Da relatividade de movimentos ao universo pleno

as concepções de inércia em Galileu e Descartes

  • Marcio Henrique Bertazi Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo

Resumo

O estudo do movimento tem ocupado parte considerável do desenvolvimento da ciência. Diferentes abordagens procuraram apresentar a plausibilidade de sistemas que se dedicavam a mensurar a relação entre os mais distintos objetos e sua posição no universo, além de explicar como e por que muitos desses objetos se moviam. Galileu e Descartes são importantes personagens dessa história, cujas contribuições foram fundamentais para o aperfeiçoamento do conceito de inércia, conceito ainda hoje fundamental. Ao clivar movimento e repouso Galileu possibilitou a separação do movimento da natureza dos corpos. Descartes, ao compreender repouso e movimento como um estado contingente da matéria, enxergava um espaço que não permitia o vazio. Neste artigo apresenta-se como, entre cinemática e dinâmica, gravidade e colisões, ambos estabeleceram pontes seguras para o posterior desenvolvimento do conceito de inércia, ainda que nunca o tenham mencionado.

Publicado
2019-09-30