Diagramas na crítica de arte

Uma leitura dos quadrados estruturalistas de Rosalind Krauss

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2022.26515

Palavras-chave:

Campo Expandido, Rosalind Krauss, Arte Contemporânea

Resumo

O presente artigo propõe uma leitura dos três usos do quadrado estruturalista realizados por Rosalind Krauss, respectivos à escultura moderna, à pintura modernista e ao medium. Para isso, entrelaça algumas obras da autora, observando neste processo seu deslocamento de foco do campo expandido da escultura ao cubo branco. Este exercício de leitura responde diretamente ao fenômeno de crescente apropriação do “campo expandido” nos debates artísticos brasileiros recentes, buscando uma compreensão mais adequada aos usos do quadrado estruturalista realizado por Rosalind Krauss.

Biografia do Autor

Manoel Silvestre Friques, UNIRIO

Manoel Silvestre Friques é Teórico do Teatro (UNIRIO) e Engenheiro de Produção (UFRJ). Doutorando no Programa de História Social da PUC-Rio, é Mestre em Artes Cênicas pela UNIRIO. Professor da Escola de Engenharia de Produção da UNIRIO, deu aulas, entre 2008 e 2013, nos cursos de Design de Moda e Artes da Faculdade SENAI Cetiqt. Publicou o livro de críticas Seis Chaves (EAV, 2012) e ensaios nas revistas Concinittas, Poeisis, Arte & Ensaios, Percevejo, Urdimento, E-compós, dentre outras. Dentre suas últimas curadorias destacam-se Lúmens (Furnas Espaço Cultural), Incorpóreo (Centro de Justiça Federal), ambas individuais de João Penoni em 2013; Brazo de Monte, exposição individual de Andrés Boero Madrid, no Uruguai em 2014; e as exposições coletivas Coisas Vistas Aqui e Ali, Sem Óculos e Curadoria Operária (ambas no Espaço Cultural Sergio Porto, 2014).

Referências

ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte Italiana I: Da Antiguidade ao Duccio. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

BARTHES, Roland. A mitologia hoje. In: O Rumor da Língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

BARTHES, Roland. Mitologias. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1972.

CASTRO, Demian. Significados do conceito de paisagem: um debate através da epistemologia da geografia. In: http://www.pucsp.br/~diamantino/PAISAGEM.htm, 2009.

DIDI–HUBERMAN, Georges. A semelhança informe ou o gaio saber visual segundo Georges Bataille. Rio de Janeiro: Contraponto, 2015.

FRIED, Michael. Art and Objecthood. Chicago: University of Chicago Press, 1998.

FRIQUES, Manoel Silvestre. “O inventário de Rosalind Krauss: pós-modernismo e pós-meio”. In Anais do XXXII Congresso Brasileiro de História da Arte, Brasília, 2012.

FRIQUES, Manoel Silvestre. “O Informe de Rosalind Krauss: a rejeição do Abjeto”. In XXXVIII Anais do Congresso Brasileiro de História da Arte, Florianópolis, 2018b.

FRIQUES, Manoel Silvestre. Entre a Ilusão e a Teatralidade: Rosalind Krauss, Michael Fried e o Minimalismo. Revista Brasileira de Estudos da Presença [Eperiodico], v. 8, p. 807-837, 2018a.

FRIQUES, Manoel Silvestre. A condição pós-meio da arte contemporânea. In: Flora Süssekind; Tania Dias; Celia Pedrosa. (Org.). Crítica e Valor - Coleção FCRB Aconteceu 13. 1ed.Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2014, v. 1, p. 197-208.

GREENBERG, Clement. Art & Culture. Boston: Beacon Press, 1992.

GREIMAS, Algirdas Julien. Sobre o sentido. Rio de Janeiro: Editora Vozes, 1975.

JAMESON, Fredric. Foreword. In: GREIMAS, A. On Meaning. Minneapolis: University Minnesota Press, 1976.

JAMESON, Fredric. Postmodernism, or, The Cultural Logic of Late Capitalism. Duke University Press, Durham, 1992.

JAMESON, Fredric. The Political Unconscious. London: New York: Routledge, 2002.

JAMESON, Fredric. The Prison-House of Language: a critical account of structuralism and russian formalism. Princeton, Princeton University Press: 1972.

KAISER, Philipp; KWON, Miwon. Ends of the Earth and back. In: Ends of the Earth: Land Art to 1974. Munich, London: New York: Prestel, 2013.

KENTRIDGE, William. Felix no exílio: geografia da memória. In: TONE, Lilian (org.). William Kentridge: fortuna. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Pinacoteca do Estado; Porto Alegre, RS: Fundação Iberê Camargo, 2012.

KENTRIDGE, William. Paisagem em estado de sítio. In: TONE, Lilian (org.). William Kentridge: fortuna. São Paulo: Instituto Moreira Salles: Pinacoteca do Estado; Porto Alegre, RS: Fundação Iberê Camargo, 2012.

KRAUSS, Rosalind; BOIS Yve-Alain. Formless – a user’s guide. Nova York: Zone Books, 1999.

KRAUSS, Rosalind. A voyage on the North Sea. New York: Thames & Hudson, 1999.

KRAUSS, Rosalind. Darby Bannard's New Work. In: Artforum, vol. IV, n. 8, Abril 1966.

KRAUSS, Rosalind. Escultura no campo ampliado. In: Arte & Ensaios – Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais, EBA/UFRJ, ano XV, n. 17, 2008.

KRAUSS, Rosalind. Passages in Modern Sculpture. The MIT Press, Cambridge, 1981.

KRAUSS, Rosalind. Perpetual Inventory. Massachusetts: MIT Press, 2010.

KRAUSS, Rosalind. Review New York: Neil Williams (Andre Emmerich Gallery); Erotic Art (Sidney Janis Gallery). In: Artforum, vol. V, n. 4, December, 1966.

KRAUSS, Rosalind. Terminal Iron Works. Cambridge, MIT Press, 1971.

KRAUSS, Rosalind. The Master’s Bedroom. In: Representations, n. 28, Special Issue: Essays in Memory of Joel Fineman (Autumn, 1989), pp. 55-76.

KRAUSS, Rosalind. The Optical Unconscious. Massachusetts: MIT Press, 1994.

KRAUSS, Rosalind. The originality of the avant–garde and other modernist myths. Massachusetts: MIT Press, 1986.

KRAUSS, Rosalind. The Picasso Papers. MIT Press, Cambridge, MA, 1999.

KRAUSS, Rosalind. Under Blue Cup. Massachusetts: MIT Press, 2011.

LACAN, Jacques. O Seminário – livro 11: os quatro conceitos fundamentais da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

LÉVI–STRAUSS, Claude. Antropologia estrutural. São Paulo: Cosac Naify Portátil, 2012.

LÉVI–STRAUSS, Claude. Mito e significado. Lisboa: Edições 70, 2010.

LÉVI–STRAUSS, Claude. O cru e o cozido. Mitológicas 1. São Paulo, CosacNaify, 2004.

LÉVI–STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

LYOTARD, Jean–François. Fiscourse Digure: The Utopia behind the Scenes of the Phantasy. In: Theatre Journal, vol. 35, n. 3, The Poetics of Theatre (Oct., 1983), pp. 333-357.

MITCHEL, W.J.T. Landscape and power. Chicago: The University of Chicago Press, 2002.

MORRIS, Robert. Notes on Sculpture. In: BATTCOCK, Gregory (ed.). Minimal Art – A Critical Anthology. New York: E.P. Dutton, 1968.

OSBORNE, Peter. Anywhere or not at all: philosophy of contemporary art. London: Verso Books, 2013.

OSBORNE, Peter. Quaderns Portàtils 28: October and the Problem of Formalism. Barcelona: Museo d’Art Contemporani de Barcelona, 2012.

QUINET, Antonio. Um olhar a mais – ver e ser visto na psicanálise. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

RIEGL, Alois. O culto moderno dos monumentos e outros ensaios estéticos. Lisboa: Edições 70, 2013.

SCHAPIRO, Meyer. Style. In: Theory and Philosophy of Art, Style, Artist and Society. New York: George Braziller, 1994.

SIMMEL, Georg. A Filosofia da Paisagem. Covilhã: LusoSofia Press, 2009.

SIMMEL, Georg. Sociologia. São Paulo: Ática, 1983.

SMITHSON, Robert. The Collected Writtings. New York: New York University Press, 1979.

Downloads

Publicado

2022-08-22

Como Citar

FRIQUES, M. S. Diagramas na crítica de arte: Uma leitura dos quadrados estruturalistas de Rosalind Krauss. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 12, n. 25, p. 166–204, 2022. DOI: 10.35699/2237-5864.2022.26515. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/26515. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos