Da pintura histórica à bienal histórica

autonomia, curadoria e bienalização

Autores

  • Manoel Silvestre Friques Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), Brasil

Palavras-chave:

Curadoria, História das Exposições, Autonomia

Resumo

A reflexão gira em torno das relações entre arte, história e curadoria. Para isso, apresenta uma divisão tríplice, focalizando, em um primeiro momento, a dicotomia entre curadoria e autonomia encontrada na fortuna crítica associada às edições da Bienal de São Paulo. Em seguida, discute-se a consolidação da História das Exposições tendo em vista o florescimento de megaexposições e o "legado transnacional" da mostra Magiciens de la Terre (Paris, 1989). Por fim, investiga as estratégias curatoriais da XXXI edição da Bienal de São Paulo, sob a perspectiva da pintura histórica.

Biografia do Autor

Manoel Silvestre Friques, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), Brasil

Manoel Silvestre Friques é Teórico do Teatro (UNIRIO) e Engenheiro de Produção (UFRJ). Doutorando no Programa de História Social da PUC-Rio, foi Visiting Scholar no Department of Art History and Archaeology da Columbia University (2015-2016), é Mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO. Professor da Escola de Engenharia de Produção da UNIRIO, deu aulas, entre 2008 e 2013, nos cursos de Design de Moda e Artes da Faculdade SENAI Cetiqt. Publicou o livro de críticas Seis Chaves (EAV, 2012) e ensaios nas revistas Concinittas, Poeisis, Arte & Ensaios, Percevejo, Urdimento, E-compós, dentre outras. Dentre suas últimas curadorias destacam-se Lúmens (Furnas Espaço Cultural), Incorpóreo (Centro de Justiça Federal), ambas individuais de João Penoni em 2013; Brazo de Monte, exposição individual de Andrés Boero Madrid, no Uruguai em 2014; e as exposições coletivas Coisas Vistas Aqui e Ali, Sem Óculos e Curadoria Operária (ambas no Espaço Cultural Sergio Porto, 2014).

Referências

ALTSHULER, Bruce. Biennials and Beyond - exhibitions that made art history. 1962-2002. Londres: Phaidon, 2013.

AMARAL, Aracy. Bienais ou Da impossibilidade de reter o tempo. In: REVISTA USP, São Paulo, n.52, p. 16-25, dezembro/fevereiro 2001-2002.

AMARAL, Aracy. O curador como estrela. Mesa-redonda realizada no MoMA, Nova York, em 1988.

BELTING, Hans. BUDDENSIED, Andrea. WEIBEL, Peter. The Global Contemporary and the Rise of New Art Worlds. Alemanha: ZKM | center for Art and Media Karlsruhe, 2013.

BHABHA, Homi. Arte e Iminência. In: PÉREZ-ORAMAS, Luis et al. Catálogo da 30 Bienal de São Paulo: a iminência das poéticas. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2012.

BISHOP, Claire. Shows of Force. In: Revista Artforum, Março 2014, p. 77-78.

BRITO, Ronaldo. FLÓRIDO, Marisa. Há um colapso e um rearranjo entre imagens e relatos, entre o expor e o significar. In: BARTHOLOMEU, Cezar, TAVORA, Maria Luisa (org.) Revista Arte & Ensaios n. 27, Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais / Escola de Belas Artes, UFRJ, dezembro de 2013.

BUCHLOH, Benjamin. The whole earth show: an interview with Jean-Hubert Martin. In: Making Art Global (Part 2) - ‘Magiciens de la Terre’ 1989. Londres: Afterall Books, 2013.

CANONGIA, Ligia. A ousadia sob controle. In: FILHO, Paulo Venâncio (org.). 30 x Bienal: transformações na arte brasileira da 1 a 30 edição. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2013.

COCCHIARALE, Fernando. Crítica: a palavra em crise. In: BASBAUM, Ricardo (org.) Arte contemporânea brasileiras: texturas, dicções, ficções, estratégias. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos | Contracapa, 2001.

COLI, Jorge. A vanguarda do tédio. In: FILHO, Paulo Venâncio (org.). 30 x Bienal: transformações na arte brasileira da 1 a 30 edição. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2013.

COLI, Jorge. Como estudar a arte brasileira do século XIX? São Paulo: Editora Senac, 2005.

CONDURU, Roberto. Transparência Opaca. In: Revista Concinnitas: arte, cultura e pensamento. Ano 5, número 6, p. 30-35, julho 2004.

DUARTE, Paulo Sérgio. O espetáculo do fetiche. In: Revista Concinnitas: arte, cultura e pensamento. Ano 5, número 6, p. 36-37, julho 2004.

DUFRÊNE, Thierry. Art contemporain et Antropologie. Anais do XXXII Colóquio CBHA (Comitê Brasileiro de História da Arte). Direções e sentidos da história da arte. Campinas, 2012.

GAITÁN, Juan A. HORN, Gabriele. Catálogo da 8ª Bienal de Berlim. Berlim: KW Institute for Contemporary Art, 2014.

