Percepção da enfermagem quanto aos desafios e estratégias no contexto da segurança do paciente pediátrico

Autores

  • Anna Caroline Leite Costa Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte MG , Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - Belo Horizonte, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0003-3236-619X
  • Daniela Cristina Zica Silva Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte MG , Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - Belo Horizonte, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0002-6872-8765
  • Allana dos Reis Correa Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte MG , Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - Belo Horizonte, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0003-2208-958X
  • Juliana de Oliveira Marcatto Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte MG , Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - Belo Horizonte, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0002-6870-8414
  • Patrícia Kuerten Rocha Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis SC , Brasil, Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, Enfermagem. Florianópolis, SC - Brasil http://orcid.org/0000-0002-8347-1363
  • Fernanda Penido Matozinhos Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte MG , Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - Belo Horizonte, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0003-1368-4248
  • Bruna Figueiredo Manzo Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Enfermagem, Belo Horizonte MG , Brasil, Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG, Escola de Enfermagem - Belo Horizonte, MG - Brasil http://orcid.org/0000-0003-0064-9961

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2020.49918

Palavras-chave:

Segurança do Paciente, Unidades de Terapia Intensiva Pediátrica, Criança Hospitalizada, Equipe de Enfermagem, Enfermagem Pediátrica

Resumo

OBJETIVO: compreender a percepção da equipe de Enfermagem quanto aos desafios e estratégias vivenciados em relação à segurança do paciente pediátrico. MÉTODOS: estudo qualitativo, exploratório, realizado com 16 profissionais de Enfermagem que atuam em uma unidade de terapia intensiva pediátrica de um hospital público de Minas Gerais, Brasil. Os dados foram coletados por meio entrevistas semiestruturadas e submetidos à análise temática, utilizandointeracionismo simbólico como referencial teórico. RESULTADOS: os achados foram divididos em duas categorias: “desafios vivenciados pela equipe de Enfermagem para o alcance da segurança do paciente” e “estratégias utilizadas para garantia da segurança do paciente”. A percepção da equipe de Enfermagem abrange aspectos que perpassam desde a falta de alinhamento em relação ao conhecimento sobre a temática da segurança do paciente até a dificuldade em reconhecer os riscos, problemas na notificação do evento adverso, sobrecarga de trabalho e falta de rotina no serviço. Observou-se, porém, que os profissionais fizeram proposições e reconheceram a necessidade de investimento em estratégias relevantes para o aprimoramento da segurança do paciente que até o momento não foram efetivadas. CONCLUSÃO: os desafios vivenciados precisam ser avaliados pelos profissionais e gestores em busca de planejamento e execução de estratégias mais efetivas na busca de melhoria da segurança dos pacientes pediátricos, o que inclui o investimento na capacitação de profissionais e estímulo ao envolvimento de familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Kohn L, Corrigan J, Donaldson M, McKay T, Pike K. To err is human. Washington: Institute of Medicine (IOM), DC: National Academy Press; 2000[citado em 2019 jul. 14]. Disponível em: http://www.nap.edu/books/0309068371/html/

Ministério da Saúde (BR). Fundação Oswaldo Cruz. Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2014[citado em 2019 jul. 02]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/documento_referencia_programa_nacional_seguranca.pdf

Ministério da Saúde (BR). Portaria n°. 529, de 1 de abril de 2013. Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Diário Oficial da União da República Federativa do Brasil. Brasília, 1 de abr. de 2013[citado em 2019 jan. 21]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0529_01_04_2013.html5

Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada. - RDC nº 36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Brasília. ANVISA; 2013[citado em 2019 jul. 10]. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/10181/2871504/RDC_36_2013_COMP.pdf/36d809a4-e5ed-4835-a375-3b3e93d74d5e

Caldana G, Guirardello EB, Urbanetto JS, Peterlini MAS, Gabriel CS. Brazilian network for nursing and patient safety: challenges and perspectives. Texto & Contexto Enferm. 2015[citado em 2019 jul. 02];24(3):906-11. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tce/v24n3/0104-0707-tce-24-03-00906.pdf

Wegner W, Silva MUM, Peres MA, Bandeira LE, Frantz E, Botene DZA et al. Patient safety in the care of hospitalised children: evidence for paediatric nursing. Rev Gaúcha Enferm. 2017[citado em 2019 dez. 30];38(1):e68020. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v38n1/en_0102-6933-rgenf-1983-144720170168020.pdf

Roque KE, Melo ECPM, Tonini T. Adverse events in the intensive care unit: impact on mortality and length of stay in a prospective study. Cad Saúde Pública. 2016[citado em 2017 fev. 25];32(10):e00081815. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/csp/v32n10/1678-4464-csp-32-10-e00081815.pdf

Duarte SCM, Stipp MAC, Silva MM, Oliveira FT. Adverse events and safety in nursing care. Rev Bras Enferm. 2015[citado em 2020 jun. 20];68(1):144-54. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v68n1/0034-7167-reben-68-01-0144.pdf

