E se a barragem romper?

O extrativismo e os “efeitos derrame de risco” no Município de Raposos - MG

  • Junia Maria Ferrari de Lima Universidade Federal de Minas Gerais
  • Clarice Flores Fialho Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Isabel Tamião Santana Universidade Federal de Minas Gerais
  • Maria Moura Soalheiro Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: desenvolvimento, extrativismo, mineração, risco, efeito derrame

Resumo

O discurso do desenvolvimento tem se apoiado no extrativismo como alternativa para os países que detêm grandes reservas de recursos naturais. O estado de Minas Gerais, motivado por este entendimento, tem sustentado uma relação de dependência histórica com a mineração, na qual predomina a contabilização dos lucros em detrimento dos diversos efeitos decorrentes desta prática. Para o sociólogo Gudynas, esse modelo de extrativismo tem repercussões que vão além do local de exploração, atingindo o meio ambiente, o território, a economia, dentre outros, às quais ele denomina por “efectos derrame”. A partir dessa categorização e do estudo de caso do município de Raposos (MG), este trabalho propõe uma nova modalidade de análise que inclui os efeitos decorrentes da ameaça cotidiana de ruptura de três barragens de rejeitos na região, e que aqui nomeamos por “efeitos derrame de risco”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACOSTA, Alberto. Extrativismo e neoextrativismo - duas faces da mesma maldição. In: DILGER, Gerhard; LANG, Miriam; PEREIRA FILHO, Jorge (orgs.). Descolonizar o imaginário - debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. Fundação Rosa Luxemburgo. Editora Elefante. São Paulo, p. 46-87, 2018.

ALCADIPANI, Rafael; BERTERO, Carlos Osmar. Guerra Fria e ensino do management no Brasil: o caso da FGV-EAESP. Revista Administração Empresas, São Paulo , v. 52, n. 3, p. 284-299, Junho 2012. Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902012000300002 Acesso em 17 Mai. 2019.

ALVES, Débora Bendocchi. Uma região mineradora. Minas Gerais, Brasil, segunda metade do século XIX, Nuevo Mundo Mundos Nuevos [online], Colloques, 10 mars 2015. Disponível em: https://journals.openedition.org/nuevomundo/67741 Acesso em 18 Jan. 2019.

ANTONELLI, Mirta Alejandra. Megaminería transnacional e invención del mundo cantera. Nueva Sociedad, Nuso Nº 252, Julio - Agosto. Buenos Aires, 2014. Disponível em: https://nuso.org/articulo/megamineria-transnacional-e-invencion-del-mundo-cantera/ Acesso em 11 Mai. 2019.

BECK, Ulrich. Sociedade de Risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Editora 34, 2010.

BRASIL. Plano Nacional de Mineração 2030. Ministério de Minas e Energia. Brasília, 2011

DILGER, Gerhard; LANG, Miriam: PEREIRA FILHO, Jorge (orgs.) Descolonizar o Imaginário - Debates sobre pós-extrativismo e desenvolvimento. Fundação Rosa Luxemburgo. Editora Elefante, São Paulo, 2018.

DILGER, Gerhard; PEREIRA FILHO, Jorge. Apresentação à edição brasileira - Ousar pensar "fora da caixa". In: DILGER, Gerhard; LANG, Miriam: PEREIRA FILHO, Jorge (orgs.) Descolonizar o Imaginário - Debates sobre pós-extrativismo e desenvolvimento. Fundação Rosa Luxemburgo. Editora Elefante, São Paulo, p. 12-23, 2018.

DURAND, Pascal (org.). Les nouveaux mots du pouvoir. Abécédaire critique, Aden, Bruxelas, 2007.

FERRARI, J., RIERA, H. E., ZANATTA, Y. A Extensão Em Construção: Uma experiência de 'imersão' em Raposos/MG. In: XIX ENANPUR, Natal - RN, 2019. Disponível em: http://anpur.org.br/xviiienanpur/anaisadmin/capapdf.php?reqid=1460 Acesso em 20 de jan. de 2020.

GOMES, João Oliveira. Memórias do Povo de Raposos. Ed Le, Minas Gerais. 1996.

GOMIDE, Caroline Siqueira; COELHO, Tadzio Peters; TROCATE, Charles; MILANEZ, Bruno WANDERLEY, Luiz Jardim de Moraes (orgs.). Dicionário Crítico da Mineração. 1.a ed. Marabá: iGuana, 2018.

