Estratégias de coping utilizadas por trabalhadores de enfermagem em terapia intensiva neonatal

Autores

  • Fernanda de Moraes Secretaria Municipal de Saúde, Ijuí RS , Brazil, Enfermeira. Especialista em Enfermagem em Terapia Intensiva. Secretaria Municipal de Saúde. Ijuí, RS - Brasil.
  • Eliane Raquel Rieth Benetti Universidade Federal de Santa Maria, Hospital Universitário, Santa Maria RS , Brazil, Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Hospital Universitário. Santa Maria, RS - Brasil., Universidade Federal de Santa Maria
  • Gerli Elenise Gehrke Herr Hospital Unimed Noroeste, Ijuí RS , Brazil, Enfermeira. Especialista em Enfermagem Hospitalista. Hospital Unimed Noroeste. Ijuí, RS - Brasil.
  • Mariléia Stube Universidade Federal de Pelotas, Hospital Escola, Pelotas RS , Brazil, Enfermeira. Especialista em Oncologia. Universidade Federal de Pelotas, Hospital Escola. Pelotas, RS - Brasil., Universidade Federal de Pelotas
  • Eniva Miladi Fernandes Stumm Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí RS , Brazil, Enfermeira. Doutora em Ciências. Professora. Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Ijuí, RS - Brasil., Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Laura de Azevedo Guido UFSM, Santa Maria RS , Brazil, Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Associada Aposentada. UFSM. Santa Maria, RS - Brasil., Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.35699/2316-9389.2016.50007

Palavras-chave:

Estresse Psicológico, Adaptação Psicológica, Enfermagem, Unidades de Terapia Intensiva, Saúde do Trabalhador

Resumo

Estudo quantitativo, transversal e descritivo desenvolvido com 23 trabalhadores de enfermagem com o objetivo de identificar as estratégias de coping utilizadas por trabalhadores de enfermagem de uma unidade de terapia intensiva neonatal. Os dados foram coletados em setembro e outubro de 2012 por meio de formulário para caracterização sociodemográfica/funcional e Inventário de Estratégias de Coping. Projeto aprovado por Comitê de Ética em Pesquisa, CAAE 06163312.8.0000.5346. Após análise dos resultados verificou-se que os fatores do inventário mais utilizados pelos trabalhadores foram autocontrole, reavaliação positiva e suporte social. Essas estratégias, centradas tanto na emoção quanto no problema, são consideradas ativas, pois conduzem para a tomada de decisão na resolução da situação estressora. Concluiu-se que identificar as estratégias de coping utilizadas pelos trabalhadores de enfermagem de terapia intensiva pode possibilitar o conhecimento de como as situações estressoras são enfrentadas e favorecer o planejamento de ações de educação permanente, para sensibilizar e instrumentalizar os trabalhadores para o uso efetivo do coping.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ministério da Saúde (BR). Define as diretrizes e objetivos para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou potencialmente grave e os critérios de classificação e habilitação de leitos de Unidade Neonatal no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Portaria n. 930, 10 maio 2012. Brasília: MS; 2012.

Duarte ED, Sena RR, Xavier CC. Work process in the neonatal intensive care unit: building a holistic-oriented care. Rev Esc Enferm USP. 2009[citado em 2016 jan. 12];43(3):647-54. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v43n3/en_a21v43n3.pdf

Rocha SS, Olivindo DDF, Sá CN, Fonseca LF. Percepção da enfermagem em relação às mães no cuidado de recém-nascidos na unidade de terapia intensiva neonatal. Enferm Foco. 2013[citado em 2016 jan. 12];4(1):45-8. Disponível em: http://revista.portalcofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/502

Anversa RSM, Ubessi LD, Stumm EMF. Perfil de profissionais de terapia intensiva neonatal relacionado com estresse. Rev Baiana Enferm. 2013[citado em 2016 jan. 12];25(3):269-76. Disponível em: http://www.portalseer.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/5966

Nazari F, Mirzamohamadi M, Yousefi H. The effect of massage therapy on occupational stress of Intensive Care Unit nurses. Iran J Nurs Midwifery Res. 2015[citado em 2016 jan. 12];20(4):508-15. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26257809 DOI: 10.4103/1735-9066.161001

Costa R, Padilha MI, Monticelli M. Produção de conhecimento sobre o cuidado ao recém-nascido em UTI Neonatal: contribuição da enfermagem brasileira. Rev Esc Enferm USP. 2010[citado em 2016 jan. 12];44(1):199-204. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n1/a28v44n1.pdf

Lazarus RS, Folkman S. Stress, appraisal and coping. New York: Springer Publishing Copany; 1984.

Schreuder JA, Roelen CA, Groothoff JW, van der Klink JJ, Mageroy N, Pallesen S, et al. Coping styles relate to health and work environment of Norwegian and Dutch hospital nurses: a comparative study. Nurs Outlook. 2012[citado em 2016 jan. 12];60(1):37-43. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21684564 DOI: 10.1016/j.outlook.2011.05.005

Gomes SFS, Santos MM, Carolino ET. Psycho-social risks at work: stress and coping strategies in oncology nurses. Rev Latino-Am Enferm. 2013[citado em 2016 jan. 12];21(6):1282-9. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692013000601282&script=sci_arttext&tlng=pt DOI: 10.1590/0104-1169.2742.2365.