Stockwell DC, Landrigan CP, Toomey SL, Loren SS, Quinn JA, Ashrafzadeh S, et al. Adverse events in hospitalized pediatric patients. Pediatrics. 2018[citado em 2020 maio 29];142(2)e20173360. Disponível em: https://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/142/2/e20173360.full.pdf

Predebon CM, Silva SC, Olaves FS, Kantorski KJC, Pedro ENR, Wegner W. Perfil das notificações de incidentes analisados pela comissão de qualidade e segurança pediátrica. In: ANAIS - I Congresso Internacional da Rebraensp. 2016[citado em 2019 nov. 5]. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/140646/000991213.pdf?sequence=1

Verlaat CW, van der Starre C, Hazelzet JA, Tibboel D, van der Hoeven J, Joris Lemson J, Zegers M. The occurrence of adverse events in low-risk non-survivors in pediatric intensive care patients: an exploratory study. Eur J Pediatr. 2018[citado em 2020 ago. 01];177:1351-8. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s00431-018-3194-y

Manzo BF. Nursing performance in strengthening patient safety in neonatology. Rev Enferm Cent-Oeste Min. 2018[citado em 2020 abr. 02];8. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/3226/2036

Correa AS. Interacionismo simbólico: raízes, críticas e perspectivas atuais. Rev Bras Hist Ciênc Soc. 2017[citado em 2018 jun. 23];9(17):176-200. Disponível em: https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/343

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13ª ed. São Paulo: Hucitec;2013.

Moreira IA, Queiroz Bezerra AL, Paranaguá TTB, Silva AEBC, Azevedo Filho FM. Health professionals' knowledge regarding adverse events in the intensive care unit. Rev Enferm UERJ. 2015[citado em 2016 jan. 04];23(4):461-7. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/5158/18571

Shetty R, Thyagarajan S. Simulation in pediatrics: Is it about time? Ann Card Anaesth. 2016[citado em 2019 dez. 21];18:506-11. Disponível em: https://www.annals.in/article.asp?issn=0971-9784;year=2016;volume=19;issue=3;spage=505;epage=510;aulast=Shetty;type=2

Mueller BU, Neuspiel DR, Fisher ERS, Council On Quality I, Patient Safety COHC. Principles of pediatric patient safety: reducing harm due to medical care. Pediatrics. 2019[citado em 2020 jan. 26];143(2):e20183649. Disponível em: https://pediatrics.aappublications.org/content/143/2/e20183649

Miccas FL, Batista SHSS. Educação permanente em saúde: metassíntese. Rev Saúde Pública. 2014[citado em 2020 ago. 04];48(1):170-85. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S003489102014000100170&script=sci_abstract&tlng=pt

Minuzzi AP, Chiodelli NS, Locks MOH, Amante LZ, Matos E. Contributions of healthcare staff to promote patient safety in intensive care. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2016[citado em 2020 jan. 04];20(1):121- 9. Disponível em: https://www. scielo.br/pdf/ean/v20n1/en_1414-8145-ean-20-01-0121.pdf

Reis GAX, Oliveira JLC, Ferreira AMD, Vituri DW, Marcon SS, Matsuda LM. Dificuldades para implantar estratégias de segurança do paciente: perspectivas de enfermeiros gestores. Rev Gaúcha Enferm. 2019[citado em 2020 jul. 27];40(spe):e20180366. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S1983-14472019000200409&lng=en.

Biasibetti C, Hoffmann LM, Rodrigues FA, Wegner W, Rocha PK. Communication for patient safety in pediatric hospitalizations. Rev Gaúcha Enferm. 2019[citado em 2020 maio 29];40(esp):e20180337. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rgenf/v40nspe/en_1983-1447-rgenf-0-spe-e20180337.pdf

Panesar R, Albert B, Messina C, Parker M. The Effect of an Electronic SBAR Communication Tool on Documentation of Acute Events in the Pediatric Intensive Care Unit. Am J Med Qual. 2016[citado em 2019 dez. 12];31(1): 64-8. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25274104

Peres MA, Wegner W, Cantarelli-Kantorski KJ, Gerhardt LM, Magalhães AMM. Perception of family members and caregivers regarding patient safety in pediatric inpatient units. Rev Gaúcha Enferm. 2018[citado em 2020 maio 29];39: e2017. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/81401/47712

Benjamin JM, Cox ED, Trapskin PJ, Rajamanickam VP, Jorgenson RC, Weber HL, Pearson RE, et al. Family-initiated dialogue about medications during family-centered rounds. Pediatrics. 2015[citado em 2019 nov. 15];135(1):94-101. Disponível em: https://pediatrics.aappublications.org/content/pediatrics/135/1/94.full-text.pdf

Publicado

15-02-2021

Como Citar

1.
Costa ACL, Silva DCZ, Correa A dos R, Marcatto J de O, Rocha PK, Matozinhos FP, Manzo BF. Percepção da enfermagem quanto aos desafios e estratégias no contexto da segurança do paciente pediátrico. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 15º de fevereiro de 2021 [citado 24º de julho de 2024];24(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49918

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >> 

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.