O FIM DA ARTE SEGUNDO BEUYS

Autores

  • Eric Michaud École des Hautes Éudes en Sciences Sociales, France
  • Almerinda da Silva Lopes Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil
  • Tamara Silva Chagas Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil http://orcid.org/0000-0002-9378-3969

Palavras-chave:

Joseph Beuys, arte e política, arte do século XX.

Resumo

No texto, Michaud discorre sobre o pensamento do alemão Joseph Beuys, o qual é perpassado por conceitos românticos de mito, rito e pela crença inabalável na arte como instrumento de Liberdade, de regeneração da autoconsciência, dos valores espirituais e de reestruturação social. Pontua a indignação do artista diante do estado de crise da civilização européia, no pós-guerra, e da perda da unidade e da hegemonia cultural alemã, com a instauração do nazismo. Por meio do engajamento político, do poder das ideias e de ações estritamente conectadas com a vida e com a história alemã e europeia, caberia aos artistas, conforme Beuys, se envolverem na reconstrução da pátria mítica, livre de conflitos sociais e ideológicos.

Biografia do Autor

Almerinda da Silva Lopes, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil

É lider dos Grupo de Estudos Pesquisas Teóricas em Arte e Teoria e História da Arte Moderna e Contemporânea da UFES. Possui graduação em Licenciatura Em Desenho e Plástica pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1972); Licenciatura em Pedagogia, com habilitações em ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL e em Supervisão Escolar, pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Andradina (1980); Licenciatura Em Educação Artística pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (1976), mestrado em Artes pela Universidade de São Paulo (1989) e doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Universidade de Paris I (doutorado sanduíche) (1997). Pós-doutorado pela Universidade dee Paris I (Sorbonne), 2002. Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Espírito Santo, atuando na graduação e no mestrado em Artes. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em História e Crítica da Arte, atuando principalmente nos seguintes temas: artes plásticas, pintura, escultura, fotografia, ensino das artes, história da arte e crítica dos séculos xx e xxi.

Tamara Silva Chagas, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Brasil

Mestre em Artes (2012, Ufes) e bacharel em Artes Plásticas (2008, Ufes).

Referências

ARENDT, Hannah, La crise de la culture, Paris: Gallimard, 1972.

BEUYS, Joseph. Entrevista concedida a Irmeline Lebeer. Cahiers du Musée National d'Art Moderne, n° 4, 1980.

______. Entrevista concedida a Bernard Lamarche-Vadel. Canal, n° 58-59, inverno de 1984-85.

______. Entrevista concedida a Hagen Lieberknecht. In: Catalogue des dessins de Joseph Beuys, tomo 1, Colônia: Schirner, 1972.

______. Discours sur mon pays: l'Allemagne. Munique: C. Bertelsmann, 1985. Trad. fr. In: Pour la mort de Joseph Beuys, nécrologies, essais, discours. Bonn: Inter Nationes, 1986.

______. Entrevista concedida a Achille Bonito Oliva em jun. 1984. In: LAMARCHE-VADEL, B. Joseph Beuys, is it about a bicycle? Paris/Verona, 1985.

______. Entrevista concedida a Elizabeth Ron em out. 1981, In: LAMARCHE-VADEL, B. Joseph Beuys, is it about a bicycle?, Paris/Verona, 1985.

______. Entrevista concedida a Lamarche-Vadel em ago. 1979, In: LAMARCHE-VADEL, B. Joseph Beuys, is it about a bicycle? Paris/Verona, 1985, p. 91-93.

______. Entrevista concedida a Friedhelm Mennekes. In: GRINTEN, F. J. van der; MENNEKES, F. Menschenbild, Christusbild, Stuttgart, 1981. Trad. fr. In : Pour la mort de Joseph Beuys, nécrologies, essais, discours, Bonn: Inter Nationes, 1986.

BRENNER, Hildegard. La politique artistique du national-socialisme, trad. STEINBERG, L. Paris: Maspéro, 1980.

RICHARD, Lionel. Le nazisme et la culture, Paris: Maspéro, 1978.

Downloads

Publicado

2018-05-27

Como Citar

MICHAUD, E.; LOPES, A. da S.; CHAGAS, T. S. O FIM DA ARTE SEGUNDO BEUYS. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, p. 156–166, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15607. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta