior, porém devem ser considerados a partir do contexto em que foram adotados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodolffo da Silva Fossa, Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil.

Acadêmico de medicina na Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos – HUMANITAS.

André Campos Benedetti, Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil.

Acadêmico de Medicina na Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos – HUMANITAS.

Patricia Elisa do Couto Chipoletti Esteves, Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil. Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil.

Doutora em Ensino de Ciências e Matemática – UNICAMP. Possui mestrado em Ciências pela Universidade do Vale do Paraíba – UNIVAP. Possui Licenciatura em Ciência e Graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Taubaté – UNITAU. Professora e Coordenadora do Núcleo de Avaliação da FCMSJC-HUMANITAS. Professora colaboradora no Departamento de Geologia e Recursos Naturais do Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP.

Rinaldo Henrique Aguilar da Silva, Faculdade de Ciências Médicas de São José dos Campos (HUMANITAS), São José dos Campos, SP, Brasil.

Pós-Doutor em Ensino em Saúde pelo Centro de Desenvolvimento do Ensino Superior em Saúde (CEDESS-UNIFESP). Doutorado em Genética Médica pela Universidade Federal de São Carlos. Mestrado em Genética Médica pela Universidade Federal de São Carlos. Docente do curso de Medicina e Enfermagem da FAMEMA. Diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão na FCM/SJC-HUMANITAS.

Referências

AHMED, H.; ALLAF, M.; ELGHAZALY, H. COVID-19 and medical education. The Lancet Infectious Diseases, [S.L.], v. 20, n. 7, p. 777-778, jul. 2020. Elsevier BV. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(20)30226-7/fulltext. Acesso em: 9 ago. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/s1473-3099(20)30226-7.

ANJOS, D. R. L; AGUILAR-DA-SILVA, R.H. Questionário de vivências acadêmicas (QVA-R): avaliação de estudantes de medicina em um curso com currículo inovador. Avaliação (Campinas) [on-line], v. 22, n. 1, p. 105-123, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-40772017000100105&lng=pt&tlng=pt. Acesso em: 19 ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/s1414-40772017000100006.

AMARILLA-FILHO, P. Educação a distância: uma abordagem metodológica e didática a partir dos ambientes virtuais. Educ. Rev., Belo Horizonte, v. 27, n. 2, p. 41-72, ago. 2011. https://doi.org/10.1590/S0102-46982011000200004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-46982011000200004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19 ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-46982011000200004.

ATREYA, A.; ACHARYA, J. Distant virtual medical education during COVID‐19: half a loaf of bread. The Clinical Teacher, [s.l.], p. 1-2, 18 jun. 2020. Wiley. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32558269/. Acesso em: 19 jul. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1111/tct.13185.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal: Edições 70, 2011.

DANIEL, J. Education and the COVID-19 pandemic. Prospects, [s.l.], p. 1-6, 20 abr. 2020. Springer Science and Business Media LLC. Disponível em: https://link.springer.com/content/pdf/10.1007/s11125-020-09464-3.pdf. Acesso em: 19 jul. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s11125-020-09464-3.

DAVIES, N. G. et al. Effects of non-pharmaceutical interventions on COVID-19 cases, deaths, and demand for hospital services in the UK: a modelling study. The Lancet Public Health, [s.l.], v. 5, n. 7, p. 375-385, 2 jun. 2020. Semanal. Elsevier BV. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/lanpub/article/PIIS2468-2667(20)30133-X/fulltext. Acesso em: 19 jul. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/s2468-2667(20)30133-x.

DOLMANS, D. The effectiveness of PBL: the debate continues. Some concerns about the BEME movement. Med. Educ., v. 37, n. 12: p. 1129-1130, 2003. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/14984122/. Acesso em: 19 ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.1046/j.1365-2923.2003.01724.x.

FERRAZ, A. P. C. M; BELHOT, R. V. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-530X2010000200015&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 8 ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-530X2010000200015.

GARCIA, T. C. M. et al. Ensino Remoto Emergencial: proposta de design para organização de aulas. Proposta de design para organização de aulas. Natal: NSEDIS/UFNR, 2020. p. 1-17. (Cadernos de Ensino Mediado Por TIC.) Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/bitstream/123456789/29767/1/ENSINO%20REMOTO%20EMERGENCIAL_proposta_de_design_organizacao_aulas.pdf. Acesso em: 7 out. 2020.