GROYS, Boris. The Curator As Iconoclast. In: History and Theory, Bezalel // Issue No.2 – New Approaches in Contemporary Curating, Spring 2006.

HERKENHOFF, Paulo. A Bienal de São Paulo e seus compromissos culturais e políticos. In: REVISTA USP, São Paulo, n.52, p. 116-121, dezembro/fevereiro 2001-2002.

HOFFMAN, Jens. (ed.) Ten Fundamental Questions of Curating. Mousse Publishing, Fiorucci Art Trust, 2013.

JOSELIT, David. Material Witness. Revista Artforum, Fevereiro de 2015.

KRAUSS, Rosalind et al. Art since 1900: modernism, postmodernism, antimodernism. New York: Thames & Hudson, 2011.

LA FUENTE, Pablo. Introduction: from the outside in - ‘Magicien de la Terre’ and Two Histories of Exhibitions. In: Making Art Global (Part 2) - ‘Magiciens de la Terre’ 1989. Londres: Afterall Books, 2013.

LANEYRIE-DAGEN, Nadeije. Apresentação. In: LICHTENSTEIN, Jacqueline (org.). A pintura volume 10: os gêneros pictóricos. São Paulo: Ed. 34, 2006.

LEIRNER, SHEILA. A Bienal faz 50 anos. Onde fica a arte? In: REVISTA USP, São Paulo, n.52, p. 38-45, dezembro/fevereiro 2001-2002.

LEIRNER, SHEILA. O grande é pequeno. In: ARS (São Paulo) vol.1 no.2 São Paulo Dec. 2003 http://dx.doi.org/10.1590/S1678-53202003000200009

MAMMÌ, Lorenzo. O que resta: arte e crítica de arte. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

MARTIN, Jean-Hubert. The death of Art - Long Live Art. In: Making Art Global (Part 2) - ‘Magiciens de la Terre’ 1989. Londres: Afterall Books, 2013.

MAYO, NURITA. BELTRÁN, ERICK. (org.) Catálogo da 31 Bienal de São Paulo - Como (...) coisas que não existem. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2014.

MICHAELS, Walter Benn. Neoliberal Aesthetics: Fried, Rancière and the Form of the Photograph. In: Revista Nonsite.org de 25 de janeiro de 2011. Disponível em: http://nonsite. org/issues/issue-1/neoliberal-aesthetics-fried-ranciere-and-the-form-of-the-photograph, acessado em 15 de maio de 2015.

MONACHESI, Para Lisette, com amor. In: Revista Select, 20. Outubro de 2014.

NAVES, Rodrigo. A bienal dos inscritos. In: O vento e o moinho: ensaios sobre arte moderna e contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

NAVES, Rodrigo. Entrevista a Angela Pimenta. In: FILHO, Paulo Venâncio (org.). 30 x Bienal: transformações na arte brasileira da 1 a 30 edição. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 2013.

OGUIBE, Olu. O Fardo da Curadoria. In: Revista Concinnitas: arte, cultura e pensamento. Ano 5, número 6, p. 6-17, julho 2004.

OSBORNE, Peter. Anywhere or not at all: philosophy of contemporary art. Londres: Verso, 2013.

PEDROSA, Mario; MAMMI, Lorenzo (org.). Arte. Ensaios: Mário Pedrosa. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

REINALDIM, Ivair. A Grande Tela: curadoria e discurso crítico da pintura na década de 1980. In: II Seminário de Pesquisadores do PPGArtes - UERJ. Dezembro, 2008. http://www.ppgartes.uerj.br/seminario/2sp_artigos/ivair_reinaldim.pdf

SCOVINO, Felipe. Ser Curador Hoje no Brasil. In: Revista Poiesis, n 26, p. 35-40, Dezembro de 2015.

SONTAG, Susan. Against interpretation and other essays. New York: Picador/Farrar, Straus and Giroux, 2001.

SOUZA, Gilda de Mello e. A estética rica e a estética pobre dos professores franceses. In: REVISTA Discurso, São Paulo, n.9, p. 9-30, 1978.

STEEDS, Lucy et al. Making Art Global (Part 2) - ‘Magiciens de la Terre’ 1989. Londres: Afterall Books, 2013.

SUSSEKIND, Flora. Que eficácia pode ter? Adaptabilidade e resistência. In: SUSSEKIND, Flora. DIAS, Tania. PEDROSA, Celia (org.) Crítica e Valor: uma homenagem a Silviano Santiago. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2014.

YÚDICE, George. A conveniência da cultura. Minas Gerais: UFMG, 2004.

ZANINI, Walter; FREIRE, Cristina (org.). Walter Zanini: escrituras críticas. São Paulo: Annablume / MAC USP, 2013.

Downloads

Publicado

2016-11-01

Como Citar

FRIQUES, M. S. Da pintura histórica à bienal histórica: autonomia, curadoria e bienalização. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], p. 287–308, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/15753. Acesso em: 28 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta