Associação entre peso ao nascer, idade gestacional e diagnósticos secundários na permanência hospitalar de recém-nascidos prematuros

Autores

  • Marina Dayrell de Oliveira Lima Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Programa de Pós-graduação em Enfermagem. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8880-1659
  • Ariene Silva do Carmo Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Faculdade de Medicina, Pós-graduação em Ciências da Saúde - Saúde da Criança e do Adolescente. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-3421-9495
  • Thales Philipe Rodrigues Silva Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Faculdade de Medicina, Pós-Graduação em Ciências da Saúde - Saúde da Criança e do Adolescente. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7115-0925
  • Lorena Medreiros de Almeida Mateus Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - EE, Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6952-6551
  • Juliana de Oliveira Marcatto Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - EE, Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6870-8414
  • Fernanda Penido Matozinhos Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - EE, Departamento de Enfermagem Materno-Infantil e Saúde Pública. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0003-1368-4248
  • Ana Cláudia Abreu Instituto de Acreditação e Gestão em Saúde - IAG Saúde, Departamento Grupos Diagnósticos Relacionados – DRG. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8025-905X
  • Renato Camargo Couto Instituto de Acreditação e Gestão em Saúde - IAG Saúde, Departamento Grupos Diagnósticos Relacionados – DRG. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0003-4907-6295
  • Tânia Moreira Grillo Pedrosa Instituto de Acreditação e Gestão em Saúde - IAG Saúde, Departamento Grupos Diagnósticos Relacionados – DRG. Belo Horizonte, MG - Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0042-8125

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2022.38663

Palavras-chave:

Grupos Diagnósticos Relacionados, Recém-Nascido, Recém-Nascido Prematuro, Tempo de Internação

Resumo

Objetivo: verificar a associação entre peso ao nascer, idade gestacional e diagnósticos médicos secundários no tempo de permanência hospitalar de recém-nascidos prematuros. Métodos: estudo transversal, com 1.329 prontuários de recém-nascidos no período de julho de 2012 a setembro de 2015, em dois hospitais de Belo Horizonte, que utilizam o sistema Diagnosis Related Groups Brasil. Para determinar um ponto de corte para o peso ao nascer e a idade gestacional no nascimento que melhor determinasse o tempo de internação foi utilizada a curva Receive Operator Characteristic. Posteriormente, utilizou-se o teste de Análise de Variância e teste de Duncan para a comparação entre a média de tempo de permanência hospitalar. Resultados: a prematuridade sem problemas maiores (DRG792) foi a categoria mais prevalente (43,12%). O maior tempo médio de internação foi de 34,9 dias, identificado entre os recém-nascidos prematuros ou com Síndrome da angústia respiratória (DRG 790). A combinação de menor peso ao nascer e menor IG ao nascimento apresentaram o maior risco de permanência hospitalar, aumentada quando comparados ao demais perfis formados para esse DRG. Conclusão: os achados poderão direcionar a assistência em relação à mobilização de recursos físicos, humanos e de bens de consumo, além da análise crítica de condições que influenciam os desfechos clínicos. A possibilidade da otimização do uso desses recursos hospitalares aliada à melhoria da qualidade dos atendimentos e da segurança dos pacientes está associada a uma minimização do tempo de permanência hospitalar e da carga de morbidade e mortalidade neonatal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Horbar JD, Edwards EM, Greenberg LT, Morrow KA, Soll RF, Buus-Frank ME, et al. Variation in performance of neonatal intensive care units in the united states. JAMA Pediatr. 2017;171(3):e164396. Disponível em: https://jamanetwork.com/journals/jamapediatrics/fullarticle/2595570

Ray JG, Park AL, Deshayne BF. Mortality in Infants Affected by Preterm Birth and Severe Small-for-Gestational Age Birth Weight. Pediatrics. 2017, 140 (6). Disponível em:https://pediatrics.aappublications.org/content/140/6/e20171881?sso=1&sso_redirect_count=1&nfstatus=401&nftoken=00000000-0000-0000-0000-000000000000&nfstatusdescription=ERROR%3A%20No%20local%20token&utm_source=TrendMD&utm_medium=TrendMD&utm_campaign=Pediatrics_TrendMD_0

Borges TS, Vayego SA. Fatores de risco para mortalidade neonatal em um município na região sul. Rev Cien & Saude. 2015[citado em 2020 out. 13];8(1):7-14. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faenfi/article/view/21010

World Health Organization. Preterm birth. Geneva: WHO; 2015[citado em 2020 out. 21]. Disponível em: http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs363/en/

Oliveira LL, Gonçalves AC, Costa JSD, Bonilha ALL. Fatores maternos e neonatais relacionados à prematuridade. Rev Esc Enferm USP. 2016[citado em 2021 jan. 25];50(3):382-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342016000300382&lng=en&nrm=iso

Marzouk A, Filipovic-Pierucci A, Baud O et al. Prenatal and post-natal cost of small for gestational age infants: a national study. BMC Health Serv Res. 2017; 17 (221). Disponível em: https://bmchealthservres.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12913-017-2155-x#citeas

Bender GJ, Koestler D, Ombao H, McCourt M, Alskinis B, Rubin LP, et al. Neonatal intensive care unit: predictive models for length of stay. Journal of Perinatol. 2013[citado em 2020 set. 18];33:147-153. Disponível em: https://www.nature.com/articles/jp201262

Ribeiro JF, Silva LLC, Santos IL, Luz VLES, Coêlho DMM. O prematuro em Unidade de Terapia Intensiva Neonatal: a assistência do enfermeiro. Rev Enferm UFPE on line. 2016[citado em 2020 set. 26];10(10):3833-41. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/11450