HODGES, C. et al. The difference Between emergency remote teaching and online learning. Educause Review, [s.l.], 2020. Disponível em: https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning#fn1 . Acesso em: 19 jul. de 2020.

KUCHARSKI, A. J. et al. Effectiveness of isolation, testing, contact tracing, and physical distancing on reducing transmission of SARS-CoV-2 in different settings: a mathematical modelling study. The Lancet Infectious Diseases, [s.l.], p. 1-10, 16 jun. 2020. Infectious Diseases. Elsevier BV. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/laninf/article/PIIS1473-3099(20)30457-6/fulltext. Acesso em: 19 jul. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/s1473-3099(20)30457-6.

LAVILLE, C.; DIONNE J. A construção do saber: manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 1999.

MIAN, A.; KHAN, S. Medical education during pandemics: a UK perspective. BMC Med. v. 18, n. 100, 2020. Disponível em: https://bmcmedicine.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12916-020-01577-y. Acesso em: 19 ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.1186/s12916-020-01577-y.

MINAYO, M. C. S. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 30. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2011.

MORAN, J. M. O vídeo na sala de aula. Revista Comunicação & Educação, São Paulo, ECA-Ed. Moderna, v .2: 27 a 35, jan./abr. 1995. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/site/textos/desafios_pessoais/vidsal.pdf Acesso em: 19 ago. 2020.

MUÑOZ, R. A experiência internacional com os impactos da COVID-19 na educação. Nações Unidas Brasil, 8 abril 2020. Disponível em: https://nacoesunidas.org/artigo-a-experiencia-internacional-com-os-impactos-da-covid-19-na-educacao/. Acesso em: 19 ago. 2020.

PASSOS, A. H. R; HIGA, E. F. R. Aprendizagem Baseada em Problemas: contribuição para médicos pediatras. Rev. bras. educ. med., Brasília, v. 43, n. 1, supl. 1, p. 322-329, 2019. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-55022019000500322&tlng=pt. Acesso em: 19 ago. 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-5271v43suplemento1-20180191.

SILVA et al. A abordagem PBL (Problem Based Learning) em um curso técnico em enfermagem: elementos autobiográficos da prática docente em anatomia humana. Revista Pesquisa Qualitativa. São Paulo/SP. v.7, n.15, p. 447-450, 2019. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/256/169. Acesso em: 16 dez 2020. DOI: https://doi.org/10.33361/RPQ.2019.v.7.n.15.256.

TONHOM, S. F. R. et al. Caderno de avaliação. Cursos de Medicina e Enfermagem: Secretaria de Ensino Superior – Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA). 1. ed. rev. Marília/SP: Biblioteca da Faculdade de Medicina de Marília, v. 1, 2015. 49 p. Disponível em: https://www.famema.br/institucional/avaliacao/docs/CADERNO%20DE%20AVALIACAO%202017_Altera%C3%A7%C3%A3o%20CADE_Final.pdf. Acesso em: 20 jul. 2020.

TORRES, V. et al. Ingressantes de cursos médicos e a percepção sobre a transição para uma aprendizagem ativa. Interface, Botucatu, v. 23, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S141432832019000100203&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19 ago. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/interface.170471.

WHO – WORLD HEALTH ORGANIZATION. Coronavirus Disease (COVID-19). Dashboard. 2020. Disponível em: https://covid19.who.int. Acesso em: 19 jul. 2020.

ZHU, N. et al. A novel coronavirus from patients with pneumonia in China, 2019. The New England Journal of Medicine: Brief Report, Pequim, v. 382, n. 8, p. 728-733, 20 fev. 2020. Mensal. Disponível em: https://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa2001017?articleTools=true. Acesso em: 19 jul. 2020. DOI: 10.1056/NEJMoa2001017.

Ensino Remoto Emergencial em um curso de Medicina: avaliação do trabalho docente na perspectiva discente

Publicado

2020-12-16

Como Citar

FOSSA, R. da S.; BENEDETTI, A. C.; ESTEVES, P. E. do C. C.; SILVA, R. H. A. da. Ensino Remoto Emergencial em um curso de Medicina: avaliação do trabalho docente na perspectiva discente. Revista Docência do Ensino Superior, Belo Horizonte, v. 10, p. 1–21, 2020. DOI: 10.35699/2237-5864.2020.24654. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/rdes/article/view/24654. Acesso em: 26 out. 2021.

Edição

Seção

Seção especial: docência no ensino superior em tempos de pandemia