GROSSI, Yonne de S. Mina de Morro Velho: a extração do homem. Rio, Paz e Terra. Rio de Janeiro, 1981

GUDYNAS, Eduardo. El mandato ecológico: derechos de la naturaleza y políticas ambientales en la nueva Constitución. Quito: Abya Yala, 2009.

GUDYNAS, Eduardo. Extractivismos en América del Sur y sus efectos derrame. La Revista, boletín Sociedad Suiza Americanistas, Nº 76, pp. 13-23, 2015

GUDYNAS, Eduardo. Extractivismos: el concepto, sus expresiones y sus múltiples violencias. Revista papeles de relaciones ecosociales y cambio global Nº 143 2018, pp. 61-70. Madrid, 2018.

GUDYNAS, Eduardo. Hasta la última gota. In: RevIISE - Revista de Ciencias Soaciales y Humanas. Vol.13, número 13. Argentina, 2019. Disponível em: http://gudynas.com/wp-content/uploads/GudynasUltimaGotaNarrativasExtractivistas19.pdf Acesso em 25 Abr. 2019.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | VAB por setor de atividade em 2012. Disponível em: http://www.deepask.com/goes?page=raposos/MG-Confira-o-PIB---Produto-Interno-Bruto---no-seu-municipio Acesso em 10 Out. 2018.

LANG, Miriam. Introdução- Alternativas ao desenvolvimento. In: DILGER, Gerhard; LANG, Miriam: PEREIRA FILHO, Jorge (orgs.) Descolonizar o Imaginário - Debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento. Fundação Rosa Luxemburgo. Editora Elefante: São Paulo, p.24-46, 2018.

MADEIRA, João. Criação do Parna Gandarela perdeu chance de ser modelo, O Eco, 16 de outubro de 2014. Disponível em <https://www.oeco.org.br/colunas/colunistas-convidados/28714-criacao-do-parna-gandarela-perdeu-chance-de-ser-modelo/> Acesso em 12 Fev. 2019.

MILANEZ, Bruno. Mineração, ambiente e sociedade: impactos complexos e simplificação da legislação. Boletim regional, urbano e ambiental | 16 | jan.-jun. IPEA. 2017

NIXON, Rob. Slow Violence, Gender and The Environmentalism of the Poor. In. Journal of Commonwealth and Postcolonial Studies. Vol. 13.2 – 14.1, 2006, p. 14- 37.

OLIVEIRA, Raquel. A Gente Tem Que Falar Aquilo Que A Gente Tem Que Provar: A geopolítica do risco e a produção do sofrimento social na luta dos moradores do Bairro Camargos em Belo Horizonte – MG. Tese de Doutorado em Sociologia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

PLAMBEL. Informações Sócio-Econômicas Municipais de Raposos. Março de 1985. Disponível em: http://www.bibliotecavirtual.mg.gov.br/consulta/consultaDetalheDocumento.php?iCodDocumento=47191. Acesso em 16 out. 2018.

PRADO Jr., Caio. História Econômica do Brasil. Ed. Brasiliense: São Paulo, 1984.

RESENDE, Maria Leônia Chaves de; LANGFUR, Hal. Minas Gerais indígena: a resistência dos índios nos sertões e nas vilas de El-Rei. Tempo, Niterói , v. 12, n. 23, p. 5-22, 2007 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-77042007000200002&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 14 mai. 2019.

RIBEIRO, G. L. Ambientalismo e Desenvolvimento Sustentado: Nova Ideologia/Utopia do Desenvolvimento. Revista de Antropologia. São Paulo, USP, n. 34, 1991, pp. 59-101.

RIBEIRO, G. L. Poder, redes e ideologia no campo do desenvolvimento. Novos estudos - CEBRAP, São Paulo , n. 80, p. 109-125, Mar. 2008 . Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-33002008000100008&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 10 jan. 2020.

SVAMPA, M. Consenso de los commodities, Giro Ecoterritorial y Pensamiento crítico en América Latina In: OSAL - Observatório Social de América Latina. Movimientos socioambientales en América Latina. Año XIII, Nº 32, noviembre de 2012. Disponível em: http://biblioteca.clacso.edu.ar/clacso/osal/20120927103642/OSAL32.pdf Acesso em 02 jan. de 2020.

WISNIK, José Miguel. Maquinação do Mundo: Drummond e a mineração. Ed. Companhia das Letras: São Paulo, 2018.

Publicado
2020-03-17
Como Citar
FERRARI DE LIMA, J. M.; FLORES FIALHO, C.; TAMIÃO SANTANA, M. I.; MOURA SOALHEIRO, M. E se a barragem romper?. Revista de Ciências do Estado, v. 5, n. 1, p. 1-29, 17 mar. 2020.