Savóia MG, Santana PR, Mejias NP. Adaptação do inventário de Estratégias de Coping1 de Folkman e Lazarus para o português. Psicol USP. 1996[citado em 2016 jan. 12];7(1-2):183-201. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/psicousp/article/view/34538 DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1678-51771996000100009

Ministério da Saúde (BR). Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa em seres humanos. Resolução Nº 196, de 10 de outubro de 1996. Brasília: MS; 1996.

Inácio AFL, Capovilla C, Prestello GD, Vieira LMS, Bicudo MA, Souza VF, et al. O profissional de enfermagem frente à morte do recém-nascido em UTI neonatal. J Health Sci Inst. 2009[citado em 2016 jan. 12];26(3):289-93. Disponível em: http://www.unip.br/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2008/03_jul_set/V26_N3_2008_p289-293.pdf

Conselho Federal de Enfermagem. Departamento de Tecnologia da Informação. Análise de dados dos profissionais de enfermagem existentes nos Conselhos Regionais. Brasília: Cofen; 2011. [Citado em 2016 jan. 12]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2012/03/pesquisaprofissionais.pdf

Andolhe R, Barbosa RL, Oliveira EM, Costa ALS, Padilha KG. Stress, coping and burnout among Intensive Care Unit nursing staff: associated factors. Rev Esc Enferm USP. 2015[citado em 2016 jan. 12];49(Esp):58-64. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49nspe/en_1980-220X-reeusp-49-spe-0058.pdf DOI: 10.1590/S0080-623420150000700009

Jose TT, Bhat SM. A descriptive study on stress and coping of nurses working in selected hospitals of Udupi and Mangalore districts Karnataka, India. J Nursing Health Science. 2013[citado em 2016 jan. 12];3(1):10-8. Disponível em: http://iosrjournals.org/iosr-jnhs/papers/vol3-issue1/Version-1/C03111018.pdf

Carver CS, Scheier MF, Weintraub JK. Assessing coping strategies: a theoretically based approach. J Personal Social Psychol. 1989[citado em 2016 jan. 12];56(2):267-83. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/2926629

Benetti ERR, Stumm EMF, Weiller TH, Batista KM, Lopes LFD, Guido LA. Estratégias de coping e características de trabalhadores de enfermagem de hospital privado. Rev Rene. 2015[citado em 2016 jan. 12];16(1):3-10. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/index.php/rene/article/viewFile/2657/2042 DOI: 10.15253/2175-6783.2015000100002

Colossi EG, Calesso-Moreira M, Pizzinato A. Estratégias de enfrentamento utilizadas pela equipe de enfermagem de um CTI adulto perante situações de estresse. Ciênc Saúde. 2011[citado em 2016 jan. 12];4(1):14-21. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faenfi/article/view/7167

Rodrigues AB, Chaves EC. Stressing factors and coping strategies used by oncology nurses. Rev Latino-Am Enferm. 2008[citado em 2016 jan. 12];16(1):24-8. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rlae/article/download/16912/18681

Guido LA, Bianchi ERF, Linch GFC. Coping among nurses of the operating room and recovery room. Rev Enferm UFPE on line. 2009[citado em 2016 jan. 12];3(4):823-30. Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/download/90/2915

Collins SA, Currie LM, Bakken S, Cimino JJ. Information needs, infobutton manager use, and satisfaction by clinician type: a case study. J Am Med Inform Assoc. 2009[citado em 2016 jan. 12];16(1):140-2. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18952943 DOI: 10.1197/jamia.M2746

Zyga S, Mitrousi S, Alikari V, Sachlas A, Stathoulis J, Fradelos E, et al. Assessing factors that affect coping strategies among nursing personnel. Mater Sociomed. 2016[citado em 2016 jan. 12];28(2):146-50. Disponível em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4851525/ DOI: 10.5455/msm.2016.28.146-150

Fonseca JRF, Costa ALS, Coutinho DSS, Gato RC. Coping strategies among nursing staff at a university hospital. Rev Rene. 2015[citado em 2016 jan. 12];16(5):656-63. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/index.php/rene/article/viewFile/2791/2165 DOI: 10.15253/2175-6783.2015000500006

Deklava L, Circenis K, Millere I. Stress Coping Mechanisms and Professional Burnout Among Latvian Nurses. Procedia - Social and Behavioral Sciences. 2014[citado em 2016 jan. 12];159:261-7. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1877042814064994

Publicado

04-05-2017

Como Citar

1.
Moraes F de, Benetti ERR, Herr GEG, Stube M, Stumm EMF, Guido L de A. Estratégias de coping utilizadas por trabalhadores de enfermagem em terapia intensiva neonatal. REME Rev Min Enferm. [Internet]. 4º de maio de 2017 [citado 25º de junho de 2024];20(1). Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/reme/article/view/50007

Edição

Seção

Pesquisa

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.