Artistas, curadores e instituições perdidos e assustados numa escuridão repleta de fantasmas demasiado reais

a hora do contrapúblico e das guerras culturais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.35699/2237-5864.2021.26657

Palavras-chave:

Artes visuais, Contrapúblico, Crítica de arte, Guerras culturais, Mediação cultural

Resumo

Elegendo duas publicações dedicadas a pensar os ataques a exposições de artes visuais no Brasil, em 2017, este texto discute as leituras produzidas na sequência imediata aos eventos, tanto pela crítica de arte como pela mediação cultural. Assim, indagam-se as diferentes disposições subjacentes aos escritos de extração crítica, de um lado, e de viés mediativo, de outro. Ao priorizar o desdobramento das controvérsias proposto pelo último, a presente análise lança mão das noções de “contrapúblico” e “guerras culturais”, com vistas à produção de traduções e ao tratamento político do fenômeno, procurando caracterizar as subjetividades moralizantes, fundadas em valores cristãos e da família.

Biografia do Autor

Diogo de Moraes Silva, Universidade de São Paulo - USP

Diogo de Moraes Silva atua como pesquisador, mediador cultural, artista visual e, institucionalmente, como assistente técnico no Sesc São Paulo, na Gerência de Estudos e Desenvolvimento. É doutorando no programa Interunidades em Estética e História da Arte, na linha de Metodologia e Epistemologia da Arte, na Universidade de São Paulo (PGEHA-USP); mestre em Artes, na linha de Poéticas Visuais, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP); e licenciado em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo.

Referências

D’ANGELO, Helô. Casos como o ‘Queermuseu’ devem ser tratados como desafios educacionais, diz crítico de arte. Entrevista com Luiz Camillo Osorio. Cult, São Paulo, 11 set. 2017. Disponível em: <https://revistacult.uol.com.br/home/queermuseu-santander-cultural-luiz-camillo-osorio>. Acesso em: 26 set. 2021.

DUARTE, Luisa (org.). Arte censura liberdade: reflexões à luz do presente. Rio de Janeiro: Cobogó, 2018a.

DUARTE, Luisa (org.). Brazilian Art Under Attack!. Jacaranda, Rio de Janeiro, n. 6, 2018.

FRASER, Nancy. Rethinking the Public Sphere: A Contribution to the Critique of Actually Existing Democracy. In: ______. Justice Interruptus: Critical Reflections on the “Postsocialist” Condition. New York; London: Routledge, 1997. p. 69-98.

HARTMAN, Andrew. A War for the Soul of America: A History of the Culture Wars. Chicago: The University of Chicago Press, 2015

HEINICH, Nathalie. A arte contemporânea exposta às rejeições: contribuição a uma sociologia dos valores. Tradução de Mateus Araújo Silva. Observatório Itaú Cultural, São Paulo, n. 12, maio/ago. 2011, p. 77-92. Disponível em: <https://www.itaucultural.org.br/revista-observatorio-ic-n-12-2>. Acesso em: 26 set. 2021.

HONORATO, Cayo; KUNSCH, Graziela (org.). Dossiê Censura e Políticas Culturais. Políticas Culturais em Revista, Salvador, v. 11, n. 1, jan./jun. 2018. Disponível em: <https://periodicos.ufba.br/index.php/pculturais/issue/view/1586>. Acesso em: 26 set. 2021.

HUNTER, James Davison. Culture Wars: The Struggle to Define America. New York: Basic Books, 1991.

MOUFFE, Chantal. Sobre o político. Tradução de Fernando Santos. São Paulo: Martins Fontes, 2015.

NOBRE, Marcos. Como chegamos até aqui, como podemos (talvez) sair daqui. Rosa, n. 2, v. 1, 2020. Disponível em: <https://revistarosa.com/1/como-chegamos-ate-aqui-como-podemos-talvez-sair-daqui>. Acesso em: 26 set. 2021.

NUNES, Rodrigo. Todo lado tem dois lados – Sobre a ideia de “polarização”. Serrote, n. 34, São Paulo, mar. 2020. Disponível em: <https://www.revistaserrote.com.br/2020/06/todo-lado-tem-dois-lados-por-rodrigo-nunes>. Acesso em: 26 set. 2021.

ORTELLADO, Pablo. Conservadores temem entregar a família aos quatro cavaleiros do apocalipse. Folha de S.Paulo, São Paulo, 2 jan. 2018. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/colunas/pablo-ortellado/2018/01/1947363-conservadores-temem-entregar-a-familia-aos-quatro-cavaleiros-do-apocalipse.shtml>. Acesso em: 26 set. 2021.

PROFESSOR descobre origem do bolsonarismo e diz que consequência será catastrófica ao Brasil. Carta Campinas, Campinas, 24 maio 2020. Disponível em: <https://cartacampinas.com.br/2020/05/professor-descobre-origem-do-bolsonarismo-e-diz-que-consequencia-sera-catastrofica-ao-brasil/?fbclid=IwAR2iaYhStWif0t9RKsVBbT3gXhRaF9O_rNdPa5lqM_IjJPcfD3ghB7fAo9w>. Acesso em: 26 set. 2021.

ROCHA, Camila; MEDEIROS, Jonas. "Vão todos tomar no...”: a política de choque e a esfera pública. Horizontes ao Sul, 2020. Disponível em: <https://www.horizontesaosul.com/single-post/2020/04/27/VAO-TODOS-TOMAR-NO-A-POLITICA-DO-CHOQUE-E-A-ESFERA-PUBLICA>. Acesso em: 26 set. 2021.

SCHWARZ, Roberto. Cultura e política, 1964-1969. In: ______. O pai de família e outros estudos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975. p. 61-92.

WARNER, Michael. “Publics and Counterpublics”. In: ______. Publics and Counterpublics. New York: Zone Books, 2002. p. 65-124.

Downloads

Publicado

2021-12-13

Como Citar

SILVA, D. de M. . Artistas, curadores e instituições perdidos e assustados numa escuridão repleta de fantasmas demasiado reais : a hora do contrapúblico e das guerras culturais. PÓS: Revista do Programa de Pós-graduação em Artes da EBA/UFMG, [S. l.], v. 11, n. 23, p. 263–290, 2021. DOI: 10.35699/2237-5864.2021.26657. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistapos/article/view/26657. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Seção aberta