O corpo a corpo com um sistema, não se trata de abandoná-lo

Resumo

Esse ensaio é um exercício de conversação e foi guiado por duas ideias, de um lado, a convicção de que estamos envolvidas por uma atmosfera marcada por diálogos impossíveis e que diante da impossibilidade de falar sobre assuntos discordantes, de escutar os outros, de perceber para além de nós mesmas/os, estamos correndo em círculos, na tentativa de solucionar falsos problemas. Em segundo, o desejo de conversar mais sobre dúvidas que permeiam nossas pesquisas e práticas no campo da arte. Nesse diálogo, discutiremos as possíveis relações que podem ser estabelecidas entre a “arte engajada” e a “arte arquivista”, acreditando que assim podemos formalizar publicamente um exercício de colaboração entre nós, que já existe há algum tempo e agora tem ganhado novos contornos.

Biografia do Autor

Ana Pato, Doutoranda Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Universidade de São Paulo Bolsista FAPESP
Ana Pato (São Paulo, 1972) é doutoranda da FAU-USP, bolsista da FAPESP e pesquisadora-associada do Museu de Arte Moderna da Bahia. Foi curadora-chefe da 3º Bienal da Bahia (2014) e diretora de projetos da Associação Cultural Videobrasil (2000-2012). É autora do livro Literatura Expandida: arquivo e citação na obra de Dominique Gonzalez-Foerster (2012).
Publicado
2019-11-22
Como Citar
PATO, A.; ZATZ MUSSI, J. O corpo a corpo com um sistema, não se trata de abandoná-lo. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, p. 29-57, 22 nov. 2019.
Seção
Artigos - Seção temática