O discurso das conjunções como dinâmica do pensamento artista

Autores

  • Irene de Mendonça Peixoto Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Brasil

Palavras-chave:

arte contemporânea, processos artísticos, instâncias analógicas

Resumo

A proposta deste artigo é investigar a dinâmica das estratégias criadoras que conjugam heterogêneos produzindo trabalhos que mudam de natureza em função das conexões que estabelecem, revelando um mundo pleno de sintonias secretas, no qual as coisas poderiam aliar-se da maneira mais contraditória e evidenciar afinidades indefinidas. Esse dom de produzir e perceber semelhanças nos conduz ao desafio de atravessar o mundo sob a perspectiva do “e”, acolhendo paradoxos, convivendo com ambivalências, afinidades e aversões. Desse modo, as conjunções da arte confrontam e expressam o infinito.

Biografia do Autor

Irene de Mendonça Peixoto, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, Brasil

Possui graduação em Comunicação Visual pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1983), especialização em design gráfico pela École Supérieure des Arts Modernes, Paris, mestrado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2000) e doutorado (2016) no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais- EBA/UFRJ. Designer, artista gráfica e professora da Escola de Belas-Artes/UFRJ, Departamento de Comunicação  e do Programa de Pós-Graduação em Design - EBA/UFRJ, tem experiência na área de Artes Visuais e Comunicação Visual.

 

Referências

AGAMBEN, G. Profanações. São Paulo: Boitempo, 2007.

___________. Sigantura Rerum. Barcelona: Editorial Anagrama, 2010.

BACHELARD, G. In: Os Pensadores. Org. José Américo Motta Pessanha. São Paulo: Ed. Abril Cultural, 1978

BENJAMIN, W. Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1985.

CHEVALIER, J. Dicionário de Símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 2009.

DELEUZE, G; GUATTARI, F. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, G. O que é Filosofia? São Paulo: Ed. 34, 1992.

DIDI-HUBERMAN, G. Prefácio in Aby Warburg et l´image en movement. Philippe Alain Michaud.

Edition Macula, 1998.

_________. Atlas ¿Cómo llevar el mundo a cuestas?. Madrid: Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofia, 2010.

JUNG, C. G. The Red Book, Liber Novus. London: W.W. Norton & Company, 2009

MALRAUX, A. La peinture de Galanis, dans Écrits sur l'art. Paris: Gallimard, 2004.

NUNES, B. Hermenêutica e Poesia. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2007.

PÉREZ-ORAMAS, L. Arte e Iminência. In: Catálogo Trigésima Bienal de São Paulo: a Iminência das Poéticas. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2012.

TUNGA. Barroco de Lírios. São Paulo: Ed. Cosac Naify, 1997.

VALÉRY, P. Introdução ao método de Leonardo da Vinci. São Paulo: Ed. 34, 1998.

WARBURG, A. Introdução ao Atlas Minemosyne. In: Dossiê Aby Warburg. Org. César Bartholomeu, Arte e Ensaios 22. Ed. PPGAV –EBA/UFRJ, 2009.

Cadernos EAV 2009: encontros com artistas / organização Escola de Artes Visuais do Parque Lage: Anna Bella Geiger [et al.].; [organização Joanna Fatorelli e Tania Queiroz] - Rio de Janeiro: EAV, 2012.

Entrevista de Marina Fraga. Site da Revista Carbono 01, Início do mundo, 2012/2013.

Downloads

Publicado

2018-11-29

Como Citar

PEIXOTO, I. de M. O discurso das conjunções como dinâmica do pensamento artista. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 8, n. 16, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15590. Acesso em: 5 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta