"É bom que os fiéis saibam como esta Devoção é aprovada pelos Sumos Pontífices": O discurso papal e a devoção ao Rosário da Virgem Maria (1469-1573)

  • André Rocha Cordeiro Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Rosângela Wosiak Zulian Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Resumo

O presente artigo tem por proposta analisar os discursos papais em promoção a devoção do Rosário da Virgem Maria a partir das bulas pontifícias de Sisto IV (1471-1484), Pio V (1566-1572) e Gregório XIII (1572-1585), produzidas entre 1469 e 1573. Para tanto, buscamos realizar um breve histórico da devoção do Rosário mariano, destacando aspectos importantes para seu estabelecimento enquanto devoção católica. Além disso, intentamos perfazer os espaços de difusão da referida devoção, dos mosteiros religiosos às confrarias leigas, e, por fim, apresentar o lugar ocupado pelo Rosário no discurso papal. Corroboram, em nossos objetivos, as categorias analíticas de lugar social e de linguagem autorizada, de Michel de Certeau (1982) e Pierre Bourdieu (1998), respectivamente.

Biografia do Autor

André Rocha Cordeiro, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutorando em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Estadual de Maringá (PPH/UEM).

Mestre em em História pela Universidade Estadual de Maringá (PPH/UEM).

Especialista em História, Arte e Cultura pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (DH/UEPG).

Graduado em História pela Universidade Estadual de Maringá (DHI/UEM).

Integrante do Laboratório de Estudos em Religiões e Religiosidades (LERR - UEM). 

Rosângela Wosiak Zulian, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Doutora em História Cultural pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora Adjunta do Departamento de História da Universidade Estadual de Ponta Grossa (DEHIS/UEPG).

Publicado
2019-09-30