Redes sociais e mídia tradicional

disputa e articulação na significação do Impeachment de Dilma Rousseff

Autores

  • Letícia Baron Universidade Federal de Pelotas
  • Michele Diana da Luz Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.35699/2525-8036.2018.5099

Palavras-chave:

Discurso, Mídia, Impeachment

Resumo

A partir da teoria do discurso laclauniana, faz-se uma análise da relação estabelecida entre os discursos dos Movimentos Endireita Brasil, Brasil Livre e Vem pra Rua e da grande mídia nacional - representada pelos jornais A Folha de São Paulo e O Globo - no período que envolve o processo e o julgamento da então Presidente da República, Dilma Rousseff. As análises demonstraram que as Organizações Globo e a Folha de São Paulo, no início do processo de impeachment, desmotivaram o prosseguimento do processo, afirmando preocupação com a instabilidade política que poderia gerar. Esta atitude foi amplamente criticada pelos movimentos. Com o aumento das manifestações e a adesão de diversos segmentos ao pedido de Impeachment, O Globo reconsiderou seu posicionamento, cobrindo amplamente os eventos que resultaram no afastamento de Dilma. O posicionamento da Folha, contudo, manteve-se até o final do processo.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Letícia Baron, Universidade Federal de Pelotas

Doutorandas em Ciência Política pela Universidade Federal de Pelotas. Contato: letibaron@hotmail.com

Michele Diana da Luz, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Ciência Política pela Universidade Federal de Pelotas. Contato: micheledluz@gmail.com      

Referências

BAQUERO, Marcello. A vulnerabilidade dos partidos políticos e a crise da democracia na América Latina. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2000, 192p.

______. Os desafios na construção de uma cultura política democrática na América Latina: estado e partidos políticos. In: BAQUERO, M. Cultura política e democracia: os desafios das sociedades contemporâneas. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 1994, p. 26-41.

CARREIRO, Rodrigo. O espaço local e o estudo dos ganhos democráticos via participação política online. In: Teoria e Pesquisa. São Carlos: UFSCar, v. 21, n. 2, p. 108-122, jul/dez 2012.

CASTELLS, Manuel. Comunicación y Poder. Madri: Alianza Editorial, 2009.

DEL VICARIO, M; BESSI, A; ZOLLO, F; PETRONI, F; SCALA, A; CALDARELLI, G; STANLEY, H. E; QUATTROCIOCCI, W. The Spreading of misinformation online. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America. Washington, vol. 113, nº. 3. 2016, p. 554-559.

JORNAL O GLOBO. EDITORIAL: Manipulação no Congresso ultrapassa limites. Publicado em: 07 de agosto de 2016. Disponível em:http://oglobo.globo.com/opiniao/manipulacao-do-congresso-ultrapassa-limites-17109534?utm_source=Facebook&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar. Acesso em março de 2017.

KOZINETS, Robert. V. Netnografia: realizando pesquisa etnográfica online. Tradução Daniel Bueno. Porto Alegre: Penso, 2014. 203p.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantall. Hegemonia e estratégia Socialista: Por uma política democrática radical. Brasília: Editora Intermeios, 2015, 287 p

LATTMAN-WELTMAN,Fernando. Democracia e revolução tecnológica em tempos de cólera: Influência política midiática e radicalização militante. In: CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PESQUISADORES EM COMUNICAÇÃO E POLÍTICA, 2015, Rio de Janeiro. Anais: Compolítica, 2015.

MANIN, Bernard. As metamorfoses do governo representativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, ano 10, nº 29. 1995, pp 5-34.

MENDONÇA, Daniel. RODRIGUES, Léo Peixoto. In: MENDONÇA, Daniel; RODRIGUES, Léo Peixoto (Orgs). Pós-Estruturalismo e Teoria do Discurso: em torno de Ernesto Laclau. 2ed -Porto Alegre: EdiPUCRS, 2014, 212p.

MUDDE, Cas. Populist Radical Right Parties in Europe. Cambridge: Cambridge University Press. Cambridge, UK, 2007, 404p

PINTO, Céli R. J. Elementos para uma análise de discurso político. Santa Cruz do Sul: Barbarói, nº 24, 2009, p. 78 –109.

SILVA, R. B. Mídias sociais e política: os partidos no Facebook. ALCEU, Rio de Janeiro, vol. 14, nº 28. Jan/jul, 2014, p. 2002-223.

SINGER, André. Os sentidos do Lulismo: Reforma gradual e pacto conservador. Cia das Letras, São Paulo, 2012, 280p.

TATAGIBA, L.; TEIXEIRA, A, TRINDADE, T. Protestos à Direita no Brasil. In: Direita, Volver! O retorno da direita e o ciclo político brasileiro. Sebastião Velasco e Cruz; André Kaysel; Gustavo Codas (Orgs). São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2015, p.197-213.

TORET, J. Um olhar tencopolítico sobre os primeiros dias do #15M. In: COCCO, G. E ALBAGLI, S. Revolução 2.0 e a crise do capitalismo global. Garamond, Rio de Janeiro. 2010, p.138-150.

Downloads

Publicado

19-07-2018

Como Citar

BARON, L.; LUZ, M. D. da. Redes sociais e mídia tradicional: disputa e articulação na significação do Impeachment de Dilma Rousseff. Revista de Ciências do Estado, Belo Horizonte, v. 3, n. 1, p. 366–388, 2018. DOI: 10.35699/2525-8036.2018.5099. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revice/article/view/e5099. Acesso em: 22 maio. 2024.