Espelho, espelho meu: autoimagem de pessoas que fazem uso de drogas e suas repercussões sociais

Autores

  • Valquíria Toledo Souto Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Enfermagem, Santa Maria RS , Brasil, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Departamento de Enfermagem. Santa Maria, RS - Brasil http://orcid.org/0000-0001-7606-5685
  • Marlene Gomes Terra Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Enfermagem, Santa Maria RS , Brasil, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Departamento de Enfermagem. Santa Maria, RS - Brasil http://orcid.org/0000-0001-9402-561X
  • Adriane Rubio Roso UFSM, Departamento de Psicologia, Santa Maria RS , Brasil, UFSM, Departamento de Psicologia. Santa Maria, RS - Brasil http://orcid.org/0000-0001-7471-133X
  • Carmem Lúcia Colomé Beck Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Enfermagem, Santa Maria RS , Brasil, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Departamento de Enfermagem. Santa Maria, RS - Brasil http://orcid.org/0000-0001-9060-1923
  • Adão Ademir da Silva UFSM, Hospital Universitário de Santa Maria, Santa Maria RS , Brasil, UFSM, Hospital Universitário de Santa Maria. Santa Maria, RS - Brasil http://orcid.org/0000-0001-9629-4610

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2019.49797

Palavras-chave:

Saúde Mental, Usuários de Drogas, Autoimagem, Problemas Sociais, Enfermagem

Resumo

Objetivo: analisar a percepção de pessoas que fazem uso de drogas acerca da sua autoimagem e as repercussões sociais decorrentes dessas percepções. Método: esta é uma pesquisa qualitativa, realizada com 16 usuários de um Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras drogas de um município da região central do Rio Grande do Sul. Os dados foram produzidos durante cinco encontros em grupo, orientados pela metodologia da problematização com o Arco de Charles Maguerez. Resultados e discussão: da análise dos dados foram identificados temas emergentes que originaram as seguintes categorias: uso de drogas e os reflexos na autoimagem; repercussões sociais que envolvem estar usuário de drogas. Evidenciou-se que a autoimagem construída por essas pessoas envolve sentimentos de autodesvalia, problemas com autoestima e autocuidado. Esses sujeitos vivenciam um contexto social enraizado em preconceito e estigma, de tal forma que passaram a adotar estereótipos negativos a si próprios. Recomendamos que, nos espaços em que os usuários procuram tratamento, sejam incentivados a recomeçarem a gostar de si mesmos, valorizarem as pequenas conquistas, reconquistar laços de afeto, reconstruir sua dignidade, autoconfiança e autoestima. Considerações finais: destaca-se, ainda, o desafio posto aos profissionais de saúde deengajarem-se na luta pela desconstrução de concepções que ampliem a estigmatização social, bem como a necessidade de promoverem a participação social de usuários de drogas na luta por políticas e práticas que legitimem sua condição de cidadania.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Barbosa MR, Matos PM, Costa ME. Um olhar sobre o corpo: o corpo ontem e hoje. Psicol. Soc. 2011[citado em 2018 mar. 21];23(1):24-34. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822011000100004

Schilder P. A imagem do corpo: as energias construtivas da psique. 3ª ed. São Paulo: Martins Fontes; 1999.

Amparo DM, Magalhaes ACR, Chatelard DS. O corpo: identificações e imagem. Rev Mal-Estar Subj. 2013[citado em 2018 mar. 21];13(3-4):499-520. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1518-61482013000200003&lng=pt&tlng=pt.

Ministério da Justiça (BR). Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas. Prevenção dos problemas relacionados ao uso de drogas: capacitação para conselheiros e lideranças comunitárias. Brasília, DF: Ministério da Justiça; 2014.

Melo JRF, Maciel SC. Representação social do usuário de drogas na perspectiva de dependentes químicos. Psicol Ciênc Prof. 2016[citado em 2018 mar. 21];36(1):76-87. Disponível em: 10.1590/1982-3703000882014

Moscovici S. Preconceito e representações sociais. In: Oliveira AM, Jodelet D. Representações sociais: interdisciplinaridade e diversidade de paradigmas. Brasília: Thesaurus; 2009.

