DISCURSO DE PROMOCIÓN

acumular imagens, vislumbrar imaginários

Autores

  • Paola Lopes Zamariola Universidade de São Paulo (USP), Brasil

Palavras-chave:

Discurso de Promoción, Yuyachkani, Imagem., Imaginário Político

Resumo

Este artigo discute o espetáculo Discurso de Promoción (2017), do grupo peruano Yuyachkani. O texto analisa como o procedimento de acumulação de imagens ligadas à história do Peru apresentou-se como um meio de reação aos processos antidemocráticos presentes desde a independência do país. A partir de diferentes pontos de vista sobre a capacidade da arte propiciar a reflexão e a interferência sobre a realidade, apresenta alguns dos procedimentos eleitos por criadores que estão ligados ao campo expandido da arte na América Latina desde o início da década de 1970. Busca-se também indagar se por meio de tal acúmulo de imagens históricas seria possível constituir um modo de vislumbrar outros imaginários políticos possíveis.

Biografia do Autor

Paola Lopes Zamariola, Universidade de São Paulo (USP), Brasil

Paola Lopes Zamariola, através do fomento da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo, desenvolve pesquisa de doutorado no Programa de Pós Graduação em Artes Cênicas da Universidade de São Paulo, sob orientação da Profa. Dra. Sílvia Fernandes. É mestra em Artes Cênicas pela mesma instituição e também possui especialização em Artes Visuais pelo Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas. Trabalha como atriz, diretora e diretora de arte, além de realizar projetos que envolvem práticas artísticas e pedagógicas. Desde 2016 é editora da Revista Aspas. Contato: paola.lopes.zamariola@gmail.com.

Referências

BAUDRILLARD, Jean. A arte da desaparição. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 1997.

___________________. Simulacros e Simulação. Lisboa: Relógio D´água, 1991.

DE HOLANDA, Heloisa Buarque (Org.). Pós-moderno e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991.

DIDI-HUBERMAN, Georges. “Quando as imagens tocam o real”. In: Revista Pós, n. 4. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2012, pp. 206-219.

_______________________. Sobrevivência dos vaga-lumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FOUCAULT, Michel. O corpo utópico, as heterotopias. São Paulo: N -1 Edições, 2013.

HUYSSEN, Andreas. “Mapeando o pós-moderno”. In: DE HOLANDA, Heloisa Buarque (Org.). Pósmoderno e política. Rio de Janeiro: Rocco, 1991, p. 15-80.

JAMESON, Fredric. “Pós-modernidade e sociedade de consumo”. In: Revista Novos Estudos CEBRAP, n. 12. São Paulo: Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, 1985, pp. 16-26.

RANCIÈRE, Jacques. “O Dissenso”. In: NOVAES, Adauto. A Crise da Razão. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

PORTOCARRERO, Gonzalo. “¿Inacabadas Ruinas? Notas críticas sobre el imaginario peruano”. In: SALCEDO, Américo Meza; SULCA, Ricardo Soto (Org.). Racionalidad e Irracionalidad en la Cotidianidad del Sujeto. Huancayo, 2006.

SOUZA, Carla Dameane Pereira de. A Encenação do Sujeito e da Cosmogonia Andina no Teatro Peruano: memória histórica e ativismo político em César Vallejo e Yuyachkani. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2014. Tese de doutorado.

SÁNCHEZ, José; BELVIS, Esther (Org.). No hay más poesía que la acción – Teatralidades expandidas y repertórios dissidentes. México D.F.: Paso de Gato, 2015.

VICH, Victor. Nada que celebrar. Lima: La Mula, 2017. Crítica do espetáculo. Disponível em: https://victorvich.lamula.pe/2017/05/20/nada-que-celebrar/victorvich/. Acessado em: 11/01/18.

RUBIO, Miguel. Discurso de Promoción. Lima: Grupo Cultural Yuyachkani, 2017. Programa do espetáculo.

Downloads

Publicado

2018-05-27

Como Citar

ZAMARIOLA, P. L. DISCURSO DE PROMOCIÓN: acumular imagens, vislumbrar imaginários. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, Belo Horizonte, p. 51–66, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15609. Acesso em: 22 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos - Seção temática