Pereira MUL, Lamy-Filho F, Anunciação OS, Lamy ZC, Gonçalves LLM, Madeira HGR. Óbitos neonatais no município de são luís: causas básicas e fatores associados ao óbito neonatal precoce. Rev Pesq Saude. 2017[citado em 2020 nov. 15];18(1):18-23. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/revistahuufma/article/view/7874/4867

Chawanpaiboon S, Vogel JP, Moller AB, Lumbiganon P, Petzold M, Hogan D, et al. Global, regional, and national estimates of levels of preterm birth in 2014: a systematic review and modelling analysis. Lancet Glob Health. 2019[citado em 2021 jan. 23];7(1):37-46. Disponível em: https://www.thelancet.com/journals/langlo/article/PIIS2214-109X(18)30451-0/fulltext

Souza S, Duim E, Nampo FK. Determinants of neonatal mortality in the largest international border of Brazil: a case-control study. BMC Public Health. 2019;19 (1304). Disponível em: https://bmcpublichealth.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12889-019-7638-8#citeas

Lee HC, Bennett MV, Schulman J, Gould JB, Profit J. Estimating Length of Stay by Patient Type in the Neonatal Intensive Care Unit. Am J Perinatol. 2016[citado em 2020 ago. 9];33(8):751-7. Disponível em: https://www.thieme-connect.de/products/ejournals/abstract/10.1055/s-0036-1572433

Mendoza LA, Arias M, Osorio MA. Factores asociados a estancia hospitalaria prolongada en neonatos. Rev Chil Pediatr. 2014[citado em 2021 jan. 11];85(2):164-173. Disponível em: https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0370-41062014000200005&lng=es&nrm=iso

DRG Brasil® [internet]. Versão 10.0.5. Manuais Operacionais; 2018[citado em 2021 fev. 14]. Disponível em: https://www.drgbrasil.com.br

Quinn K. After the revolution: DRGs at age 30. Ann Intern Me. 2014[citado em 2021 jan. 22];160(6):426-9. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/24723081/

Centers for Medicare and Medicaid Services. ICD-10-CM/PCS MS-DRG v34.0 Definitions Manual. Design and development of the Diagnosis Related Group (DRG); 2021[citado em 2021 fev. 12]. Disponível em: https://www.cms.gov/ICD10M/version34-fullcode-cms/fullcode_cms/P0001.html

DeRienzo C, Kohler JA, Lada E, Meanor P, Tanaka D. Demonstrating the relationships of length of stay, cost and clinical outcomes in a simulated NICU. J Perinatol. 2016[citado em 2021 jan. 10];36:1128-31. Disponível em: https://www.nature.com/articles/jp2016128

Mathauer I, Wittenbecher F. Hospital payment systems based on diagnosis-related groups: experiences in low-and middle-income countries. Bull World Health Organ. 2016[citado em 2021 fev. 14];91(10):746-56. Disponível em: https://www.who.int/bulletin/volumes/91/10/12-115931.pdf

Costa ALR, Rodrigues, Araujo JE, Lima JWO, Costa FS. Fatores de risco materno associados à necessidade de unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Bras Ginecol Obstet. 2014[citado em 2020 ago. 06];36(1):29-34. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032014000100029&script=sci_abstract&tlng=pt

Costa BC, Vecchi AA, Granzotto JA, Lorea CF, Mota DM, Albernaz EP, et al. Análise comparativa de complicações do recém-nascido prematuro tardio em relação ao recém-nascido a termo. Bol Cient Pediatr. 2015[citado em 2020 set. 21];4(2):33-7. Disponível em: https://www.sprs.com.br/sprs2013/bancoimg/160107101655bcped_v4_n2_a3.pdf

Mahovo R, Velaphi S. Duration of Hospital Stay and Factors Associated with Prolonged Hospital Stay in Very Low Birth Weight Infants Surviving to Hospital Discharge. J Pediatr Perinatol Child Health 2019; 3 (4): 208-220. Disponível em: https://fortuneonline.org/articles/duration-of-hospital-stay-and-factors-associated-with-prolonged-hospital-stay-in-very-low-birth-weight-infants-surviving-to-hospit.pdf

Casavant SG, Judge M, McGrath J. Influence of anthropometric parameters on breastmilk provision in preterm infants. Science Direct. 2017: 45-50. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0897189717300198

Gothwal S, Singh N, Sitaraman S. et al. Efficacy of transcutaneous bilirubinometry as compared to serum bilirubin in preterm newborn during phototherapy. Eur J Pediatr; 2021;180:2629–2636. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s00431-021-04148-2#citeas

Levin MD, Jang MA, Lawrence MD. Apnea in the Otherwise Healthy, Term Newborn: National Prevalence and Utilization during the Birth Hospitalization. Science Direct. 2017;181:67-73. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0022347616310976

Amin SB, Wang H. Unbound unconjugated hyperbilirubinemia is associated with central apnea in premature infants. J Pediatr. 2015[citado em 2020 nov. 19];166(3):571-5. Disponível em: https://www.jpeds.com/article/S0022-3476(14)01152-4/fulltext

Arquivos adicionais

Publicado

08-04-2022

Como Citar

1.
Lima MD de O, Carmo AS do, Silva TPR, Mateus LM de A, Marcatto J de O, Matozinhos FP, Abreu AC, Couto RC, Pedrosa TMG. Associação entre peso ao nascer, idade gestacional e diagnósticos secundários na permanência hospitalar de recém-nascidos prematuros. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 8º de abril de 2022 [citado 4º de fevereiro de 2023];26. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/38663

Edição

Seção

Pesquisa