Roso A. Drogas, direitos e discursos públicos: inquietações com relação àsmodalidades de internação de pessoas que fazem uso de crack. In: Londero J,Birnfeld C. Direitos sociais fundamentais: contributo interdisciplinar para a redefinição dasgarantias de efetividade. Rio Grande: FURG; 2013. p. 1-24.

Berbel NAN. A metodologia da problematização com o Arco de Maguerez: uma reflexão teórico-epistemológica. Londrina: Eduel; 2016.

Villardi ML, Cyrino EG, Berbel NAN. A metodologia da problematização no ensino em saúde: suas etapas e possibilidades. In: Villardi ML, Cyrino EG, Berbel NAN. A problematização em educação em saúde: percepções dos professores tutores e alunos [online]. São Paulo: Editora UNESP; 2015. p. 45-52. DOI: 10.7476/9788579836626. Disponível em: http://books.scielo.org/id/dgjm7/pdf/villardi-9788579836626-05.pdf

Monticelli M. Aproximações culturais entre trabalhadoras de Enfermagem e famílias no contexto do nascimento hospitalar: uma etnografia de alojamento conjunto [tese]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2003.

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Romanini M, Roso A. Mídia e crack: promovendo saúde ou reforçando relações de dominação? Psicol Ciênc Prof. 2012[citado em 2018 mar. 21];32(1):82-97. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932012000100007

Freire P. Pedagogia do oprimido. 50ª ed. Rio de Janeiro, RJ: Paz e Terra; 2011.

Gillen MM. Associations between positive body image and indicators of men's and women's mental and physical health. Body Image. 2015[citado em 2018 mar. 21];13:67-74. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.bodyim.2015.01.002

Marinho LCP, Carmo DRP, Souto VT, Pelzer MT, Costa RF. O corpo, a droga e o movimento. REME -Rev MinEnferm. 2016[citado em 2018 mar. 22];20:e987. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1123

Ronzani TM, Noto AR, Silveira PS. Reduzindo o estigma entre usuários de drogas: guia para profissionais e gestores. Juiz de Fora: Editora UFJF; 2014. 24 p.

Bard ND, Antunes B, Roos CM, Olschowsky A, Pinho LB. Estigma e preconceito: vivência dos usuários de crack. Rev Latinoam Enferm. 2016[citado em 2018 mar. 22];24:e2680. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.0852.2680

Matthews S, Dwyer R,Snoek A. Stigma and Self-Stigma in Addiction. J BioethInq. 2017[citado em 2018 mar. 22];14:275-86. Disponível em: 10.1007/s11673-017-9784-y

Corrigan PW, Bink AB, Schmidt A, Jones N, Rüsch N. What is the impact of self-stigma? Loss of self-respect and the ‘‘why try’’ effect.J Ment Health. 2016[citado em 2018 mar. 22]; 25(1):10-15. Disponível em: 10.3109/09638237.2015.1021902

Sawaia B. Introdução: exclusão ou inclusão perversa? In: Sawaia B. As artimanhas da exclusão: análise psicossocial e ética da desigualdade social. Petrópolis: Vozes; 2001.

Ganev E, Lima WL. Reinserção social: processo que implica continuidade e cooperação.Serv Soc Saúde. 2015[citado em 2018 mar. 22];10(1):113-29. Disponível em: https://doi.org/10.20396/sss.v10i1.1380

Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas (OBID). Reinserção Social. [citado em 2019 jan. 25]. Disponível em: http://www.obid.senad.gov.br/portais/obid/index.php

Silveira RWM. Redução de danos e acompanhamento terapêutico: aproximações possíveis. Rev NUFEN. 2016[citado em 2018 mar. 22];8(1):110-28. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-25912016000100008&lng=pt&tlng=pt

Publicado

01-08-2019

Como Citar

1.
Souto VT, Terra MG, Roso AR, Beck CLC, Silva AA da. Espelho, espelho meu: autoimagem de pessoas que fazem uso de drogas e suas repercussões sociais. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 1º de agosto de 2019 [citado 23º de maio de 2024];23(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/49797

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.